ADVFN Logo ADVFN

Não encontramos resultados para:
Verifique se escreveu corretamente ou tente ampliar sua busca.

Tendências Agora

Rankings

Parece que você não está logado.
Clique no botão abaixo para fazer login e ver seu histórico recente.

Hot Features

Registration Strip Icon for tools Aumente o nível de sua negociação com nossas ferramentas poderosas e insights em tempo real, tudo em um só lugar.

Futuros dos EUA mantém estável, próximo das máximas de dois meses após forte rali em novembro

LinkedIn

Bem-vindo à sua leitura matinal de cinco minutos de como os mercados estão reagindo ao redor do mundo nesta manhã.

ÁSIA: As bolsas da Ásia fecharam majoritariamente em baixa nesta quinta-feira, enquanto os investidores digeriam discussões entre os presidentes dos Estados Unidos e da China.

O presidente dos EUA, Joe Biden e o presidente da China, Xi Jinping, reuniram na quarta-feira em San Francisco, no seu primeiro encontro presencial em um ano. As conversas decorreram à margem da Conferência de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico e fizeram parte dos esforços entre os EUA e a China para impulsionar a comunicação em meio às tensões contínuas. Os líderes concordaram em retomar a comunicação militar de alto nível, segundo ambos os países, mas Taiwan continua a ser um ponto de discórdia.

O índice Hang Seng caiu 1,41%, em 17.816,50 pontos, liderando as quedas na região, após ganhar 3,92% na sessão anterior. Ações da Xpeng listadas em Hong Kong caíram 4,2% depois que a empresa chinesa de veículos elétricos relatou uma perda trimestral maior que o esperado.

Os mercados de ações da Coreia do Sul abriram uma hora mais tarde do que o habitual, às 10h00, hora local. O atraso na abertura tinha como objetivo facilitar o trânsito na hora do “rush”, já que os vestibulares eram administrados em todo o país. O Kospi fechou praticamente estável, em 2.488,18 pontos, alta de 0,06%.

O Nikkei do Japão caiu 0,35%, em 33.424,41 pontos.

Na China continental, o Shanghai Composite caiu 0,71%, fechando em 3.050,93 pontos e o Shenzhen Component caiu 1,23%, em 9.954,40 pontos.

Na Austrália, o S&P/ASX 200 caiu 0,67% para fechar em 7.058,40 pontos. As ações de energia e saúde puxaram para baixo o mercado acionário australiano. As empresas petrolíferas Santos e Woodside Energy caiu 1,9% e 1,1%, respectivamente. As produtoras de minério de ferro BHP e Rio Tinto caíram 0,8% e 0,6%, respectivamente.

EUROPA: Os mercados europeus operam entre altas e baixas na quinta-feira, em meio a um esfriamento do sentimento positivo visto no início da semana, após a divulgação de dados positivos dos EUA e da China.

O índice pan-europeu Stoxx 600 caia 0,4% no meio da manhã, mas opera estável no final da manhã com ações de petróleo e gás liderando as perdas, enquanto os serviços públicos sobem.

O alemão DAX 30 sobe 0,5% e o francês CAC 40 cai 0,3%.

Em Londres, o FTSE 100 cai 0,4%. Entre as mineradoras listadas na LSE, Anglo American cai 0,6%, Antofagasta perde 0,4%, enquanto as gigantes BHP e Rio Tinto sobem 0,4% e 0,1%, respectivamente.

EUA: Os futuros dos índices de ações dos EUA pouco mudam na quinta-feira, na sequência da onda alta de novembro.

No after-market de ontem, as ações da Cisco Systems caíram 11% depois que a empresa divulgou uma guidance fraca para o trimestre atual e para todo o ano fiscal. A Palo Alto Networks caiu 5% depois que a empresa de segurança cibernética divulgou uma previsão sombria sobre o faturamento.

Os movimentos seguem um dia de altas em Wall Street, com os investidores aplaudindo os últimos dados de inflação. O Dow Jones somou 0,47%, a quarta sessão consecutiva de altas. O S&P 500 e Nasdaq Composite subiram 0,16% e 0,07%, respectivamente.

A sessão de terça-feira traduziu nos maiores ganhos mensais para o S&P 500 e o Nasdaq desde abril. Com novembro na metade, o S&P 500 subiu mais de 7% no mês, enquanto Nasdaq saltou 9,8% no período. O Dow avançou quase 6%.

O índice de preços ao produtor de outubro, um indicador dos preços no atacado, caiu 0,5%, marcando o seu maior declínio mensal desde abril de 2020, um dia depois que o índice de preços ao consumidor ter ficado estável em outubro, outro sinal encorajador para os investidores que esperam que o Federal Reserve tenha visto a trajetória da inflação esfriar o suficiente para impedir o aumento das taxas de juros.

Com a divulgação dos dois relatórios de inflação, os investidores voltarão o foco para uma série de dados econômicos como pedidos de seguro-desemprego, índice de manufatura do Fed da Filadélfia e os preços de importação, às 10h30. A produção industrial e a taxa de ocupação sairá às 11h15 e dados do mercado imobiliário da NAHB sairá às 12h00. Eles também seguirão os comentários esperados de autoridades do Fed, incluindo a presidente de Cleveland, Loretta Mester, e o presidente de Nova York, John Williams, em eventos ao longo do dia.

CRIPTOMOEDAS:
Btcoin: +4,42% em US $ 37.362,30
Ethereum: +2,68% em US $ 2.043,48

ÍNDICES FUTUROS – 7h50:
Dow: -0,01%
S&P 500: +0,03%
NASDAQ: -0,08%

COMMODITIES:
MinFe Dailan: -1,53%
Brent: -0,54%
WTI: -0,37%
Soja: -0,59%
Ouro: +0,16%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, independente, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado, enquanto a europeia e a americana estão no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados. O texto não é indicação de compra, manutenção ou venda de ativos.

Deixe um comentário

Seu Histórico Recente

Delayed Upgrade Clock