INCC-M registra variação de 0,66% em Julho de 2015

LinkedIn

O Índice Nacional de Custo da Construção – Mercado (INCC-M) registrou elevação de 0,66% em julho de 2015, mostrando desaceleração ante a alta de 1,87% aferida em junho de 2015. O INCC-M é calculado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), com base nos preços de materiais, equipamentos, serviços e mão de obra utilizados no setor de construção civil, coletados entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência.

São Paulo, 28 de Julho de 2015 – O grupo formado por materiais, equipamentos e serviços registrou variação positiva de 0,17% em julho, após o avanço de 0,47% apurado na leitura do mês anterior. O subgrupo relativo a materiais e equipamentos subiu 0,15% neste mês, ante 0,53% registrado em junho. O subgrupo referente a serviços, por sua vez, teve elevação de 0,23% em julho, contra 0,27% aferido no sexto mês do ano.

Três dos quatro itens componentes do subgrupo materiais e equipamentos contribuíram para a redução da alta do índice em julho, na comparação com o mês anterior: materiais para estrutura (-0,07% x 0,30%), materiais para acabamento (0,45% x 0,76%) e materiais para instalação (0,12% x 1,03%). O outro item, equipamentos para transporte de pessoas (0,72% x 0,39%), registrou aceleração da alta em julho, na comparação com junho.

Dois dos três itens componentes do subgrupo serviços registraram taxas superiores em julho de 2015 do que em junho de 2015: aluguéis e taxas caíram -0,07% em junho e subiram para 0,02% em julho; enquanto que serviços técnicos subiram 0,27% em junho e 0,36% em julho. Apenas serviços pessoais caíram mais no mês atual do que no anterior: 0,76% em junho e 0,36% em julho.

Já o grupo relativo à mão de obra registrou oscilação de 1,10% no sétimo mês de 2015. Em junho, a taxa de variação havia sido de 3,16%. Todos os três itens componentes do grupo mão de obra contribuíram para a forte desaceleração da valorização do INCC-M aferida neste mês: o item mão de obra especializada subiu 3,19% em junho e 0,90% em julho; e o item mão de obra técnica subiu 3,27% em junho e 1,18% em julho. O item mão de obra auxiliar também desacelerou, subindo 1,09% em julho, ante 3,04% em junho.

Cinco capitais apresentaram desaceleração em suas taxas de variação: Salvador, São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Recife. Em contrapartida, Brasília e Porto Alegre registraram aceleração.

Notícias relacionadas

INCC-M fecha Julho de 2015 em alta e acumula valorização de 6,48% nos últimos 12 meses

Custos com carpinteiro e condutores elétricos puxam alta do INCC-M em Julho de 2015

Brasília foi a cidade que registrou a maior alta nos custos da contrição civil em Julho de 2015

Deixe um comentário