Boa Safra realiza IPO movimentando R$ 459 milhões e Caixa Seguridade inicia movimentando R$ 5 bilhões

LinkedIn

A Boa Safra (BOV:GBSA3) estreia nesta quinta na B3. A companhia realizou seu IPO movimentando R$ 459,9 milhões, com o preço da ação saindo a R$ 9,90 cada, no piso da faixa indicativa, que ia até R$ 12,60.

A Boa Safra é uma produtora de sementes que tem operações nas regiões Centro-Oeste, Sudeste, Norte e Nordeste. A companhia diz oferecer sementes de soja com alta qualidade, levando seus produtos para 70% dos estados produtores da commodity.

Em seu prospecto, a empresa afirma ser líder de mercado em vendas de sementes de soja no Brasil. Citando dados de levantamento um realizado pela própria Boa Safra junto a fornecedores de tecnologia, ela apontou que em 2020 possuía 5,7% de market share.

“Acreditamos ter um dos mais completos portfólios de sementes de soja do mercado brasileiro, oferecendo tratamentos com diversos componentes químicos e genéticos adaptados às mais distintas regiões do País”, diz a companhia no documento.

A Boa Safra detém uma carteira inicial para sementes de milho e feijão também, que representou 0,41% da receita líquida da companhia em 2020, além de oferecer tratamentos industriais para maior proteção e vigor às sementes de soja.

Em 2020, a receita total da empresa foi de R$ 589 milhões, com um lucro líquido de R$ 70 milhões. Já o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) foi de R$ 105 milhões.

As ações da Caixa Seguridade (BOV:CXSE3) estreiam na B3 nesta quinta. A empresa realizou seu IPO na Bolsa movimentando R$ 5 bilhões em uma oferta de ações precificadas a R$ 9,67 cada papel. O valor ficou dentro da faixa indicativa, que ia de R$ 9,33 a R$ 12,67.

Criada em 2015, a Caixa Seguridade é uma subsidiária da Caixa Econômica Federal que atua no segmento de seguros, com serviços nos ramos Habitacional, Prestamista, Vida e Residência.

Segundo a companhia, seu objetivo é “consolidar, sob uma única sociedade, todas as atividades da Caixa nos ramos de seguros, capitalização, previdência complementar aberta, consórcios, corretagem e atividades afins, incluindo quaisquer expansões futuras dessas atividades, no Brasil ou no exterior, orgânicas ou não, proporcionando ganhos de escala nessas atividades e em suas operações e obtendo reduções de custos e despesas no segmento de seguridade”.

A empresa tem direito exclusivo, até 2050, renovável por períodos sucessivos de 35 anos, de acessar a base de clientes da Caixa e de explorar economicamente a marca, além da rede de agências próprias, de revendedores lotéricos, de correspondentes bancários, do internet banking, de caixas eletrônicos e de outros canais de distribuição.

A Caixa Seguridade teve lucro líquido de R$ 1,76 bilhão em 2020, com uma receita de R$ 39,1 bilhões.

Deixe um comentário