JBS inicia operação de plataforma blockchain para integrar monitoramento ambiental

LinkedIn

JBS anunciou ter dado início neste mês o cadastro de produtores na plataforma pecuária transparente, ferramenta com tecnologia blockchain.

O comunicado foi feito pela empresa (BOV:JBSS3), nesta terça-feira (27). Confira o documento na íntegra.

Com isso, a empresa poderá estender aos fornecedores de gado o monitoramento socioambiental com segurança de dados, confiabilidade e engajamento dos produtores.

Em comunicado ao mercado, a empresa afirma que essa plataforma permitirá avanços inéditos no monitoramento da cadeia produtiva de bovinos no Bioma Amazônia.

Ao aderir voluntariamente à plataforma, o produtor que negocia animais diretamente com a JBS vai informar a lista de seus fornecedores.

Essas informações serão enviadas eletronicamente para validação da Agri Trace Rastreabilidade Animal, sistema da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). Uma vez autorizada pelo produtor, a CNA verifica se a lista de fornecedores está completa.

Pelo acordo firmado com o Ministério Público Federal(MPF), serão verificados pelo sistema a existência de desmatamento, invasão de terras indígenas ou unidades de conservação ambiental, trabalho análogo à escravidão e uso de áreas embargadas pelo Ibama.

O resultado, acrescenta a empresa, será enviado diretamente ao fornecedor, que assim poderá “desenvolver planos para mitigar riscos e implementar ações para ajudar os produtores a regularizar as situações quando necessário”.

A companhia afirma ainda que em “nenhum momento” terá acesso a informações sensíveis, mas apenas ao resultado da análise socioambiental.

A JBS espera ter cadastrados na Plataforma Pecuária Transparente até o final do ano produtores que movimentam um total de 1 milhão de animais.

A JBS pretende divulgar os resultados do 1T21 no dia 13 de maio.

Lucro líquido de R$ 4,6 bilhões em 2020, queda de 24,2%; No 4T20, lucro dispara 65%

Em 2020, o lucro líquido da JBS totalizou R$ 4,6 bilhões, o que significa uma redução de 24,2% em relação aos R$ 6 bilhões do ano anterior. Essa queda, porém, reflete o prejuízo não caixa do primeiro trimestre, quando a alta do dólar pesou sobre o valor das dívidas em moeda estrangeira. Não fosse isso, o resultado da companhia brasileira de carnes teria ficado perto dos R$ 10 bilhões.

No acumulado de 2020, o Ebitda ajustado totalizou R$ 29,5 bilhões, um incremento de 48,7%. Assim, a margem Ebitda caiu 0,7 ponto no trimestre, para 9,9%, mas aumentou 1,2 ponto no ano, para 10,9%.

Em 2020, a receita líquida aumentou 32,1%, ultrapassando R$ 270 bilhões pela primeira vez.

A JBS encerrou 2020 com R$19,7 bilhões em caixa. Adicionalmente, a JBS USA possui US$2,0 bilhões disponíveis em linhas de crédito rotativas e garantidas, equivalentes a R$10,2 bilhões ao câmbio de fechamento do trimestre, o que confere à JBS uma disponibilidade total de R$29,9 bilhões, mais de seis vezes superior a sua dívida de curto prazo.

Deixe um comentário