Coréia do Sul pede para que 23 países, UE e FMI colaborarem para acabar com a transação de criptomoedas

LinkedIn

O governo da Coreia do Sul pediu para instituições financeiras de 23 países e 12 organizações, incluindo a União Europeia e o Fundo Monetário Internacional (FMI), que trabalhem em conjunto para interromper as transações de criptomoedas no mundo. O pedido foi feito pelo vice-presidente da Comissão de Supervisão Financeira da Coréia do Sul (FSC, em inglês), Kim Yong-bum, durante  a reunião do Comitê Diretivo do Conselho de Estabilidade Financeira (FSB, em inglês) na Suíça.

O FSB é uma organização internacional, composta por 24 países e 12 entidades, que monitora e faz recomendações sobre o sistema financeiro global.

Durante a reunião, o Conselho discutia “a evolução de reformas regulatórias, incluindo moedas virtuais, e medidas de mitigação contra cibercrimes e cibersegurança”. Assim, durante o discurso sobre como as transações cibernéticas estão sendo usadas para lavagem de dinheiro e outros crimes, Kim pediu por uma coalização internacional para coibir transações de criptomoedas e alegou que já é hora para um debate em escala global sobre o assunto.

“A moeda virtual é muito arriscada para ignorar … Melhoraremos a transparência, evitaremos a propagação de transações especulativas e evitaremos a lavagem de dinheiro”, alegou o vice-presidente do FSC durante seu discurso. “Devemos apoiar as contramedidas de moeda virtual integrando e compartilhando informações relevantes, como os conteúdos e os efeitos da regulação monetária virtual de cada país”.

Informações traduzidas do site News Bitcoin.

Deixe um comentário