Energisa Tocantins Transmissora obtém Licença de Instalação de 2 linhas; CVM determina OPA para Rede Energia

LinkedIn

A Rede Energia (BOV:REDE3) informou semana passada que a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) determinou que a controladora da companhia, Energisa, realize uma oferta pública de aquisição de ações (OPA) para um aumento de participação de 0,43% do capital social da Rede.

A Energisa comunicou que obteve do Instituto Natureza do Tocantins a Licença de Instalação, para a implantação de duas linhas de transmissão da ETT: Linha de 230 kV entre os municípios de Dianópolis e Gurupi, com extensão de 256 km, e a Linha de 230 kV entre os municípios de Dianópolis e Palmas, com extensão de 245 km.

O comunicado foi feito nesta segunda-feira (19). A Energisa é negociada na B3 através dos papéis (BOV:ENGI3), (BOV:ENGI4) e (BOV:ENGI11).

A terceira linha é a LT 230 kV entre os municípios de Dianópolis – Barreiras II, em processo de licenciamento federal junto ao IBAMA.

Essas 3 (três) linhas fazem parte do empreendimento do lote 04 do Leilão de Transmissão realizado em junho de 2018. Estas duas LIs foram obtidas em 20 meses, após a assinatura do contrato de concessão em março de 2019, e suas respectivas Receitas correspondem a 74% da Receita Anual Permitida (“RAP”) total do projeto.

Esse empreendimento, compreendendo as 3 linhas acima mencionadas e Subestações, localizado em Tocantins e Bahia, representará uma RAP da ordem de R$ 66 milhões (ciclo 2020-2021), conforme resultado do Leilão e ajuste pelo IPCA.

O prazo limite estipulado pela Aneel para energização dessas linhas é março de 2024. Com este licenciamento será dado de imediato a ordem de mobilização para início de construção destas duas linhas junto a empreiteira contratada.

OPA para aumento de participação na Rede Energia

A Rede Energia (BOV:REDE3) informou que a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) determinou que a controladora da companhia, Energisa, realize uma oferta pública de aquisição de ações (OPA) para um aumento de participação de 0,43% do capital social da Rede.

O aumento de capital é referente à venda de 67,642 milhões de ações da Rede pelo BNDES Participações.

No dia 16 de setembro a CVM havia concedido um efeito suspensivo em favor da Energisa, suspendendo a obrigação de realizar a oferta enquanto analisava o pedido.

Por meio do ofício de hoje, a Superintendência de Registros afirmou que o colegiado da CVM decidiu negar o recurso, e o prazo para o atendimento da determinação da OPA voltou a fluir.

A companhia afirmou que está avaliando os termos do ofício e que manterá os acionistas informados sobre os próximos passos.

Deixe um comentário