IGP-10 reduziu a alta a 0,07% em maio, diz FGV

LinkedIn

A alta dos preços no atacado arrefeceu acentuadamente e os preços ao consumidor passaram a cair em maio, reduzindo a alta do Índice Geral de Preços-10 (IGP-10) a 0,07%, após ganho de 1,13% em abril, informou nesta segunda-feira a Fundação Getulio Vargas (FGV).

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) subiu 0,25% em maio. Um mês antes, o índice havia registrado alta de 1,52%. Na análise por estágios de processamento, os preços dos Bens Finais foram de queda de 0,09% em abril para recuo de 0,20% um mês depois. A principal contribuição para este resultado partiu do subgrupo alimentos in natura, cuja taxa passou de 8,33% para 2,11% de aumento. Bens Intermediários deixaram queda de 0,08% em abril para recuo de 1,14% em maio enquanto as Matérias-Primas Brutas foram de alta de 4,94% para 2,11%.

Segundo a FGV, as principais colaborações para esse movimento vieram dos grupos Bens Finais e Bens Intermediários, que caíram 0,20% e 1,14% em maio, respectivamente.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) caiu 0,51% em maio. Em abril, o índice havia registrado elevação de 0,33%. Todas as classes de despesa componentes do índice tiveram decréscimo em suas taxas de variação, com destaque para Transportes (-0,68% para -2,66%), na qual vale mencionar o comportamento do item gasolina, cuja taxa passou de 2,74% de baixa para 8,49% de recuo.

O destaque foi o grupo Transportes, cuja queda passou de 0,68% para 2,66%. A principal razão para essa leitura foi a queda de 8,49% nos preços da gasolina em maio, resultado do arrefecimento da demanda por combustíveis em meio à pandemia de coronavírus.

Mas, em nota, André Braz, Coordenador dos Índices de Preços da FGV, disse que “as próximas edições do IGP repercutirão os aumentos do preço da gasolina, que já totalizam alta de 22% nas refinarias em maio, contribuindo para a aceleração da inflação ao produtor e ao consumidor”.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) apresentou incremento de 0,19% em maio, ante 0,29% em abril. Os três grupos componentes do INCC registraram as seguintes variações na passagem de um mês para outro: Materiais e Equipamentos (0,56% para 0,52%), Serviços (0,10% para -0,01%) e Mão de Obra (0,14% para 0,00%).

O IGP-10 calcula os preços ao produtor, consumidor e na construção civil entre os dias 11 do mês anterior e 10 do mês de referência.

Deixe um comentário