Santos Brasil entra em novo índice ESG

LinkedIn

Santos Brasil (BOV:STBP3) passou a fazer parte do índice S&P/B3 Brasil ESG, lançada pela B3 e pela S&P Dow Jones no início de setembro.

O S&P/B3 Brasil ESG traz uma lista de recomendações de empresas focadas nas boas práticas ambientais, sociais e de governança corporativa (ESG). As ações do índice, que não considera empresas que não aderiram aos princípios do Pacto Global ou que fazem parte de setores específicos, como armas, tabaco e carvão térmico, são listadas na B3 e compõem o S&P Brazil BMI (Broad Market Index).

A seleção dos nomes é baseada na pontuação ESG da S&PDJI na Avaliação de Sustentabilidade Corporativa (CSA, na sigla em inglês). Quem não consegue atingir pontuação suficiente não entra na carteira.

“A participação da Santos Brasil no índice S&P/B3 Brasil ESG confirma seu compromisso com o desenvolvimento humano, respeito ao meio-ambiente e elevados padrões de governança, pilares da estratégia que guia os negócios da companhia”, disse Daniel Pedreira Dorea, Diretor Econômico-Financeiro e de Relações com investidores da Santos Brasil.

Novo Índice ESG da B3 e S&P

B3 e a S&P Dow Jones lançaram na última terça-feira (8) o S&P/B3 Brasil ESG (SPBRESBP), índice que lista as empresas com boas práticas ambientais, sociais e de governança corporativa.

“Num momento em que a agenda ESG se torna cada vez mais relevante para investidores no mundo todo, a B3 traz para o mercado um novo índice para compor seu portfólio”, comenta Gleice Donini, superintendente de Sustentabilidade da B3.

O indexador amplia as sugestões de investimento em empresas sustentáveis. Além do S&P/B3 Brasil ESG, a B3 já havia criado o Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) e o Índice Carbono Eficiente (ICO2).

O S&P/B3 Brasil ESG engloba as empresas listadas na B3 e que compõem o S&P Brazil BMI (Broad Market Index), com exceção daquelas que não aderiram aos princípios do Pacto Global ou que fazem parte de setores específicos, como armas, tabaco e carvão térmico.

A seleção dos nomes é baseada na pontuação ESG da S&PDJI na Avaliação de Sustentabilidade Corporativa (CSA, na sigla em inglês). Quem não consegue atingir pontuação suficiente não entra na carteira.

“Projetamos o índice S&P/B3 Brasil ESG com o objetivo de permitir que esses investidores alcancem suas metas de investimento ESG enquanto atingem performances alinhadas com as do mercado”, diz Reid Steadman, diretor executivo e Chefe Global de Índices ESG da S&P DJI. “Estamos entusiasmados em trabalhar com o B3 para trazer esta estratégia para o mercado brasileiro”.

 

Deixe um comentário