Mercado Diário: Ibovespa sobe forte após Federal Reserve decidir manter sua política de estímulo à economia

LinkedIn

São Paulo, 18 de Setembro de 2013 – O principal índice de ações da bolsa de valores brasileira registrou forte valorização nesta quarta-feira, impulsionado pela decisão do banco central norte-americano de manter o ritmo do programa de compra de títulos públicos e hipotecários, que tem favorecido as bolsas de valores de países emergentes.

O Ibovespa subiu 2,64%, fechando cotado em 55.705 pontos – o maior patamar desde o dia 22 de maio de 2013. O giro financeiro do pregão foi de R$ 8,3 bilhões.

O Federal Reserve (Fed) anunciou nesta quarta-feira que continuará comprando títulos ao ritmo de US$ 85 bilhões por mês, surpreendendo os mercados financeiros, que esperavam uma redução no estímulo econômico. (Leia mais)

A aposta majoritária do mercado era que a autoridade monetária americana anunciasse nesta reunião uma redução entre US$ 10 bilhões e US$ 15 bilhões do programa de estímulos à economia americana. No comunicado após a reunião, o Fed afirmou que decidiu esperar por mais evidência de que o progresso será sustentado, antes de ajustar o ritmo de suas compras e disse ainda que suas compras de bônus não estavam em um curso pré-determinado.

Depois de uma abertura melancólica e da falta de rumo e volume até o início da tarde, o mercado brasileiro tratou de subir, reagindo à surpresa preparada pelo Fed. Entre as ações de maior peso no índice, a OGX (OGXP3) disparou 10,0%, para R$ 0,44; a Petrobras PN (PETR4) subiu 1,99%, a R$ 18,90, enquanto que a Vale PNA (VALE5) terminou praticamente estável (0,06%), a R$ 33,00.

Como consequência do tombo do dólar, os ADRs (recibos de ações) brasileiros negociados na bolsa de Nova York dispararam, abrindo grande espaço para arbitragem com os papéis locais. Muitos investidores institucionais aproveitaram algumas oportunidades para vender ações na BM&FBovespa e recomprar ADRs na NYSE. O recibo da Petrobras ON (PBR) valorizou-se 4,75%, a US$ 16,33, e o recibo da Vale ON (VALE) avançou 3,40%, a US$ 16,71.

A lista de maiores altas do Ibovespa trouxe as empresas de Eike Batista LLX ON (9,83%) e MMX ON (7,06%); as construtoras Rossi ON (8,58%), Gafisa ON (5,86%) e PDG Realty ON (3,92%); e as empresas de consumo B2W ON (7,05%), Lojas Americanas PN (5,34%), Hypermarcas (4,52%) e Pão de Açúcar PN (4,20%).

Na ponta negativa ficaram Embraer ON (-2,41%), Braskem PNA (-0,64%) e também as elétricas Light ON (-2,52%), Cemig PN (-1,02%) e Copel PNB (-0,80%). As possíveis regras em estudo pelo governo para a renovação dos contratos de concessão das distribuidoras de energia influenciaram negativamente as ações do setor. Entre as empresas mais atingidas do setor estão a paranaense Copel e a mineira Cemig, cujas distribuidoras têm contrato de concessão com vencimento em 2015 e 2016, respectivamente. Outra companhia que deve sofrer impacto é a Eletrobras, que possui seis distribuidoras com prazo de concessão vencendo até 2017.

 

 

Deixe um comentário