O Conselho de Administração da BR Distribuidora vem informar que mediante aprovação firmou, juntamente com outros credores, Acordo de Renegociação de Dívida (“Acordo”) com a Companhia de Eletricidade do Amapá (“CEA”).

O fato relevante foi feito pela empresa (BOV:BRDT3), nesta terça-feira (11). Confira o comunicado na íntegra.

O Acordo, para produzir efetivo impacto no resultado da Companhia, dependerá das seguintes condições: a realização da licitação para privatização da CEA até 30 de junho de 2021 e  a realização da transferência de controle acionário da CEA, decorrente da privatização, até 31 de dezembro de 2021.

Atendidas as condicionantes contratuais, o Acordo gerará impacto positivo no resultado da Companhia, uma vez que os débitos se encontravam completamente provisionados.

O impacto estimado será de cerca de R$ 353 milhões, composto como se segue:

• R$ 169 milhões por meio do recebimento de uma primeira parcela de aproximadamente R$ 71,8 milhões e mais 23 (vinte três) parcelas mensais no valor de aproximadamente R$ 4,2 milhões, acrescidas de atualização monetária equivalente à variação do CDI + 2,7% ao ano, incidentes sobre o saldo devedor;

• R$ 184 milhões por meio de cessão de recebíveis da ANEEL, sujeitos à atualização monetária, que estão sendo pagos mensalmente à CEA até dezembro de 2021 e serão objeto de cessão total à Cia, sujeito à condição resolutiva mencionada.

O Acordo, uma vez atendidas as condicionantes contratuais, também encerrará litígio fiscal com o Estado do Amapá conforme indicado no Formulário de Referência.

Por tratar-se de passivo contingente, a quitação deste débito gerará impacto líquido nulo no resultado. A concretização do referido Acordo representa mais um importante passo na recuperação de recebíveis da Companhia, além de contribuir para sua geração de caixa.

A BR reitera seu compromisso de manter seus acionistas e o mercado em geral oportuna e devidamente informados.

Forte resultado com lucro líquido de R$ 3,9 bilhões em 2020, alta de 76,5%

A BR Distribuidora registrou lucro liquido de R$ 3,905 bilhões em 2020, alta de 76,6% na comparação com 2019.

O Ebitda ajustado atingiu R$ 3,811 bilhões em 2020, aumento de 21,7% na comparação com 2019. Em 2020, o Ebitda atingiu R$ 5,103 bilhões, ante R$ 1,841 bilhões em 2019.

A margem Ebitda subiu 33%, para R$ 104 o m3. De acordo com a companhia, o alcance de um novo patamar de margens foi possível graças ao aumento de eficiência de despesas, que alcançou a marca de R$ 1 bilhão ao ano de redução em comparação com 2019.

A companhia explica que 2020 foi o primeiro ano completo desde a sua privatização e, mesmo com todos os desafios impostos pela pandemia, conseguiu avançar rapidamente em sua agenda de transformação.

PETROBRAS BR ON (BOV:BRDT3)
Gráfico Histórico do Ativo
De Jun 2021 até Jul 2021 Click aqui para mais gráficos PETROBRAS BR ON.
PETROBRAS BR ON (BOV:BRDT3)
Gráfico Histórico do Ativo
De Jul 2020 até Jul 2021 Click aqui para mais gráficos PETROBRAS BR ON.