IPCA-15: Prévia da inflação oficial desacelera para 0,92% em Janeiro de 2016

LinkedIn

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15) do primeiro mês de 2016 apresentou oscilação mensal de 0,92%. Essa taxa de variação é 0,26 ponto porcentual menor que a valorização registrada no mês anterior (1,18%) e 0,03 ponto porcentual superior a taxa registrada em janeiro de 2015 (0,89%). A inflação do primeiro mês de 2016 foi a maior variação mensal registrada para meses de janeiro desde 2003, quando bateu 1,98%. Na taxa anualizada, o IPCA-15 acumula uma alta de 10,74%, sendo 3,97 pontos porcentuais acima do acumulado em janeiro de 2015, quando atingiu 6,77%, e o mais elevado acumulo anual desde 2002 (11,99%).

Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, sete apresentaram desaceleração em comparação ao mês anterior: Alimentação e bebidas (de 2,02% para 1,67%), Artigos de residência (de 0,60% para 0,48%), Vestuário (de 0,73% para 0,49%), Transportes (de 1,76% para 0,87%), e  Educação (de 0,32% para 0,28%), Habitação (de 0,69% para 0,57%), Comunicação (de 0,87% para 0,11%).

Por sua vez, aceleraram: Despesas pessoais (de 0,56% para 1,00%), Saúde e cuidados pessoais (de 0,61% para 0,66%).

Mesmo desacelerando em relação ao mês anterior, o mais elevado resultado entre os grupos ficou com Alimentação e Bebidas (1,67%).

 

Variação de preços relacionados à Alimentação e Bebidas

Vários produtos alimentícios continuaram com aumento de preços e alguns deles mostraram alta significativa: cenoura (23,94%), tomate (20,19%), cebola (15,07%), feijão carioca (8,95%), açúcar refinado (7,81%) e cristal (6,67%) e batata-inglesa (7,32%).

 

Variação de preços relacionados à Despesas Pessoais

O grupo Despesas Pessoais foi a segunda maior variação de janeiro de 2016: aumento de 1,00%. As maiores influências foram: excursão (7,07%), manicure, (2,17%), cigarro (1,51%), cabeleireiro (1,14%) e empregado doméstico (0,77%).

 

Variação de preços relacionados à Transportes

O grupo Transportes (0,87%) teve forte desaceleração em relação a dezembro (1,76%), já que o item passagens aéreas (36,54% em dezembro) mostrou queda em janeiro (-5,79%). Nesse grupo, os combustíveis (1,26%) deram a principal contribuição individual no índice do mês (0,07 ponto porcentual). O litro da gasolina ficou 1,25% mais caro, enquanto o litro do etanol subiu 1,56%.

Além dos combustíveis (1,26%), houve pressão do transporte público (1,12%) tendo em vista reajustes que se concentraram no mês de janeiro em algumas regiões nas tarifas dos ônibus urbanos, cuja variação ficou em 1,92%, dos intermunicipais, que foi para 2,65%, do táxi, com 1,47%. As variações mais agudas regionalmente para ônibus urbano foram no Rio de Janeiro, 4,41%, Salvador, 3,96%, Belo Horizonte, 2,94% e São Paulo, 1,43%. As variações mais acentuadas de ônibus intermunicipal foram em Fortaleza, 8,30% e Belo Horizonte, 5,57%. As maiores variações de táxi, foram em Recife, 4,12%, Rio de Janeiro, 3,39% e Curitiba, 3,31%.

 

Variação de preços por Região

O maior índice regional foi o de Fortaleza (1,20%). O menor índice foi o da região metropolitana de Curitiba (0,53%):

– O índice de preços aferido no Rio de Janeiro registrou alta de 1,67% em dezembro e alta de 1,14% em janeiro (diferença de variação de 0,53%).

– O índice de preços aferido em São Paulo registrou alta de 0,99% em dezembro e alta de 0,95% em janeiro (diferença de variação de -0,04%).

– O índice de preços aferido em Goiânia registrou alta de 1,58% em dezembro e alta de 0,74% em janeiro (diferença de variação de -0,84%).

– O índice de preços aferido em Porto Alegre registrou alta de 1,18% em dezembro e alta de 1,02% em janeiro (diferença de variação de -0,16%).

– O índice de preços aferido em Fortaleza registrou alta de 1,37% em dezembro e alta de 1,20% em janeiro (diferença de variação de -0,17%).

– O índice de preços aferido em Belo Horizonte registrou alta de 0,79% em dezembro e manteve 0,79% em janeiro (leve diferença de variação de 0,00%).

– O índice de preços aferido em Belém registrou alta de 1,47% em dezembro e alta de 0,97% em janeiro (diferença de variação de -0,50%).

– O índice de preços aferido em Curitiba registrou alta de 1,29% em dezembro e alta de 0,53% em janeiro (diferença de variação de -0,76%).

– O índice de preços aferido em Salvador registrou alta de 1,20% em dezembro e alta de 0,97% em janeiro (diferença de variação de -0,23%).

– O índice de preços aferido em Brasília registrou alta de 1,29% em dezembro e alta de 0,68% em janeiro (diferença de variação de -0,61%).

– O índice de preços aferido em Recife registrou alta de 1,06% em dezembro e alta de 0,91% em janeiro (diferença de variação de -0,15%).

Deixe um comentário