A agência de classificação de risco Moody’s afirmou a nota de crédito ‘Baa3’ da Gerdau, as notas seniores sem garantia garantidas por Baa3 da GTL Trade Finance Inc. (garantidas pela Gerdau S.A. e suas subsidiárias operacionais no Brasil) e os títulos de receita de descarte de resíduos sólidos garantidos por Baa3 emitidos pela St. Authority, MN (garantida pela Gerdau S.A.) A perspectiva da Gerdau e da GTL Trade Finance Inc. permanece estável.

Segundo a agência, o rating Baa3 da Gerdau (BOV:GGBR3) (BOV:GGBR4) é sustentado pela geração de caixa historicamente sólida da empresa, que reflete sua forte posição de mercado nos mercados onde atua, sua boa diversidade operacional e geográfica, sua gestão orientada a custos, sua estrutura flexível de custos mínimos e suas políticas financeiras conservadoras.

“Apesar dos ambientes operacionais voláteis, a Gerdau gerou fluxo de caixa livre (FCF) positivo desde 2013 e foi capaz de reduzir significativamente os níveis de dívida e fortalecer as métricas de crédito, utilizando parcialmente os recursos provenientes de desinvestimentos de ativos”, comentou a Moody’s.

O rating da Gerdau é limitado pela exposição da empresa à indústria siderúrgica cíclica, especialmente no Brasil (rating soberano é Ba2, com perspectiva estável) e nos Estados Unidos (EUA, Aaa negativo); e exposição à volatilidade cambial, já que mais da metade do seu fluxo de caixa é gerado no Brasil e em outros países da América Latina.

“O desempenho operacional da Gerdau deteriorou-se em 2023, a partir de níveis fortes em 2022 e 2021 , com as operações no Brasil enfrentando pressão de preços da concorrência com importações, o impacto da desvalorização cambial na Argentina e nos EUA beneficiando-se de fundamentos sólidos, principalmente para a indústria da construção, e spreads de metal saudáveis”, avalia a agência.

Para 2024, a Moody’s espera que os recentes projetos do Brasil no setor de construção residencial e infraestrutura apoiarão a demanda por aços longos, mesmo que os preços e a lucratividade continuem pressionados pela concorrência com as importações. Nos EUA, a lei da infraestruturas e a lei de redução da inflação, e uma concorrência mais racional apoiarão a procura e a rentabilidade, apesar do crescimento global mais fraco.

“O segmento de aços especiais continuará se beneficiando da recuperação da produção automotiva, principalmente com a lei norte-americana de chips, e dos investimentos em energias renováveis”, prevê a agência.

A alavancagem ajustada pela Moody’s da Gerdau permaneceu abaixo de 1x desde 2021 (0,9x em 2023) em relação ao pico de 6,2x em 2015, e permanecerá mais forte do que os níveis históricos até 2025, devido à dinâmica positiva da indústria no Brasil e nos EUA e menores saldos de dívida. No entanto, a rentabilidade continuará pressionada, especialmente no Brasil; devido à concorrência das importações e às pressões relacionadas com os custos, como o carvão de coque, o minério de ferro, a sucata e a mão-de-obra.

A Moody’s espera que a Gerdau mantenha uma liquidez robusta e uma alavancagem ajustada entre lx-2x durante os ciclos de commodities.

Informações Agência CMA
GERDAU PN (BOV:GGBR4)
Gráfico Histórico do Ativo
De Abr 2024 até Mai 2024 Click aqui para mais gráficos GERDAU PN.
GERDAU PN (BOV:GGBR4)
Gráfico Histórico do Ativo
De Mai 2023 até Mai 2024 Click aqui para mais gráficos GERDAU PN.