Burger King (BKBR3): Prejuízo líquido de R$ 445,6 milhões em 2020

LinkedIn

O Burger King registra prejuízo líquido de R$ 445,6 milhões em 2020, com receita operacional líquida de R$ 2,2 bilhões, queda de 22%.

Os resultados do Burger King (BOV:BKBR3) referentes suas operações do quarto trimestre de 2020 foram divulgados no dia 25/02/2021. Confira o Press Release completo!

⇒ Confira a agenda completa da divulgação dos resultados do 4T20 e referente ao ano de 2020. Confira a cobertura completa de todos os balanços referente ao ano de 2020 das empresas negociadas na B3.

As vendas comparáveis nos mesmos restaurantes tiveram queda de 12,9%.

O Ebtida ajustado – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – teve prejuízo de R$ 17,5 milhões e margem EBTIDA negativa de 0,8%.

4T20

O BK Brasil encerrou o quarto trimestre com prejuízo de R$ 97,3 milhões, revertendo o lucro de R$ 41,3 milhões registrado um ano antes. A companhia administra as redes de lanchonetes Burger King e Popeyes.

O desempenho foi afetado por vários fatores, como a queda da receita, o aumento dos custos, o crescimento das despesas com vendas, gerais e administrativas e a baixa de ativos relacionada ao fechamento de restaurantes que totalizou R$ 12 milhões.

O Ebitda teve queda de 68%, para R$ 49,5 milhões.

No último trimestre de 2020, a receita do BK recuou 3,7%, passando de R$ 803,4 milhões para R$ 774 milhões. As vendas comparáveis caíram 8% nas unidades Burger King e 6,2% nas lojas Popeyes.

Os custos cresceram 2,8%, o que, segundo a administração da empresa, refletiu o “desafiador cenário de commodities”, sobretudo na proteína. As despesas com vendas cresceram 13%, enquanto as gerais e administrativas avançaram quase 73%, com a redução nos descontos de aluguel, o aumento das despesas de limpeza dos restaurante, o crescimento das vendas de delivery e a baixa de ativos.

VISÃO DO MERCADO

Credit Suisse

Segundo o Credit Suisse, além dos problemas com a menor movimentação nas lojas, a pressão mais alta de custo da proteína promoveu uma compressão da margem bruta de 2,50 pontos percentuais na comparação anual para 59,6%.

Apesar da menor alavancagem operacional e dos ventos contrários de royalties e fundos de marketing acima do normal em 10% das vendas (contra 8,8% no quarto trimestre de 2019), e as despesas gerais e administrativas maiores em 7,6%, o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) foi positivo em R$ 72 milhões, contra os R$ 11 milhões negativos no terceiro trimestre, resultando em margem de 9,3%.

“Em última análise, a decisão do BK Brasil de interromper o carregamento de prejuízos fiscais, levou a impostos de renda mais elevados e, portanto, a um prejuízo líquido maior do que o esperado de R$ 97 milhões”, diz o banco.

Além dos resultados ainda fracos, embora encorajadores, do quarto trimestre, o Credit diz que o Burger King Brasil não mediu esforços para avançar na frente digital, na qual se espera começar a ver resultados mais evidentes conforme as operações se normalizam gradualmente.

Credit Suisse mantém recomendação de compra, mas reduz preço-alvo de R$ 14,00 para R$ 13,00.

Pensando em investir no Burger King?

BK Brasil atua na prestação de serviços de operação e assessoria a restaurantes.

→ A BK Brasil é administradora das redes de lanchonetes Burger King e Popeyes. Confira a análise completa da empresa com informações exclusivas.

Governança Corporativa

As ações do Burger King são negociados no Novo Mercado. A empresa realizou o IPO na B3 no dia 18 de dezembro de 2017.

Composição Acionária

POSIÇÃO ACIONÁRIA # AÇÕES % ÚLTIMA ALTERAÇÃO
Atmos Capital Gestão de Recursos Ltda 26.274.795 9,54% 20/11/2020
Burger King do Brasil Assessoria a Restaurantes Ltda 25.885.571 9,40% 20/11/2020
Vinci Capital Partners II B Fundo de Investimento em Participações – Multiestratégia 17.721.236 6,44% 28/03/2019
Morgan Stanley 16.119.067 5,85% 15/01/2021
Montjuic Fundo de Investimento em Participações Multiestratégia 15.325.642 5,57% 29/03/2019
APG Asset Management 15.124.454 5,49% 13/05/2020
Somerset Capital Management 9.830.375 3,57% 20/11/2020
Ações em Tesouraria 1.222.719 0,44%
Outros 147.851.588 53,69% 15/01/2021
Total 275.355.447 100,00%

Desempenho da empresa na B3

No último ano, as ações do Burger King oscilaram entre a mínima de R$ 6,04 e a máxima de R$ 16,21. No último pregão antes da divulgação do resultado do 4T20, a empresa fechou em queda de 5,71%, negociada a R$ 9,58.

Confira o histórico do Burger King (BKBR3)

Período Abertura Máxima Mínima Preço Médio Vol Médio Variação Variação %
1 Semana 10,45 10,48 8,65 9,99 1.612.460 -1,62 -15,5%
1 Mês 9,91 10,61 8,65 10,01 2.404.978 -1,08 -10,9%
3 Meses 10,70 11,87 8,65 10,54 2.160.855 -1,87 -17,48%
6 Meses 11,45 11,97 8,65 10,72 1.918.007 -2,62 -22,88%
1 Ano 16,00 16,21 6,04 10,75 1.971.956 -7,17 -44,81%
3 Anos 17,13 24,09 6,04 14,43 1.291.078 -8,30 -48,45%
5 Anos 17,80 24,09 6,04 14,61 1.299.290 -8,97 -50,39%
* Com informações da ADVFN, RI das empresas, Valor, Infomoney, Estadão, Reuters

Deixe um comentário