Vale: Samarco inicia retomada gradual das operações em Mariana (MG) com 26% da capacidade

LinkedIn

A Samarco iniciou o reinício gradual das operações, com a retomada integrada das operações dos Complexos de Germano, localizado em Mariana (MG), e Ubu, localizado em Anchieta (ES).

O comunicado foi feito pela Vale (BOV:VALE3) na noite desta quarta-feira (23). Confira o documento na íntegra!

A Samarco é uma joint venture da mineradora Vale com a BHP. As operações estavam suspensas desde novembro de 2015, quando o rompimento de uma barragem de rejeito da Samarco matou 19 pessoas, poluiu o Rio Doce e destruiu os vilarejos Bento Rodrigues, Paracatu de Baixo e Gesteira.

As operações reiniciaram com capacidade de produção de 7-8 Mtpa com a utilização de um de seus três concentradores para beneficiamento de minério de ferro no Complexo de Germano e uma das quatro usinas de pelotização do Complexo de Ubu, representando 26% da capacidade produtiva da Samarco.

“O reinício integrado das operações ocorre após extensos testes de comissionamento, garantindo uma retomada segura após cinco anos”, afirmou a Vale.

Segundo a mineradora, a Samarco utilizará novos processos de disposição de rejeitos.

Ainda de acordo com a Vale, a Samarco espera poder reiniciar as operações de um segundo concentrador em aproximadamente cinco anos, atingindo uma produção de aproximadamente 14 a 16 Mtpa, e reiniciar o terceiro concentrador em cerca de nove anos, quando espera atingir um volume de produção de aproximadamente 22 a 24 Mtpa.

Novos processos

De acordo com a Vale, a Samarco reinicia suas operações utilizando novas tecnologias para empilhamento de rejeitos secos.

Com o processo de filtragem, a Samarco espera poder drenar a parte arenosa do rejeito, que representa 80% do total de volume de rejeitos, e empilhá-la de forma segura.

Os 20% restantes serão depositados na cava Alegria Sul, uma estrutura confinada, o que aumenta a segurança.

“A Samarco está avançando no descomissionamento da barragem de Germano, seguindo os padrões de segurança exigidos. Comprometida com a estabilidade e segurança de suas estruturas geotécnicas, a Samarco opera o Centro de Monitoramento e Inspeção (CMI), que funciona em tempo real”, explicou a Vale.

Reparação

A Vale informou que, juntamente com a BHP Billiton Brasil e a Samarco, continua focada na reparação integral das pessoas e áreas afetadas pelo rompimento da barragem de Fundão. A Fundação Renova é responsável pela execução dos programas de reparação dos impactos socioambientais e socioeconômicos e, até outubro de 2020, pagou indenizações e auxílios emergenciais para mais de 321 mil pessoas.

“Desde 2015, aproximadamente R$ 10 bilhões foram investidos nos 42 programas acordados no Termo de Transação e de Ajustamento de Conduta (TTAC), dos quais R$ 9 bilhões foram investidos em ações reparatórias e R$ 1 bilhão em ações compensatórias. Para 2021, espera-se que os programas e ações da Renova atinjam R$ 5,9 bilhões”.

VISÃO DO MERCADO

Guide Investimentos 

Segundo Luis Sales, analista de empresas, o Impacto é Positivo. A retomada das atividades da Samarco, pode agregar muito valor à operação da Vale. Isto porque a empresa possui grande capacidade, e em um longo prazo, deve cada vez mais impulsionar sua produção.

 

Deixe um comentário