Centauro anuncia aquisição da totalidade de quotas da Nike do Brasil

LinkedIn

A Centauro concluiu o processo de aquisição da totalidade de quotas representativas do capital social da Nike do Brasil, originalmente detidas por subsidiárias indiretas da Nike Inc.

O anuncio foi feito pela empresa (BOV:CNTO3) nesta terça-feira.

O acordo tinha sido fechado em fevereiro, mas dependia do aval de órgãos reguladores da concorrência. As empresas também fizerem um aditivo ao contrato a fim de autorizar que as cotas de emissão da Nike do Brasil passassem a ser adquiridas pelo Grupo SBF e não mais por sua controlada SBF Comércio de Produtos Esportivos.

Além disso, estabeleceram critérios para o cálculo do preço de R$ 1 bilhão, líquido do saldo de caixa da Nike do Brasil, que foi desembolsado pela Centauro.

Foi aprovada ainda a alteração da razão social da Nike do Brasil para Fisia Comércio de Produtos Esportivos, subsidiária integral da SBF.

A Fisia será distribuidora exclusiva de produtos Nike, incluindo vestuário, calçados, acessórios e equipamentos, no território brasileiro e a operadora direta exclusiva do canal de venda eletrônico varejista até pelo menos 31 de maio de 2030. A Fisia será ainda varejista exclusiva de lojas físicas Nike, podendo abrir e operar unidades no território brasileiro, pelo período inicial de cinco anos.

A operação entre as empresa foi aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) no começo de novembro. Na ocasião, o órgão ressaltou que, apesar da aprovação, as partes deverão se comprometer com a separação entre as atividades comerciais atuais por 3 anos. Além disso, exigiu a manutenção do tratamento isonômico de clientes da Nike.

O conselho de administração da companhia também aprovou na sequência a transação, por unanimidade de votos e sem ressalvas. Agora o negócio será submetido aos acionistas da Centauro, porque a Fisia é um investimento relevante.

Assim que concluir a verificação das contas de balanço da Nike do Brasil estimadas pelas vendedoras, que serviram de base para o cálculo do preço desembolsado, a Centauro disse que informará a data da assembleia geral e se dará direito de recesso a dissidentes.

O negócio, que havia sido contestado pela Netshoes, alvo de aquisição da Centauro mas que acabou sendo comprado pela Magazine Luiza, foi aprovado pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) no início de novembro. A aprovação ocorreu mediante acordo para “garantir tratamento isonômico na distribuição dos produtos da Nike”, informou o Cade na ocasião.

Prejuízo de R$ 33,2 milhões

O Grupo SBF, dono da rede de artigos esportivos Centauro, teve prejuízo de R$ 33,2 milhões, revertendo, assim, o lucro de R$ 38,3 milhões registrado um ano antes.

A receita da companhia caiu 8,4%, para R$ 569 milhões, devido aos efeitos da pandemia da covid-19 que afetou, sobretudo, as lojas físicas. Nessas unidades, a receita caiu 30,7%, enquanto na plataforma digital houve aumento de 105%.

 

 

Deixe um comentário