Preços de imóveis caíram 0,10% no ano até maio, diz FipeZap; perda real é de 1,31%

LinkedIn

O Índice FipeZap – que monitora o comportamento do preço de venda de imóveis residenciais em 20 cidades brasileiras – encerrou maio praticamente estável, com variação de -0,01%. Com isso, os preços não acompanharam a inflação esperada para o mês, de 0,30%, segundo projeção do Boletim Focus do Banco Central para o IPCA (IBGE).

No ano, o índice acumula queda de 0,10%, o que corresponde a uma perda real de 1,31% considerando a inflação do IPCA no período, de 1,23%. Em 12 meses, os preços anunciados de imóveis caem 0,56%, com uma perda real de 3,22% se considerada a inflação estimada em 2,75% pelo IPCA.

Em São Paulo, os preços médios dos imóveis subiram 0,24% em maio, acelerando em relação ao 0,19% de abril e acumulando 0,94% no ano. Em 12 meses, os imóveis na maior cidade brasileira subiram 1,66%.

Apesar de positivos, os preços subiram menos que a inflação dos períodos, o que mostra que o mercado imobiliário ainda segue fraco, acompanhando a recuperação lenta da economia. O que torna o momento bom para os compradores que têm dinheiro na mão negociarem descontos.

Em maio, o comportamento dos preços residenciais não foi homogêneo entre as cidades monitoradas pelo Índice FipeZap. Avaliadas individualmente, 11 das 20 cidades registraram aumento de preço no período, sendo que as altas mais expressivas foram observadas em São Caetano do Sul (+0,41%), Fortaleza (+0,39%) e Vitória (+0,27%). Entre 9 cidades que apresentaram queda nominal no preço, o recuo foi mais expressivo no Rio de Janeiro (-0,46%), em Salvador (-0,44%) e Niterói (-0,24%).

No ano, 8 das 20 cidades registraram queda nominal no preço de venda residencial, com destaque para Rio de Janeiro (-1,60%), Distrito Federal (-1,57%) e Niterói (-0,93%). Entre as cidades que apresentaram aumento no preço de venda residencial, a alta observada foi mais expressiva em São Caetano do Sul (+2,54%), Vila Velha (+1,64%) e Florianópolis (+1,04%).

Já em 12 meses, a maior queda também foi do Rio de Janeiro (-4,71%), seguido pelo Distrito Federal (-3,86%) e Niterói (-1,98%). Considerando aquelas em que houve aumento de preço, as maiores variações foram em Florianópolis (+4,78%), Vitória (+2,25%) e Recife (+1,85%).  A FipeZap destaca que apenas em Florianópolis a alta no preço dos imóveis superou a inflação acumulada em 12 meses (+2,75%). Com os resultados supracitados, o Índice FipeZap acumula queda real de 3,22% nos últimos 12 meses.

O preço médio de venda residencial em maio nas 20 cidades monitoradas foi de R$ 7.543/m². Rio de Janeiro se manteve como a cidade com o metro quadrado mais caro do país (R$ 9.596/m²), seguida por São Paulo (R$ 8.755/m²) e Distrito Federal (R$ 7.725/m²). Já as cidades monitoradas com menor valor médio por m² foram Contagem (R$ 3.498/m²), Goiânia (R$ 4.122/m²) e Vila Velha (R$ 4.715/m²).

 

Deixe um comentário