ADVFN Logo ADVFN

Não encontramos resultados para:
Verifique se escreveu corretamente ou tente ampliar sua busca.

Tendências Agora

Rankings

Parece que você não está logado.
Clique no botão abaixo para fazer login e ver seu histórico recente.

Hot Features

Registration Strip Icon for pro Negocie como um profissional: Aproveite discussões em tempo real e ideias que movimentam o mercado para superar a concorrência.

Confira a agenda de IPOs de Ações em Abril 2021 na B3

LinkedIn

A temporada de IPO continua na B3 depois de um “descanso no mês de março” e muitas desistências no radar, como Agrogalaxy, Wine, Kalunga e Rodobens.

Para o mês de Abril, alguns IPOs devem movimentar o mercado de ações na B3, entre eles Allied Tecnologia, da Advent, que pode movimentar quase R$ 500 milhões de reais.

Confira a lista prevista até o momento para o mês de abril:

EMPRESA PROSPECTO TICKER ESTREIA PREVISTA DATA PRECIFICAÇÃO PISO MÉDIO TETO
LG INFORMÁTICA CVM GENT3 06/04/2021 01/04/2021 R$ 15,00 R$ 17,50 R$ 20,00
ALLIED TECNOLOGIA ALLD3 09/04/2021 07/04/2021 R$ 20,00 R$ 23,00 R$26,00
BLAU FARMACÊUTICA CVM BLAU3 09/04/2021 07/04/2021 R$ 44,60 R$ 47,60 R$ 50,60
CM HOSPITALAR (VIVEO) CVM VVEO3 12/04/2021 08/04/2021 R$ 19,92 R$ 22,86 R$ 25,81
HOSPITAL MATER DEI CVM MATD3 14/04/2021 12/04/2021 R$ 21,80 R$ 24,00 R$ 26,20

Conheça um pouco mais sobre as empresas

LG Informática

Fundada em 1985, a LG atende a empresas de variados portes, segmentos e números de colaboradores, ofertando soluções para melhorar a experiência de candidatos, gestores, colaboradores e profissionais de RH, além de contribuir com a produtividade e fluidez de processos de RH dos clientes.

Os recursos da oferta primária serão destinados para: iniciativas de pesquisa e desenvolvimento (22,0%); desenvolvimento do marketing para SMB (18,2%); crescimento por meio de fusões e aquisições (38,3%); subsídios para migração da base on-premisses para SaaS (14,3%); pagamento a beneficiários do programa Phantom Share (4,4%); e reforço do capital de giro (3%).

Entre os principais acionistas está o fundo Mont Blanc Brasil Partners, que detém 39,04% e pode zerar sua participação se forem exercidos os lotes adicional e suplementar. Daniela Reis Teixeira Mendonça, Mônica Nascimento Cunha e Gustavo Reis Teixeira tem 19,52% cada.

Allied Tecnologia

A Allied é representante de marcas de eletrônicos de consumo, como Apple, LG, HP, Samsung, Motorola e Microsoft, sendo o único representante no segmento das marcas Google, Bose e Amazon Kindle.

A empresa é controlada pela gestora Advent desde 2014, por meio de dois fundos, e o restante pertence a três executivos da família fundadora Radomysler. Tantos os fundos quanto os executivos Ricardo Radomysler, Marcelo Radomysler e Renato Radomysler venderão fatia de suas participações na oferta secundária.

De acordo com um documento à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) nesta quinta-feira, tanto a Allied quanto seus acionistas pretendem vender ações na oferta.

Allied usará os recursos para abrir novas lojas, impulsionar seus negócios de financiamento, investir em plataformas de tecnologia e adquirir empresas.

Blau Farmacêutica

Com mais de 30 anos de atuação, a companhia é uma indústria farmacêutica no segmento institucional. A empresa é uma das pioneiras em biotecnologia no Brasil e foca nos segmentos de biológicos, especialidades, oncológicos e injetáveis, indispensáveis para hospitais e clínicas. A Blau Farmacêutica registrou lucro líquido de R$ 254 milhões em 2020, alta de 27% em relação a 2019.

Com o dinheiro captado na oferta primária, a empresa planeja: expansão da capacidade produtiva e verticalização de insumos estratégicos (53,5%); investimentos em centros de coleta de plasma nos Estados Unidos (10,5%); reserva de capital para possíveis aquisições (6%); pagamento do restante da aquisição da Pharma Limírio (6%); e pré-pagamento das debêntures da 2ª, 4ª e 5ª emissões (24%).

A Blau Farmacêutica é controlada por Marcelo Rodolfo Hahn, que tem 100% das ações e pode cair para até 66,25% se forem exercidos os lotes adicional e suplementar.

CM Hospitalar (VIVEO)

A empresa foi fundada em 1996 pela família Mafra. Hoje eles controlam o negócio com a família Bueno, fundadora do gruo Amil.

A Viveo, que tem como nome oficial CM Hospitalar, surgiu com objetivo de exportação e importação de medicamentos.

A partir de 2017, a empresa iniciou a aceleração de crescimento por meio de aquisições. Foram comprados pela Viveo o grupo de higiene pessoal Flexicotton, e empresas como Biogenetix, Vitalab, Byogene, de produtos hospitalares.

O grupo se apresenta como líder na distribuição de materiais médico-hospitalares e medicamentos no Brasil e tem uma participação de mercado de 7%.

De acordo com documento protocolado na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), os recursos serão investidos em crescimento e aquisições, além de permitir que sócios no negócio vendam suas participações.

Hospital Mater Dei

Fundada em 1973 por José Salvador Silva e com sede em Belo Horizonte, a Mater Dei oferece serviços hospitalares e oncológicos e tem 18% de participação de mercado dos leitos privados da capital mineira. No fim do ano passado, a companhia tinha 1.081 leitos hospitalares distribuídos em suas três unidades. Como planos de sua expansão nacional, atualmente está em construção um novo hospital em Salvador (BA), com 367 leitos e um centro médico. A previsão para início das operações é no primeiro semestre de 2022.

No prospecto apresentado à CVM, a empresa diz que possui um modelo de negócios “resiliente às situações macroeconômicas e, apesar das diversas dificuldades enfrentadas pela economia brasileira nos últimos anos, conseguiu expandir suas operações mantendo as margens Ebitda e líquidas atrativas”.

Os recursos da oferta primária serão destinados para: expansão inorgânica, por meio de aquisições (80%) e axpansão orgânica, por meio da construção de novos hospitais (20%).

Os principais acionistas são JSS Empreendimentos e Participações, que tem uma fatia de 76,53% e pode cair para até 59,78% se forem exercidos os lotes adicional e suplementar; Henrique Moraes Salvador Silva, que tem 4,95% e pode cair para até 2,33%; e Renato Moraes Salvador Silva, que tem 4,68% e pode cair para 1,70%.

Empresas que cancelaram o IPO em 2021

No acumulado do ano, totalizam 18 os IPOs cancelados. Além das últimas três empresas, aparecem na lista:

EMISSORA DATA / SITUAÇÃO MOTIVO
KALLAS INCORPORAÇÕES E CONSTRUÇÕES S.A. 04/03/2021 Desistência Mista
YUNY INCORPORADORA HOLDING S.A. 04/03/2021 Desistência Mista
URBA DESENVOLVIMENTO URBANO S.A. 01/03/2021 Desistência Primária
NORTIS INCORPORADORA E CONSTRUTORA S.A. 08/02/2021 Desistência Mista
OCEANA OFFSHORE S.A. 01/02/2021 Desistência Mista
EZ INC INCORPORAÇÕES COMERCIAIS S.A. 09/02/2021 Desistência Primária
GRUPO MPR PARTICIPAÇÕES S.A. 26/02/2021 Desistência Mista
ESTOK COMÉRCIO E REPRESENTAÇÕES S.A. 19/02/2021 Desistência Mista
PASCHOALOTTO SERVIÇOS FINANCEIROS S.A. 23/02/2021 Desistência Mista
CANOPUS HOLDING S.A. 13/01/2021 Indeferida Mista
BBM LOGÍSTICA S.A. 13/01/2021 Indeferida Mista
EMCCAMP RESIDENCIAL S.A. 22/01/2021 Desistência Mista
FARMÁCIA E DROGARIA NISSEI S.A. 15/01/2021 Desistência Mista
GRANBIO INVESTIMENTOS S.A. 11/01/2021 Indeferida Primária
AÇU PETRÓLEO S.A. 26/01/2021 Desistência Mista

 

Deixe um comentário