CSN (CSNA3): criada na guerra e para a guerra. Você é aliado ou não?

LinkedIn

CSNA3 foi a ação mais valorizada do Ibovespa, subindo mais de 140% no ano. Certamente você ouviu muito falar desse papel, mas e a empresa, você conhece bem?

Essa companhia na qual falaremos agora tem nome, sobrenome e vulgo: Companhia Siderúrgica Nacional, mais conhecida como CSN (BOV:CSNA3). Uma gigante, não é mesmo? E gigante lembra Petrobras (PETR3), que lembra também Vale (VALE3), correto?

Antes da pandemia, não era raro vermos informações do tipo: “Petrobras e Vale sustentaram a bolsa no dia” (ou na semana, no mês), indicando que a valorização das ações das grandiosas Blue Chips haviam impulsionado a alta do nosso Ibovespa. Porém, o que elas têm em comum com a CSN, por exemplo? Exatamente. Commodities. E exatamente de novo: todas compõem o Ibovespa. E mais uma vez você está certo: começaram estatais.

A comparação com as preferidas dos investidores não é por acaso, afinal a CSN também figura bastante nas carteiras de quem já investe há bastante tempo e de quem chegou agora, mas já conhece a fama. Entretanto, o que as diferencia pode te surpreender e está justamente no processo de fundação dessa empresa, que foi forjado a muito ferro e fogo.

O ano é 1941…

Dois anos antes, em 1939, havia acabado de eclodir a Segunda Guerra Mundial. E você sabe o que essa guerra significou. Assim como a pandemia de 2020, que impactou o mundo todo, esse evento histórico sangrento também não permitiu que nenhum país ficasse em sua bolha. O Brasil, que sempre foi do “deixa disso”, ainda se mantinha na neutralidade, sob o governo do então presidente Getúlio Vargas. Entretanto, a pressão forçou o país a tomar uma decisão: unir-se aos Aliados (EUA, Reino Unido, União Soviética, França) ou ao Eixo (Alemanha, Itália, Japão).

Getúlio Vargas aceitou se unir aos Aliados, porém fez uma troca importante: cederia aos norte-americanos um espaço no Rio Grande do Norte para que fosse montada uma base militar, de onde sairiam os aviões com destino à Europa – lugar que ficou conhecido como “O Trampolim da Vitória” –, porém queria de Franklin Roosevelt, o então presidente dos EUA, ajuda para conseguir o empréstimo de US$ 20 milhões com o Eximbank, a agência de créditos oficial norte-americana. Com o valor levantado, seria possível adquirir os equipamentos e criar a nossa Siderúrgica Nacional.

Assim nasceu a CSN de Volta Redonda, RJ. Da guerra para a guerra, com a intenção de fornecer materiais essenciais, como o aço, para os Aliados, e de fazer acontecer no mercado doméstico. Na época, uma siderúrgica nacional era um forte sinal de industrialização, tanto que o presidente Getúlio Vargas se referiu à fundação da CSN como um grande marco para a emancipação econômica brasileira.

Vamos abrir um parêntese nessa história: você pode conhecer muitas empresas da nossa Bolsa de Valores, mas certamente poucas delas foram tão representativas em um momento histórico marcante da Humanidade, como foi o caso da Segunda Guerra Mundial. Só por isso a CSN já merece cinco-estrelas, não acha?

E se dissermos que ainda nesse acordo de empréstimos dos EUA de um lado e acesso norte-americano às nossas matérias-primas de outro também entrou a Vale? Mas essa é outra história…

O que “vale” mesmo dizer ainda nesse histórico da CSN é que, após todo esse viés de Guerra, a companhia cresceu a passos largos. Começou com alguns poucos mil e passou para milhares de toneladas produzidas ao ano. O processo de privatização dela, ao contrário, não se desenvolveu tão rápido. Começou em 1990, porém se efetivou apenas em 1993, com o governo vendendo 91% de sua participação. Já em 1997 a CSN entrou para a Bolsa de Valores brasileira e também para a Nyse, a Bolsa de Nova Iorque.

O que faz a CSN

Ainda que uma parte considerável das operações da CSN já esteja no nome da empresa (Siderúrgica), além de ser uma das mais importantes companhias de siderurgia do mundo, ela é uma grande referência quando se fala em mineração, logística (rodovia, ferrovia, porto), cimento e energia.

E, se na fase da Segunda Guerra ela esteve aliada aos EUA, hoje em dia é na Alemanha que ela atua fortemente, além de Portugal, os dois países nos quais a CSN também opera. No Brasil, ela marca presença em 18 estados, empregando ao todo mais de 20 mil colaboradores.

Falando globalmente, a CSN é a siderúrgica que possui os mais baixos custos de produção do mundo. De acordo com ela: “A companhia atua em toda a cadeia produtiva do aço, desde a extração do minério de ferro até a produção e comercialização de uma diversificada linha de produtos siderúrgicos de alto valor agregado, incluindo aços planos revestidos galvanizados e folhas metálicas. O sistema integrado de produção, aliado à qualidade de gestão, faz com que a CSN tenha um dos mais baixos custos de produção da siderurgia mundial”.

Em se tratando da mineração, a CSN é conhecida por ser a sexta maior exportadora de minério de ferro do mundo, levando as matérias-primas para países da Ásia, Europa e América do Norte. Somente em 2019 a empresa vendeu 38,5 milhões de toneladas de minério de ferro.

Para 2021, a expectativa é de um volume de produção e compra de minérios de terceiros entre 38 e 40 milhões de toneladas. Também se espera realizar investimentos consolidados na faixa de R$ 2,8 bilhões, sendo R$ 1 bilhão destinado à siderurgia e outro R$ 1 bilhão à mineração. A dívida líquida da empresa deve diminuir no comparativo com projeções feitas anteriormente. Estimava-se encerrar 2021 com uma dívida de R$ 23 bilhões, porém a companhia revelou sua nova meta para este ano: fechar em R$ 20 bilhões. Menos dívidas, mais dinheiro no bolso.

Dinheiro no bolso e na Bolsa

Vamos aproveitar que falamos de cenário brasileiro e entrar, de fato, na nossa Bolsa de Valores. Como dito anteriormente, a CSN abriu capital em 1997. Atualmente, ela faz parte do nosso principal benchmark: o Ibovespa. E não é pouca coisa, não. Em 2019, as ações da companhia representavam 0,402% do índice, mas, em 2021, respondem por 1,004% de participação.

E uma boa colocação assim significa também um bom retorno? Só para se ter ideia, se você tivesse investido R$ 10.000,00 em CSNA3 em 1997, em dezembro de 2020 você teria R$ 2.450.000,00! Já em se tratando de proventos, R$ 10.000,00 resultam em um retorno anual previsto de R$ 30 (ou R$ 2,50 por mês).

Se você gosta muito dessa renda extra dos proventos que as empresas pagam, embora a CSN entre para a lista, existem opções ainda melhores e que você pode conferir na matéria especial sobre as 24 empresas que mais podem pagar dividendos em 2021.

Agora, se o que você gosta mesmo é de rentabilizar com a valorização da ação, com certeza 2020 foi marcante. CSNA3 foi a ação mais valorizada do Ibovespa, subindo mais de 140% no ano.

A demanda chinesa foi responsável por levar o minério de ferro a uma alta de mais de 70% em 2020. A tonelada da matéria-prima fechou o ano custando acima de US$ 100 (em dezembro, estava a US$ 170), valor que não se via desde 2013. A commodity ganhou até mesmo do ouro nessa empreitada, cuja valorização foi superior a 55% em 2020.

E a perspectiva compradora do Oriente deve continuar forte neste ano também. Os analistas divergem nas porcentagens, mas o crescimento da demanda deve ficar entre 4% e 8%, impulsionado pela retomada das economias globais pós-pandemia. O que, mesmo que não seja seu foco, pode beneficiar o pagamento de dividendos maiores também.

Mas a pergunta que não quer calar: hoje, o preço das ações da CNS está caro ou barato?

Veja a cotação atual de CSNA3 aqui.

Para saber sobre o preço desse papel, você pode acessar o Scanner ADVFN, que rastreia as melhores oportunidades de investimentos e apresenta ainda carteiras inteiras de sucesso que são criadas de acordo com seu perfil de investimentos.

Essa é uma ferramenta 100% ADVFN, feita para investidores iniciantes ou mais experientes. O primeiro mês de acesso é totalmente gratuito. Conheça o Scanner, acesse aqui.

E não deixe de contar aqui embaixo o que você achou desta matéria e se vale a pena continuar se aliando ou se tornar aliado de CSNA3 em 2021. Aproveite e compartilhe esse conteúdo com seus amigos, certamente eles vão gostar de saber ainda mais sobre essa empresa que fez sucesso mesmo no ano mais instável das economias mundiais.

Comentários

  1. Milton Alves diz:

    Tenho ações da empresa onde trabalhei. Comprei há mais de 20 anos, como funcionário.
    Mas comecei a investir com recursos próprios em 2020. Assim, sou iniciante no mercado de ações.
    Na minha opinião a ADVFN é o melhor local para obter informações e entender esse mercado. Parabéns pelas matérias. Sensacional. Estou inscrito no Telegran, e simplesmente tem me ajudado bastante.

    • renatasilvestre diz:

      Milton, como vai? Somos muito gratos pelas suas palavras! A intenção é justamente esta: trazer tudo o que é necessário para que se possa realizar um investimento consciente e assertivo.

Deixe um comentário