Petrobras pode ampliar mais a produção que similares do México e Colômbia, afirma Moody’s

LinkedIn

A Petrobras (BOV:PETR3) (BOV:PETR4) é a mais bem posicionada entre as companhias nacionais Petroleos Mexicanos (Pemex) e Ecopetrol, da Colômbia, para investir e ampliar a produção, com uma ampla base e propriedade de reservas e tecnologia comprovada de produção de petróleo em águas ultra profundas. A conclusão é da Moody’s Investors Service, que publicou hoje um  relatório comparando as métricas de crédito, ambientes operacionais e vida das reservas das estatais dos três países latino-americanos. A Pemex tem rating Baa3 e perspectiva negativa, a Petrobras, Ba3 e perspectiva estável e a Ecopetrol Baa3, estável.

Segundo a Moody’s, as métricas de crédito, dependência do governo e ambientes operacionais variam amplamente para as três principais companhias de petróleo da América Latina, afirma a analista da Moody´s Nymia Almeida. As três passam por grandes transformações em termos de competitividade, necessidades de investimento e governança corporativa.

A Moody’s constatou que a Pemex é a companhia que tem mais probabilidade de receber suporte de seu governo em caso de necessidade, uma vez que é uma grande fonte de receitas para o México – em 2016 ela respondeu pelo equivalente a 12,8% do orçamento do país – e tem agenda extremamente ligada à do governo. Tanto a Ecopetrol como a Petrobras são listadas em bolsa e estão sob uma influência governamental muito menor.

Embora as três companhias nacionais de petróleo sejam controladas por seus respectivos governos, 39% das ações com direito a voto da Petrobras e 11,5% das da Ecopetrol estão em circulação, o que aumenta o escrutínio externo e reduz a influência dos governos sobre as políticas e governança das companhias, avalia a agência.

O planejamento da produção e dos programas de investimento também varia significativamente. A Petrobras é a mais bem posicionada entre as companhias nacionais de petróleo para investir e ampliar a produção. A Pemex planeja expandir a produção por meio de investimentos do setor privado e deve se beneficiar de leis de energia relativamente novas que aliviam a carga fiscal da companhia à medida que ela investe com terceiros.

Já a Ecopetrol reduziu os custos operacionais, se associou a grandes companhias de petróleo e planeja investir em reservas não convencionais para ampliar a produção de petróleo o mais rápido possível. A Moody´s espera que esse processo sofra atrasos devido aos grandes riscos de execução tecnológica na descoberta e na produção de petróleo.

Em relação às métricas de crédito, a Ecopetrol é a mais bem posicionada, mas deve investir pesadamente para substituir reservas uma vez que a tem a menor vida útil entre as companhias analisadas – 6,7 anos de potencial de produção remanescente contra 7,8 anos e 10,5 anos para Pemex e Petrobras respectivamente.

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.