Paranapanema (PMAM3) 3T20: Prejuízo líquido de R$ 166,2 milhões

LinkedIn

Paranapanema, registrou um prejuízo líquido de R$ 166,2 milhões no terceiro trimestre, contra um lucro de R$ 156,3 milhões reportado em igual período do ano passado. Segundo a empresa, as perdas foram provocadas, em parte, pelo efeito não caixa da variação cambial sobre a sua dívida em moeda estrangeira, que totalizaram uma despesa financeira de R$ 88,3 milhões.

Os resultados da Paranapanema (BOV:PMAM3) referente a suas operações do segundo trimestre de 2020, foram divulgados no dia 30/10/2020.

Ebtida – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – somou R$ 3,7 milhões, queda de 98%, ante os R$ 172,7 milhões registrados em 2019.

→ A Paranapanema, empresa que atua na fundição, no refino de cobre primário e na produção de semimanufaturados de cobre e suas ligas, sendo líder de vendas de cobre refinado no país, possui R$ 413 milhões de valor de mercado. Confira a Análise completa da empresa com informações exclusivas.

De acordo com a companhia, a crise afetou os fornecedores de matéria-prima, o que, consequentemente, reduziu o abastecimento da fábrica de Dias D’ávila, na Bahia.

A receita líquida caiu 37%, para R$ 838 milhões, ante os R$ 1,3 bilhão de 2019, também impactada pelo efeito da atual crise da Covid-19, além do abastecimento da planta de Dias D’ávila/BA.

“Com a retomada gradual do mercado doméstico e regional, houve uma readequação do mix de produtos no terceiro trimestre, em relação ao segundo trimestre, com aumento de vendas no mercado interno de fios e vergalhões”, informou.

 A geração de caixa operacional ficou negativa em R$ 75,8 milhões. A Paranapanema afirmou que, desde o primeiro trimestre de 2020 vem tratando com seus principais credores financeiros o alongamento do perfil de sua dívida “afim de se adequar à sua futura geração de caixa e necessidade de investimento”.
A empresa, porém, apresentou um lucro bruto de R$ 75,9 milhões no terceiro trimestre, contra um prejuízo de R$ 26,7 em 2019. As vendas de cobre primário subiram 59%, enquanto que as vendas de produtos de cobre caiaram 63%.
O avanço, de acordo com a empresa, está relacionado à retomada gradual do mercado doméstico e regional, além da readequação do mix de produtos em relação ao segundo trimestre, com aumento de vendas no mercado interno de fios e vergalhões, bem como de produtos de cobre da marca Eluma.

A dívida líquida totalizou R$ 3,2 bilhões em setembro deste ano. “A dívida da Companhia é denominada em moeda estrangeira (USD) e suscetível à variação do câmbio. As receitas da Companhia em sua totalidade também são denominadas em USD, portanto os recebíveis estão na mesma moeda da dívida”.

 

Deixe um comentário