Confira os Indicadores Econômicos desta quinta-feira (01/04/2021)

LinkedIn

Confira os principais indicadores econômicos desta hoje, em destaque o número de americanos entrando com novos pedidos de seguro-desemprego aumentou inesperadamente na semana passada, embora a recuperação do mercado de trabalho esteja ganhando força com a aceleração da atividade econômica, impulsionada pelo aumento das vacinações e estímulo fiscal massivo.

Brasil

  • Balança comercial brasileira teve um saldo positivo de US$ 1,482 bilhão em março

A balança comercial brasileira teve um saldo positivo de US$ 1,482 bilhão em março, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia. Apesar do superávit, o desempenho é o pior para o mês desde 2015, quando o saldo foi de US$ 455,5 milhões.

A piora em relação ao ano passado é fruto de um crescimento mais acelerado da média diária das importações do que nas exportações.

As aquisições vindas do exterior somaram US$ 23,023 bilhões em março, com uma média diária 51,7% superior ao observado em igual mês de 2020.

Já os embarques para fora do País totalizaram US$ 24,505 bilhões, com alta de 27,8% na média diária na mesma base de comparação.

  • Expansão da indústria do Brasil tem mínima em 9 meses em março após baque por pandemia, mostra PMI

A recuperação do setor industrial do Brasil sofreu um baque em março, com o recrudescimento da pandemia de coronavírus e a adoção de novas restrições no país levando empresas a reduzir produção e empregos e a reavaliar perspectivas, de acordo com a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês).

A IHS Markit informou nesta quinta-feira que seu PMI para a indústria do Brasil caiu a 52,8 em março, de 58,4 em fevereiro. Embora tenha permanecido acima da marca de 50, que separa crescimento de contração, o índice chegou a uma mínima em nove meses.

“O setor industrial do Brasil passou por um revés em março, com as novas encomendas e a produção de novo em contração devido a um aumento nos casos de Covid-19 e à adoção de novos controles”, explicou a diretora associada de Economia da IHS Markit, Pollyanna De Lima.

  • Produção industrial no Brasil recua 0,7% em fevereiro

Em fevereiro de 2021, a produção industrial do país recuou 0,7% frente a janeiro, na série com ajuste sazonal, interrompendo nove meses de resultados positivos consecutivos, período em que acumulou alta de 41,9%.

Frente a fevereiro de 2020, houve avanço de 0,4%, sexta taxa positiva consecutiva nessa comparação. A indústria acumula crescimento de 1,3% no ano e queda de 4,2% nos últimos doze meses, o recuo menos intenso nesse indicador desde abril de 2020 (-2,9%).

O recuo de 0,7% da indústria, de janeiro para fevereiro de 2021, teve perfil disseminado de taxas negativas, alcançando três das quatro das grandes categorias econômicas e 14 dos 26 ramos pesquisados.

Alemanha

  • Vendas no varejo da Alemanha subiram 1,2% em fevereiro

As vendas no varejo da Alemanha subiram 1,2% em fevereiro ante janeiro, segundo dados com ajustes sazonais divulgados nesta quinta-feira pela agência de estatísticas do país, a Destatis.

O resultado ficou abaixo da expectativa de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, que previam alta de 2% nas vendas. Na comparação anual, as vendas no varejo alemão sofreram contração de 9% em fevereiro.

O indicador de vendas no varejo alemão é volátil e sujeito a grandes revisões. Por esse motivo, economistas normalmente acompanham os números mensais com cautela e levam mais em consideração as médias em três meses.

  • PMI industrial da Alemanha subiu para o nível recorde de 66,6 em março

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) industrial da Alemanha subiu de 60,7 em fevereiro para o nível recorde de 66,6 em março.

Com o resultado bem acima da marca de 50 mostrando que a manufatura da maior economia europeia continua se expandindo em ritmo forte, segundo pesquisa final divulgada nesta quinta-feira pela IHS Markit.

A leitura definitiva veio em linha com a estimativa preliminar de março e com a previsão de analistas consultados pelo The Wall Street Journal.

Zona do Euro

  • PMI final da industrial na zona do euro saltou para 62,5 em março

O crescimento da atividade industrial da zona do euro atingiu o ritmo mais forte nos quase 24 anos de história da pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) no mês passado, mas problemas na cadeia de oferta e novos lockdowns podem segurar o avanço em breve.

O PMI final de indústria do IHS Markit saltou a 62,5 em março de 57,9 em fevereiro e preliminar de 62,4, na leitura mais elevada desde que a pesquisa começou em junho de 1997. O subíndice de produção avançou a 63,3 de 57,6, bem acima da marca de 50 que separa crescimento de contração e máxima da pesquisa.

Reino Unido

  • PMI industrial do Reino Unido subiu para 58,9 em março

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) industrial do Reino Unido subiu de 55,1 em fevereiro para 58,9 em março, atingindo o maior nível desde fevereiro de 2011, segundo dados finais publicados nesta quinta-feira pela IHS Markit em parceria com a CIPS.

A leitura definitiva superou a estimativa preliminar de março e a previsão de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, de 57,9 em ambos os casos.

O avanço acima da marca de 50 indica que o setor manufatureiro britânico continuou se expandindo no mês passado e em ritmo consideravelmente mais forte.

Estados Unidos

  • Pedidos semanais de desemprego nos EUA aumentam inesperadamente

O número de americanos entrando com novos pedidos de seguro-desemprego aumentou inesperadamente na semana passada, embora a recuperação do mercado de trabalho esteja ganhando força com a aceleração da atividade econômica, impulsionada pelo aumento das vacinações e estímulo fiscal massivo.

Os pedidos iniciais de subsídio de desemprego do estado totalizaram 719.000 ajustados sazonalmente para a semana encerrada em 27 de março, disse o Departamento do Trabalho nesta quinta-feira.

Isso se compara a 658.000 reclamações na semana anterior, que foram as menores desde meados de março de 2020, quando fechamentos obrigatórios de negócios não essenciais, como restaurantes, bares e academias estavam sendo aplicados em muitos estados para desacelerar a primeira onda de COVID-19 infecções.

  • Índice do setor manufatureiro dos EUA atinge a alta de 37 anos em março

Uma medida da atividade manufatureira dos EUA disparou para seu nível mais alto em mais de 37 anos em março, impulsionada pelo forte crescimento no volume de novos pedidos, o sinal mais claro de que um boom econômico muito antecipado provavelmente estava em andamento.

O Institute for Supply Management (ISM) disse nesta quinta-feira que seu índice de atividade fabril nacional saltou para uma leitura de 64,7 no mês passado, ante 60,8 em fevereiro. Esse foi o nível mais alto desde dezembro de 1983.

Uma leitura acima de 50 indica expansão da manufatura, que responde por 11,9% da economia dos EUA. Economistas ouvidos pela Reuters previam que o índice subisse para 61,3 em março. A pandemia de COVID-19 que durou um ano aumentou a demanda por produtos.

  • Opep+ decide elevar produção de petróleo ‘gradualmente’ de maio a julho

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e aliados, grupo conhecido como Opep+, decidiu elevar a produção de petróleo “gradualmente” de maio a julho. A decisão foi tomada em reunião virtual dos países-membros e anunciada nesta quinta-feira, 1º de abril, via comunicado oficial.

A nota, contudo, não informa precisamente a quantidade de elevação na oferta.

“A reunião aprovou o ajuste dos níveis de produção para maio, junho e julho de 2021, continuando a respeitar o mecanismo … de realização de encontros mensais avaliar as condições de mercado e decidir sobre os ajustes do nível de produção para o mês seguinte, sendo que cada ajuste não vai ultrapassar os 500 mil barris por dia”, limita-se a dizer o comunicado oficial.

Deixe um comentário