Bradesco BBI afirma que M. Dias Branco teve aumento significativo de preços e recomenda compra

LinkedIn

O Bradesco BBI afirma que o Ebitda ajustado divulgado pela M. Dias Branco (BOV:MDIA3) para o quarto trimestre ficou 72% abaixo do consenso e 78% abaixo de sua estimativa, com volumes mais fracos do que o esperado. O banco ressalta que a ação da empresa teve desempenho 8 pontos percentuais abaixo da média do Ibovespa nesse ano, com investidores precificando o impacto negativo da alta de preços das commodities sobre os custos.

Mas o Bradesco diz que gostaria de ter mais informações sobre o quão temporária essa fraqueza pode ser, após a empresa e a concorrência realizarem aumentos significativos de preços.

Apesar dos resultados abaixo do esperado, o banco mantém recomendação de compra com preço-alvo em 2021 em R$ 42, frente aos R$ 30,7 negociados na quarta.

Lucro líquido de R$ 763,8 milhões, alta de 37,2%

A M. Dias Branco, maior fabricante de biscoitos e massas do Brasil, dona de 19 marcas — incluindo Vitarella, Richester, Fortaleza, Piraquê, Isabela, Estrela e Adria —, encerrou o ano de 2020 com lucro líquido de R$ 763,8 milhões, alta de 37,2% na comparação com o ano de 2019.

Os resultados da M.Dias Branco (BOV:MDIA3) referentes suas operações do quarto trimestre de 2020 foram divulgados no dia 31/03/2021. Confira o Press Release completo!

⇒ Confira a agenda completa da divulgação dos resultados do 4T20 e referente ao ano de 2020. Confira a cobertura completa de todos os balanços referente ao ano de 2020 das empresas negociadas na B3.

A companhia, assim como outras empresas do setor de alimentos, teve o desempenho nos três primeiros trimestres do ano passado impulsionado, em parte, pelo aumento na demanda doméstica por seus produtos, uma vez que as medidas de isolamento social resultaram no fechamento de food service e exigiram mais refeições em casa.

O Ebtida – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – somou R$ 974,3 milhões no ano de 2020, com crescimento de 26,2% na comparação anual.

A receita líquida cresceu 18,8%, atingindo R$ 7,3 bilhões, com crescimento em todos os trimestres do ano. Destaque para o período que compreende o segundo e o terceiro trimestre, quando observamos maior nível de demanda no Brasil.

As vendas de biscoitos avançaram 11,7%, para 574,6 mil toneladas. As vendas de massas, por sua vez, aumentaram 22%, para 451,1 mil toneladas.

4T20

A M. Dias Branco, maior fabricante de biscoitos e massas alimentícias do país, encerrou o quarto trimestre do ano com lucro líquido de R$ 209 milhões, valor 21,1% abaixo do lucro apurado no mesmo período de 2019.

“Observamos desaceleração do nosso crescimento, fruto do arrefecimento da demanda e dos reajustes nos preços, especialmente na região de defesa (Norte e Nordeste)”, destacou a M. Dias em comunicado divulgado para imprensa e investidores. O resultado da M. Dias Branco interrompe um ciclo de quatro altas consecutivas no lucro líquido.

O Ebtida – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – recuou 33,5%, para R$ 289,2 milhões.

Deixe um comentário