Goldman Sachs (GS, GSGI34) está perto de oferecer bitcoin e outros ativos digitais para seus clientes de gestão de fortuna

LinkedIn

A Goldman Sachs (NYSE:GS) está perto de oferecer seus primeiros veículos de investimento para bitcoin e outros ativos digitais para clientes de seu grupo de gestão de patrimônio privado, segundo a CNBC.

A Goldman Sachs também é negociada na B3 através da BDR (BOV:GSGI34).

O banco pretende começar a oferecer investimentos na classe de ativos emergentes no segundo trimestre, de acordo com Mary Rich, que foi recentemente nomeada chefe global de ativos digitais da divisão de gestão de fortunas privadas do Goldman.

A Goldman está procurando oferecer um “espectro completo” de investimentos em bitcoin e ativos digitais, “seja por meio do bitcoin físico, derivados ou veículos de investimento tradicionais”, disse ela.

A mudança significa que, em breve, clientes de dois dos mais proeminentes bancos de investimento do mundo – Goldman e Morgan Stanley – terão acesso a uma classe de ativos nascente que intrigou bilionários e adeptos da moeda digital. No início deste mês, o Morgan Stanley (MS, MSBR34) disse a seus consultores financeiros que eles poderiam colocar clientes em fundos bitcoin a partir de abril. Saiba Mais…

É o mais recente sinal do poder de permanência dos ativos relacionados ao blockchain, incluindo bitcoin, um novo tipo de dinheiro que emergiu dos destroços da crise financeira de 2008 e cujas origens exatas ainda são desconhecidas. Até agora, os grandes bancos americanos evitavam principalmente o bitcoin, considerando-o muito especulativo e volátil para os clientes.

Mas depois que o último boom no preço do bitcoin atraiu investidores institucionais, corporações e participantes de fintech, e a infraestrutura para manter os ativos digitais continuar a amadurecer, a indústria capitulou. No final, foi a demanda do cliente que venceu, de acordo com Rich.

“Há um contingente de clientes que estão olhando para esse ativo como uma proteção contra a inflação, e o cenário macro do ano passado certamente contribuiu para isso”, disse Rich. “Há também um grande contingente de clientes que, de alguma forma, sentem que estamos no início de uma nova Internet e estão procurando maneiras de participar desse espaço”.

O negócio de gestão de fortunas privadas do Goldman visa principalmente indivíduos, famílias e fundos patrimoniais com pelo menos US$ 25 milhões para investir.

O banco pode oferecer fundos de investimento bitcoin, semelhantes aos que o Morgan Stanley terá, bem como outras maneiras de investir que são “mais semelhantes à classe de ativos subjacentes que negocia 24-7 globalmente”, disse Rich. Alguns fundos de criptografia, como o Galaxy Bitcoin Fund, só podem ser vendidos ou comprados uma vez por trimestre, disse ela.

“Ainda estamos nos estágios iniciais deste ecossistema; ninguém sabe exatamente como vai evoluir ou que forma terá”, disse Rich. “Mas acho que é bastante seguro esperar que faça parte do nosso futuro”.

Deixe um comentário