Bolsas americanas recuam após ata do FED; Apple atinge US$ 2 trilhões de valor de mercado

LinkedIn

Nos Estados Unidos, a bolsa de Nova York fechou o dia com os indicadores em queda, após o Fed decidir manter a taxa de juros entre 0% a 0,25%, mas lançar incertezas sobre no cenário econômico. Segundo o Banco Central americano, o surto de coronavírus causou enormes dificuldades para a economia do País. Porém, a atividade e o emprego tiveram uma pequena melhora.

Com isso, o Dow Jones registrou baixa de 0,31%, para 27.692,88 pontos. O S&P 500 recuou 0,44%, ficando em 3.374,85 pontos. Enquanto que o Nasdaq teve queda de 0,57%, encerrando aos 11.146,46 pontos

Com a sinalização do Fed de preocupações com o impacto contínuo do coronavírus na economia, as ações recuaram e o dólar americano subiu, com a busca por proteção. O mercado ainda aguarda a nova data para americanos e chineses reverem a fase I do acordo comercial que, segundo o Wall Street Journal, será nos próximos dias.

Wall Street encerrou em baixa nesta quarta-feira, depois que o Federal Reserve (Fed, banco central dos Estados Unidos) levantou preocupações de que a recuperação econômica norte-americana dos efeitos devastadores da pandemia enfrenta um caminho altamente incerto.

Na ata da reunião do Fed ocorrida em julho, o comitê de política monetária (Fomc) disse que a rápida recuperação do emprego observada nos meses de maio e junho provavelmente desacelerou e que uma “melhora substancial” adicional no mercado de trabalho dependeria de uma reabertura “ampla e sustentada” da atividade empresarial.

O Fed também descartou, por enquanto, medidas de política monetária mais “dovish” (inclinada a oferecer estímulos), como controle da curva de juros.

“O Fed foi cauteloso na ata e esteve assim ao longo do mês passado”, disse Mike O’Rourke, estrategista-chefe de mercado da Jones Trading. “Acho que o fato de o Fed não ter sido muito favorável ao controle da curva de juros e a algumas das medidas extremas das quais investidores poderiam ter gostado de ver foi uma preocupação.”

As ações da Apple Inc subiram 0,13% na sessão. Mais cedo, a empresa havia se tornado a primeira companhia norte-americana de capital aberto a ultrapassar 2 trilhões de dólares em valor de mercado. Já a empresa listada em bolsa mais valiosa do mundo, a fabricante do iPhone forneceu o maior suporte para os três principais índices.

As ações da Apple foram impulsionadas por expectativas de êxito no longo prazo dos maiores nomes de tecnologia do país em um mundo pós-coronavírus.

Os fortes resultados dos varejistas Target e Lowe’s também elevaram o sentimento no início da sessão.

O dólar comercial fechou os negócios nesta quarta-feira (19) com ganhos, tendo no radar a questão fiscal doméstica. A divisa norte-americana subiu hoje 1,13%, cotada a R$ 5,529 na compra e a R$ 5,531 na venda, maior valor de fechamento desde 22 de maio (R$ 5,574).

O Ibovespa, principal indicador de desempenho das ações negociadas na B3, encerrou o dia em queda de 1,19%, aos 100.853,72 pontos, com um volume financeiro de R$ 28,281 bilhões.

Deixe um comentário