PetroRio contrata bancos para coordenar um potencial Follow on

LinkedIn

A PetroRio anunciou a contratação de bancos para coordenar uma potencial oferta subsequente de ações (follow on) da companhia. A PetroRio ressalta que ainda não definiu nem aprovou a efetiva realização da operação, que depende de condições e aprovações societárias.

O comunicado foi feito pela empresa (BOV:PRIO3) nesta quinta-feira (24).

Os bancos contratados foram BTG Pactual, Citigroup, Credit Suisse, Itaú BBA, Safra e Santander.

No dia 15 de dezembro a PetroRio aprovou uma oferta pública de ações com esforços restritos para captar até US$ 250 milhões. O montante será utilizado para investimentos nos ativos da própria empresa e em potenciais novas aquisições.

“Ressalta-se que, até o momento, a companhia não definiu nem aprovou a efetiva realização da potencial oferta ou os seus termos e condições e, portanto, nesta data, não está sendo realizada qualquer oferta pública de distribuição de ações de sua emissão no Brasil, nos Estados Unidos da América ou em qualquer outra jurisdição”, explicou em comunicado enviado ao mercado dia 24.

Segundo a petroleira, a efetiva realização da operação está sujeita, entre outros fatores, à obtenção das aprovações necessárias, incluindo as aprovações societárias aplicáveis, às condições políticas, macroeconômicas e de mercado favoráveis no Brasil e no exterior e aos procedimentos inerentes à realização de ofertas públicas na forma da regulamentação vigente, dentre outros.

Nesta semana, a companhia informou que assinou acordo com a Prisma Capital para a conversão do financiamento de US$ 100 milhões em linha de longo prazo.

💡 Biografia B3 – PetroRio (PRIO3): a menina dos óleos do investidor

→ A PetroRio é uma companhia focada no investimento e na recuperação de ativos em produção, sendo especializada na gestão de reservatórios e no redesenvolvimento de campos maduros. Confira a análise completa da empresa com informações exclusivas.

Prejuízo de R$ 117 milhões, nos resultados 3T20

A empresa petroleira teve um prejuízo de R$ 117,8 milhões no 3T20. No comparativo anual, no mesmo trimestre do ano passado a perda foi de R$ 28,6 milhões.

Em se tratando dos valores atribuíveis aos controladores, o balanço referente ao acumulado do terceiro trimestre deste ano revelou uma perda líquida de R$ 110,6 milhões. Isso equivale a um aumento de 9,2% sobre o prejuízo de R$ 101,2 milhões no mesmo período de 2019.

Já a receita líquida acumulou R$ 488,7 milhões no 3T20, um aumento de 22,5% sobre os R$ 399 milhões no mesmo trimestre do ano passado.

Deixe um comentário