Índia reduz remessa e afeta oferta de vacinas via Covax

LinkedIn

Afetada por uma devastadora segunda onda de covid-19, a Índia não vai entregar as vacinas prometidas para abril e maio para a Covax, mecanismo global para distribuição equitativa de doses, causando disrupção na África e outros países.

“Países da África não pararam a vacinação ainda, mas devem atrasar [a campanha], já que as remessas da Índia para abril e maio não vão sair”, afirmou alta fonte em Genebra.

Entre a primeira e a segunda dose da vacina produzida pelo Serum Institute da Índia, o maior produtor global de vacinas, é possível um intervalo de até 12 semanas.

Nesse cenário, dizem observadores, a Organização Mundial da Saúde (OMS) espera que haja doações dos países com excesso de doses para ajudar a manter o ritmo de imunização na África e em outros países.

Segundo o Valor, no caso do Brasil, dois lotes totalizando oito milhões de doses, prometidos pela Covax para serem entregues até maio também vêm da AstraZeneca, e de outro produtor, a SK Bio, da Coreia do Sul. No entanto, com maior escassez global, não se pode excluir ajustes na redistribuição pelo mecanismo global.

(Fonte BDM e Valor)

Deixe um comentário