Os 100 dias de Donald Trump à frente do governo dos EUA

LinkedIn

O presidente Donald Trump completou, no último sábado (29), a marca de 100 dias de governo nos Estados Unidos, marcados pelo aumento da tensão geopolítica envolvendo o país e por dificuldades para aprovação de grandes projetos, mas também por mudanças positivas para os EUA. Confira alguns dos principais destaques dos 100 primeiros dias de Trump à frente da presidência do maior país do mundo.

Donald Trump iniciou seu governo prometendo a remoção de restrições regulatórias em diversos setores, corte maciço de impostos, tarifas sobre importação de empresas norte-americanas que produzem no exterior, revogação do sistema de saúde Obamacare, aprovação de um pacote de infraestrutura de US$ 1 trilhão, entre outras grandes medidas. Muitas destas medidas não foram ainda discutidas ou aprovadas pelo Congresso – como a substituição do Obamacare, conforme previa o presidente, mas algumas promessas saíram, efetivamente, do papel nestes primeiros 100 dias de governo.

 

Os 100 dias de Trump

O costume de realizar um balanço de 100 dias de governo começou com o ex-presidente norte-americano Franklin Roosevelt, em 1933, com o objetivo de avaliar os resultados da implementação da sua política do “New Deal” no Congresso. Até o dia 29 de abril – data do 100º dia de Trump na presidência, 30 ordens executivas haviam sido assinadas pelo presidente. Nestes primeiros meses, Trump reverteu regulamentos de Obama em diversas frentes, relacionados à poluição, privacidade na internet e outras, e revogou o regulamento da Dodd-Frank, desonerando o sistema financeiro.

Reuniões com empresários e diretores de grandes companhias também foram destaque nestes primeiros 100 dias de governo: a Casa Branca recebeu cerca de 14 reuniões nos últimos três meses, que contaram com a presença de quase 100 diretores executivos de empresas norte-americanas dos mais diferentes setores, a fim de buscar alternativas para fomentar negócios e gerar empregos dentro do país.

 

100 dias na Economia e no Mercado Financeiro

No mercado financeiro, os resultados foram positivos: nos primeiros 30 dias de governo, um intenso rali tomou conta de Wall Street, na maior sequência de ganhos dos últimos 25 anos. O S&P 500 subiu 11,7% desde a eleição de Trump, enquanto os índices Dow Jones e Nasdaq Composite bateram recordes históricos nos primeiros meses do ano.

Na economia, os 100 dias de governo de Trump não trouxeram tantos motivos a comemorar: a economia cresceu apenas 0,7% no primeiro trimestre do ano, após um forte crescimento de 2,1% no trimestre anterior, enquanto a média de adição de empregos mensal ficou em 178 mil, ante 187 mil registrados no mesmo período em 2016. Os  ganhos trimestrais em empregos no setor de manufatura, no entanto foram os mais altos desde 2014 nestes primeiros 100 dias de Trump no governo.

 

100 dias no Mundo

Os primeiros meses de Trump na presidência também foram marcados pelo aumento da tensão geopolítica com a Coreia do Norte e Rússia, mas também pela improvável aproximação entre EUA e China. No início de abril, Donald Trump autorizou o lançamento de dezenas de mísseis  na Síria, em resposta a um ataque com armas químicas contra civis em território sírio.

Na mesma época, Trump recebeu em Washington o presidente da China, Xi Jinping, com o qual retomou conversas delicadas, envolvendo o comércio entre os dois países e a Coreia do Norte. Menos de duas semanas depois, Donald Trump também autorizou o lançamento da “mãe de todas as bombas” no Afeganistão, com a finalidade de combater grupos extremistas na região.

 

Os próximos 1.360 dias

Os primeiros 100 dias de Trump na Casa Branca foram marcados por desafios, perdas e ganhos nos mais diversos aspectos. Passado este período, Trump deverá continuar a travar batalhas intensas para acelerar e aprovar, em parceria com o Congresso, promessas de campanha de grandes proporções, como o corte de impostos para empresas e cidadãos, a aprovação do pacote de infraestrutura de US$ 1 trilhão, a revogação do Obamacare, entre outras propostas, que deverão ter grande impacto no futuro do país.

Os resultados destas próximas batalhas para aprovação de importantes medidas para os EUA serão fundamentais para mostrar a força de Trump e sua capacidade de cumprir promessas de campanha. E serão estes mesmos resultados que ajudarão a ditar o ritmo do crescimento do país e a manutenção da confiança dos mercados nos próximos 1.360 dias de Trump como presidente da maior economia do mundo.

 

*Escrito por Luana Neves, colaboradora da Liberta Global.

Deixe um comentário