Natura (NTCO3) 1T20: Prejuízo líquido de R$ 820,8 milhões

LinkedIn

A Natura reportou prejuízo líquido de R$ 820,8 milhões de reais no primeiro trimestre (1T20), valor dez vezes maior em comparação com igual período do ano anterior. O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) foi de R$ 145,3 milhões de reais, apresentando retração de 75,5% no comparativo com o 1t19. 

A empresa de produtos de perfumaria, com valor de mercado hoje de 40,2 bilhões, é negociada na B3 através do papel: (BOV:NTCO3)

A Natura, controladora das marcas Avon, Natura, The Body Shop e Aesop, disse que se não fossem considerados os custos não recorrentes relativos à compra da Avon, a métrica de alavancagem cairia para 3,8x. A dívida líquida/EBTIDA foi de 4,9x no final do trimestre. A empresa gastou R$ 500 milhões com despesas da aquisição da Avon.

A receita operacional líquida da Natura atingiu R$ 7,518 bilhões entre janeiro e março, avanço de 1,9%, sobre o mesmo período do ano anterior.

A companhia terminou o trimestre com R$ 4,6 bilhões em caixa bruto e, esta semana, levantou mais R$ 750 milhões em linhas de até um ano (R$ 500 milhões na holding e R$ 250 milhões na Natura Cosméticos, a operação brasileira).

A empresa divulgou o resultado do primeiro trimestre no dia 07/05/2020. Confira o release.

+ Confira o calendário de divulgação de resultados do 1T20 das empresas listadas na Bolsa de Valores.

Efeito Coronavírus e Teleconferência

A Natura &Co vê sinais de recuperação nas operações da Ásia e de alguns países na Europa, conforme as lojas começam a reabrir gradualmente depois de paralisações causadas pelo novo coronavírus.

“O ambiente continua sendo desafiador, com as medidas de distanciamento social e de lockdown ainda tendo impacto nos nossos negócios, particularmente na América Latina”, disse o presidente-executivo do conselho, Roberto Marques, em uma teleconferência na manhã de sexta-feira (08).

A empresa terminou o 1T20 com posição de caixa de 4,6 bilhões de reais e a fabricante de cosméticos garantiu também uma linha de crédito de 750 milhões de reais. O conselho ainda aprovou aumento de capital de até 2 bilhões de reais mediante de emissão de ações ordinárias a 32 reais por papel para subscrição privada. O investidor tem preferência até 12 de junho no aumento de capital.

”Isso nos dá confiança para atravessa a crise em eventual piora do cenário, mas caso melhore nós podemos investir até mais cedo em áreas que queremos estrategicamente avançar em crescimento”, explicou o executivo em entrevista concedida à Reuters.

A Natura está dobrando as apostas depois de um aumento de mais de 250% nas vendas online totais durante a pandemia. O comércio eletrônico de Natura e Avon combinadas cresceu acima de 150% nas últimas semanas, enquanto o da marca britânica The Body Shop disparou mais de 300% e o da Aesop mais de 500%.

“Mesmo com a reabertura de lojas na Ásia e em alguns países da Europa, a resposta ao nosso comércio eletrônico tem sido incrível e não esperamos que as vendas online voltem ao ritmo observado antes da crise”, afirmou Marques

O executivo ressaltou que a empresa planeja levar a marca Natura para países da América Latina onde apenas a Avon opera e também vem trabalhando duro em iniciativas de venda cruzada tanto para consultores de vendas quanto clientes.

“O modelo multicanal da Natura &Co demonstrou resiliência durante a pandemia de covid-19, com forte crescimento em vendas sociais digitais e e-commerce”, disse Marques aos analistas. Como resultado da compra da Avon Products, a Natura &Co tornou-se líder em vendas de itens de higiene pessoal, cosméticos e perfumaria na América Latina.

Com a previsão baseada em um câmbio de 5 reais por dólar, a empresa agora prevê gasto de 190 milhões de dólares para alcançar essas sinergias, acima dos 125 milhões de dólares esperados anteriormente.

Como foi o desempenho das ações

Em 2020, o papel oscilou entre a mínima de R$ 20,44 e R$ 72,58 na máxima. Até o momento, a empresa desvalorizou 36,38%.

Desconsiderando amortizações, a empresa pagou R$ 0,1278 em proventos no valor bruto dos proventos com DATA COM entre 06/05/2019 e 05/05/2020 com Dividend Yield de 0,38%.

A visão do mercado

BB Investimentos

BB Investimentos consideraram os resultados do 1T20 fracos, com a epidemia afetando as operações da Natura&Co de forma progressiva.

BB Investimentos mantém recomendação market perform com preço-alvo de R$ 36,20.

BTG Pactual

Analistas do BTG Pactual citaram “sentimentos mistos” em relação à empresa.

“Em geral, mantemos o nosso rating em neutro devido aos desafios de revitalização da marca The Body Shop, enquanto aguardamos sinais mais claros da recuperação da Avon antes de assumirmos uma visão mais construtiva sobre o investimento”, escreveram os analistas Luiz Guanais e Gabriel Savi em relatório.

O BTG Pactual mantém recomendação neutra com preço-alvo em R$ 40,00 para 2020.

Eleven financial e JP Morgan

A Eleven mantém recomendação neutra com preço-alvo de R$ 40,00 por ação ao final de 2020.

Já a JP Morgan mantém recomendação underweight mas corta preço-alvo de R$ 39,00 para R$ 30,00.

Quem é a Natura & Co

A Natura atua na produção e comercialização de prosutos de beleza e higiene. Possui uma rede de 1,7 milhão de consultoras, 45 lojas próprias além de seus produtos presentes em 4 mil farmácias. Foi fundada em 1969 e se destaca hoje na atuação ambiental.

 

Ativos Reais que rendem de 15% a 20%. Até agora, essas chances eram restritas a investidores milionários e institucionais.

Deixe um comentário