ADVFN Logo

Não encontramos resultados para:
Verifique se escreveu corretamente ou tente ampliar sua busca.

Tendências Agora

Rankings

Parece que você não está logado.
Clique no botão abaixo para fazer login e ver seu histórico recente.

Registration Strip Icon for alerts Cadastre-se para alertas em tempo real, use o simulador personalizado e observe os movimentos do mercado.

GM revela estratégia de revitalização pós-greve: Dividendos maiores e recompras de ações aceleradas

LinkedIn

Na quarta-feira (29), a General Motors (NYSE:GM) divulgou uma estratégia vigorosa para atrair investidores, marcada pelo aumento dos dividendos e um plano intensivo de recompra de ações. Esse anúncio surge como uma resposta estratégica às adversidades enfrentadas pela empresa, incluindo uma extensa greve laboral e ajustes nas projeções para seus veículos elétricos. Isso refletiu em uma alta notável de mais de 9% nas ações da GM na quarta-feira, fechando a US$ 31,70.

A General Motors também é negociada na B3 através do ticker (BOV:GMCO34).

A companhia confirmou que elevará o dividendo trimestral das ações em 33%, chegando a 12 centavos, e dará início a um ambicioso programa de recompra de ações, estimado em 10 bilhões de dólares.

Adicionalmente, a GM renovou suas projeções para 2023, antecipando um lucro de aproximadamente 1,1 bilhão de dólares antes da consideração de juros e impostos (ajustado pelo EBIT), refletindo o impacto da paralisação produtiva causada pela greve dos United Auto Workers (UAW), que durou cerca de dois meses.

Interessantemente, a GM revisou sua previsão de lucros para o ano completo de 2023 em duas ocasiões, antes de suspender essas projeções no terceiro trimestre devido à greve.

Mary Barra, CEO da GM, em declaração divulgada na quarta-feira, enfatizou os esforços da empresa para compensar os custos adicionais decorrentes dos novos acordos trabalhistas. Ela mencionou que o orçamento para 2024 visa cobrir integralmente esses custos incrementais e ressaltou a estratégia de longo prazo da empresa, que inclui a diminuição da intensidade de capital do negócio e a otimização do desenvolvimento de produtos e da redução de custos fixos e variáveis.

Durante uma teleconferência com investidores também na quarta-feira, Barra destacou que os novos contratos sindicais provavelmente elevarão os custos trabalhistas na América do Norte em cerca de 500 dólares por veículo em 2024, com uma média de aproximadamente 575 dólares ao longo da vigência dos contratos.

A empresa registra um aumento de 2,5% em novembro, apesar de uma queda anual de 14%. As ações ultrapassaram a linha média de 50 dias, ainda que permaneçam abaixo da média de 200 dias.

Projeções para 2023 e investimentos da GM

A nova projeção da GM para 2023 inclui um EBIT ajustado entre 11,7 bilhões e 12,7 bilhões de dólares, uma revisão em relação à previsão anterior que variava de 12,0 bilhões a 14,0 bilhões de dólares.

A empresa agora prevê lucros de 7,20 a 7,70 dólares por ação, ligeiramente abaixo da previsão anterior de 7,15 a 8,15 dólares por ação.

Além disso, a GM espera um fluxo de caixa livre automotivo ajustado de 10,5 bilhões a 11,5 bilhões de dólares, acima da visão anterior de 7,0 bilhões a 9,0 bilhões de dólares.

Os gastos de capital previstos para 2023 estão estimados entre 11 bilhões e 11,5 bilhões de dólares, próximos ao limite inferior da projeção anterior.

Deixe um comentário

Ao acessar os serviços da ADVFN você estará de acordo com os Termos e Condições

Support: (11) 4950 5808 | suporte@advfn.com.br