Mercado Diário: Ibovespa fecha em alta impulsionado por ativos do setor de construção

LinkedIn

São Paulo, 23 de Agosto de 2013 – O Ibovespa fechou o pregão desta sexta-feira em alta de mais de 1%, impulsionado por ações do setor de construção e com investidores monitorando a reação do mercado de câmbio às medidas do governo para tentar conter a escalada do dólar.

O Ibovespa subiu 1,56%, fechando cotado em 52.197 pontos –  seu maior patamar das últimas onze semanas.

As ações das empresas construtoras Rossi, Gafisa e PDG lideraram as altas do dia, com valorização de mais de sete por cento. O dia também foi marcado pela queda das taxas de juros futuros e do dólar.

O dólar fechou em forte queda no pregão desta sexta-feira, cotado a R$ 2,3534, reagindo ao anúncio do Banco Central na noite da véspera, de intervir diariamente no câmbio, num programa potencial de 60 bilhões de dólares até o fim do ano. A trajetória da divisa norte-americana também puxou os juros para baixo diante do menor temor de pressão inflacionária provocada pela variação cambial.

Com a descompressão do câmbio, há também uma menor pressão para o Banco Central estender o ciclo de aperto monetário. Consequentemente, os juros caíram forte, o que favoreceu o desempenho das ações do setor de construção.

A Petrobras também encerrou o dia em alta de mais de 1%, após ter subido mais de 5% na sessão anterior. A ação seguiu reagindo à expectativa do mercado por um reajuste nos preços de combustíveis, mesmo após o governo ter negado que esteja previsto um reajuste automático em função da alta do dólar.

Em contrapartida, registraram queda nesta sessão os papéis de empresas exportadoras como CSN, Gerdau, Suzano e Fibria. Os papéis tiveram um dia de realização após terem sido favorecidas recentemente pela alta do dólar.

 

Deixe um comentário