Como a chegada da vacina para Covid-19 pode influenciar o mercado?

LinkedIn

O início de 2021 deve ser marcado com a chegada da vacina contra o coronavírus no Brasil. Alguns países do mundo já estão sendo imunizados, como a Inglaterra e os Estados Unidos, e a previsão é que isso aconteça em território nacional a partir deste mês.

Recentemente, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou que os estados vão receber a vacina “três ou quatro dias” depois da autorização da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), para início da imunização contra covid-19.

“A vacina vai começar no Dia D, na Hora H no Brasil. No primeiro dia que chegar a vacina, ou que a autorização for feita [pela Anvisa], a partir do terceiro ou quarto dia já estará nos estados e municípios para começar a vacinação no Brasil. A prioridade está dada, é o Brasil todo. Vamos fazer como exemplo para o mundo”, afirmou ele.

A previsão é que a vacinação deve começar a ser realizada no país no dia 20 de janeiro. Há alguns dias, a Anvisa está analisando o pedido de uso emergencial do Butantan com a CoronaVac, e da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), com a vacina Oxford/AstraZeneca.

Mas o que a imunização contra o coronavírus deve representar no mercado financeiro neste ano?

Ao passo em que a vacina se aproximava, a bolsa brasileira já começava a precificar uma possível volta para uma realidade pré-pandemia. Alguns setores, que foram prejudicados com a pandemia, agora estão se destacando de forma positiva e devem apresentar uma boa recuperação.

Um dos setores que mais deve se beneficiar com a vacina é o de shoppings, visto que a pandemia obrigou todos a fecharem as portas durante meses. Com uma abertura gradual da economia, a perspectiva das companhias Multiplan (MULT3), Iguatemi (IGTA3), brMalls (BRML3) e Aliansce Sonae (ALSO3) é de espaço para crescimento.

Outro setor que também deve ser beneficiado com a chegada da vacina é o de distribuição de combustível, visto que, com o fim completo do isolamento social, a demanda por abastecimento de veículos deve crescer em grande escala. Empresas como BR Distribuidora (BRDT3), Ultrapar (UGPA3) e Cosan (CSAN3)  devem ser beneficiadas.

Seguindo o movimento dos shoppings, o setor de varejo também deve ter uma melhoria após a vacinação, considerando que as lojas voltarão a funcionar normalmente assim que o isolamento terminar por completo. Empresas como C&A (CEAB3), Hering (HGTX3) e Lojas Renner (LREN3) devem ser as mais afetadas positivamente.

São empresas para ficar de olho neste ano, principalmente após a vacinação!

Deixe um comentário