ADVFN Logo ADVFN

Não encontramos resultados para:
Verifique se escreveu corretamente ou tente ampliar sua busca.

Tendências Agora

Rankings

Parece que você não está logado.
Clique no botão abaixo para fazer login e ver seu histórico recente.

Hot Features

Registration Strip Icon for tools Aumente o nível de sua negociação com nossas ferramentas poderosas e insights em tempo real, tudo em um só lugar.

Momento Cripto: Bitcoin cai forte, Citi e BNDES colaboram com a Hyperledger, e últimas notícias

LinkedIn

Queda do Bitcoin afeta mercado e traders com previsão de mais instabilidades

O Bitcoin (COIN:BTCUSD) enfrentou um declínio acentuado no valor nas últimas 24 horas, oscilando no momento da escrita perto de US$ 64.329,32. O movimento negativo, possivelmente intensificado pela nova adoção de ETFs de Bitcoin, arrastou consigo outras criptomoedas e ativos relacionados. Em meio a essa volatilidade, traders otimistas viram mais de US$ 440 milhões serem liquidados. Isso acarretou em perdas expressivas em posições longas em várias criptomoedas, com a Binance e a OKX concentrando a maior parte dessas liquidações. Este período também foi marcado por retiradas recordes do ETF (AMEX:GBTC) da Grayscale, sinalizando potenciais oscilações futuras no mercado.

Adicionando à análise, Fernando Pereira, analista da Bitget, comenta sobre a expectativa de uma redução de 20% a 30% no valor do Bitcoin em torno do evento de halving. Segundo Pereira, “nos dias próximos ao halving (seja antes ou depois) devemos atingir um recuo de 20% a 30%, devido ao grande aumento de pequenos players entrando no mercado, que acaba servindo de liquidez para que grandes players realizem seus lucros do ano“.

Na noite de segunda-feira, o Bitcoin experimentou uma breve desvalorização na BitMEX, atingindo US$ 8.900, enquanto em outras plataformas o valor se manteve acima de US$ 60.000. O declínio abrupto seguiu uma recuperação rápida para US$ 67.000 dez minutos depois. No auge do incidente na BitMEX, o Bitcoin manteve uma média de preço global de aproximadamente US$ 67.400. Especula-se nas redes sociais que a queda foi desencadeada pela venda de mais de 850 BTC por uma grande entidade na BitMEX, impactando significativamente o mercado.

Em outras notícias relacionadas, a MicroStrategy (NASDAQ:MSTR), conhecida por seu investimento substancial em bitcoin, adicionou 9.245 BTCs ao seu portfólio por US$ 623 milhões, com um custo médio de US$ 67.400 por bitcoin. Sob a liderança de Michael Saylor, a compra foi financiada por uma oferta de títulos conversíveis e fundos excedentes, elevando seu total de bitcoins para 214.246, equivalente a mais de 1% do suprimento total de bitcoins. Apesar da aquisição, a queda recente no valor do bitcoin impactou negativamente o preço das ações da MicroStrategy.

Redução progressiva das taxas no ETF Bitcoin da Grayscale promete conformidade com maturidade do mercado

Michael Sonnenshein, CEO da Grayscale, prevê uma diminuição nas taxas do seu ETF de Bitcoin (AMEX:GBTC), alinhada com o amadurecimento do setor. Conforme reportado pela CNBC, a expectativa é que, seguindo a tendência de outros mercados, a taxa de 1,5% do GBTC diminua com o crescimento do fundo. Apesar das contínuas saídas recordes, a Grayscale mantém sua liderança no setor com o GBTC, e planeja lançar um novo produto com taxas menores, aguardando aprovação da SEC, sem impactar os detentores atuais com impostos adicionais.

ETFs de Bitcoin impulsionam acesso e crescimento no mercado cripto, segundo executivos da BlackRock e Grayscale

Tony Ashraf da BlackRock (NYSE:BLK) e Michael Sonneshein da Grayscale destacam que os ETFs de bitcoin estão atendendo à crescente demanda por criptomoedas, facilitando o ingresso de novos investidores no setor. Durante a Digital Asset Conference em Londres, Ashraf apontou que os ETFs desbloquearam demandas reprimidas, enquanto Sonneshein observou um “crescimento explosivo” nesses produtos. Eles identificaram três fatores principais para esse fenômeno: mudanças macroeconômicas e demográficas, amadurecimento da indústria cripto e avanços no ambiente regulatório.

Citi e BNDES colaboram com a Hyperledger Foundation em soluções blockchain empresariais

O Citi (NYSE:C) e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) juntaram-se à Hyperledger Foundation para avançar no desenvolvimento de soluções empresariais baseadas em blockchain. Diferentemente dos blockchains públicos, os blockchains corporativos são restritos a usuários autorizados. A Hyperledger, que já conta com 134 membros, incluindo IBM (NYSE:IBM) e American Express (NYSE:AXP), visa promover a inovação em tecnologia blockchain entre as empresas. Além disso, a fundação anunciou a criação de um grupo de trabalho focado em serviços financeiros, com participação de grandes entidades como Accenture (NYSE:ACN) e Visa (NYSE:V).

BVM lança IA aberta no blockchain para revolucionar aplicações criptográficas

O Bitcoin Virtual Machine (BVM) está introduzindo uma inovação no espaço cripto com o lançamento de uma IA verdadeiramente aberta, permitindo que modelos de inteligência artificial sejam implementados diretamente no blockchain. Esta iniciativa abre caminho para a integração de IA em redes criptográficas descentralizadas, possibilitando a criação e o uso de algoritmos de IA dentro do ecossistema blockchain. A colaboração com plataformas como Filecoin (COIN:FILUSD) e Polygon (COIN:MATICUSD) visa fornecer infraestrutura de armazenamento para esses modelos avançados, prometendo impulsionar novas inovações no setor.

RippleX anuncia integração de stablecoin atrelada ao Real no XRP Ledger

A RippleX, braço de desenvolvimento da Ripple (COIN:XRPUSD), divulgou a adição do BRLA Token, uma stablecoin vinculada ao Real Brasileiro, ao XRP Ledger, marcando um passo significativo para a plataforma e seu ecossistema. Esta novidade promete transações mais estáveis e eficientes, tanto local quanto globalmente. A BRLA Digital, por trás da iniciativa, pretende transformar o setor financeiro brasileiro, oferecendo um método simplificado e econômico para operações comerciais. A RippleX elogia a iniciativa, destacando o potencial do BRLA Token para inovar as transações comerciais no Brasil.

Libre inicia operações on-chain facilitando a tokenização de ativos alternativos com suporte do Polygon

A Libre, uma nova plataforma Web3 focada em instituições, estreou no ecossistema on-chain, possibilitando a tokenização de ativos alternativos. Este avanço foi possível após uma transação cross-chain bem-sucedida no Polygon (COIN:MATICUSD). Desenvolvida em parceria entre a incubadora WebN e a Laser Digital, subsidiária da Nomura Holdings (NYSE:NMR), a Libre colaborou com grandes gestores como Brevan Howard e Hamilton Lane, mirando na tokenização de investimentos alternativos. A plataforma também promete acesso a fundos do mercado monetário renomados, e planeja lançar serviços de empréstimos garantidos, expandindo ainda mais suas ofertas para o mercado institucional.

Luxor Technology e Bitnomial lançam primeiros futuros de hashrate nos EUA

A Luxor Technology, focada em mineração de bitcoin, em parceria com a Bitnomial, introduziram os primeiros futuros de hashrate dos EUA, visando a proteção de receitas para mineradores antes do próximo halving do bitcoin em abril. Esses futuros, liquidados em dinheiro, baseiam-se no “hashprice”, indicando a receita por unidade de hashrate. Oferecidos em bolsa para maior liquidez e segurança, esses contratos visam mitigar os riscos de receita frente à volatilidade e às mudanças na taxa de hash.

Galaxy Digital pronta para lançar ETPs criptográficos na Europa em parceria com DWS

Sob a liderança de Michael Novogratz, a Galaxy Digital (TSX:GLXY) se prepara para lançar novos produtos de investimento criptográfico na Europa em breve, em colaboração com a gestora de ativos DWS. Leon Marshall, CEO da divisão europeia, anunciou no Digital Asset Summit em Londres que esses ETPs, que incluem ETFs e possivelmente ETNs, serão acessíveis por meio de contas de corretagem tradicionais, ampliando o acesso aos ativos digitais no continente.

Maior fundo de pensão do Japão explora investimentos em Bitcoin e outros ativos não tradicionais

O Fundo de Investimento de Pensões do Governo (GPIF) do Japão, reconhecido como o maior fundo de pensão global, está coletando dados sobre “ativos ilíquidos” como bitcoin para avaliar potenciais inclusões em sua carteira diversificada. Atualmente focado em ações, títulos, e outros investimentos tradicionais, o GPIF busca expandir para ativos alternativos, incluindo terras agrícolas e criptomoedas, apesar de ainda não confirmar investimentos em bitcoin.

Grab integra pagamentos com criptomoedas em Singapura em parceria com Triple-A

O superaplicativo Grab (NASDAQ:GRAB), conhecido por seus serviços de transporte, entrega e pagamentos digitais na Ásia, agora aceita criptomoedas para recargas de carteira em Singapura, graças à colaboração com a Triple-A, um provedor licenciado de pagamentos criptográficos. Inicialmente disponível em Singapura, essa iniciativa permite pagamentos em cinco criptomoedas, incluindo Bitcoin (COIN:BTCUSD) e Ethereum (COIN:ETHUSD). A Grab monitorará a receptividade do usuário para expandir potencialmente esses serviços, marcando um passo significativo na integração da criptoeconomia no cotidiano.

Genesis aceita pagar US$ 21 milhões à SEC para encerrar processo relacionado ao Gemini Earn

A Genesis Global Capital, atingida pela falência, concordou em pagar US$ 21 milhões para resolver acusações da SEC relacionadas a infrações das leis de valores mobiliários através de seu envolvimento com o programa fracassado Gemini Earn. A SEC divulgou essa conclusão após um juiz de Nova York rejeitar tentativas da Genesis e da Gemini de bloquear o avanço do processo iniciado em janeiro de 2023. O pagamento da multa pela Genesis, que declarou falência logo após ser acusada pela SEC, será realizado somente após a quitação de todas as outras dívidas aprovadas pelo tribunal de falências.

Coinbase ganha apoio na batalha legal contra a SEC por regras claras no setor cripto

A Coinbase Global (NASDAQ:COIN), apoiada por aliados como Paradigm e o Crypto Council for Innovation, contesta judicialmente a SEC por sua negativa em estabelecer regulamentações específicas para criptomoedas. Essa coalizão argumenta que a abordagem atual da SEC, que trata ativos cripto como se fossem produtos financeiros tradicionais, é incompatível com a natureza descentralizada da tecnologia. A disputa se intensifica após a SEC recusar a solicitação da Coinbase para criar um framework regulatório, levando a empresa a buscar uma reviravolta judicial.

Changpeng Zhao da Binance inicia projeto educacional gratuito: Giggle Academy

Changpeng Zhao, cofundador da Binance, anunciou a Giggle Academy, uma nova iniciativa educacional sem fins lucrativos focada em reduzir as disparidades educacionais, especialmente para aqueles sem acesso à educação formal. A plataforma online visa complementar a educação tradicional com conteúdos inovadores e estável. Zhao, envolvido em desafios legais nos EUA, vê este projeto como sua contribuição mais significativa para o futuro, apesar de enfrentar restrições de viagem e uma possível sentença de prisão.

Deixe um comentário