Kepler Weber (KEPL3): lucro líquido de R$ 17,2 milhões, melhor resultado financeiro de sua história

LinkedIn

A gaúcha Kepler Weber, líder no mercado brasileiro de silos agrícolas, no primeiro trimestre, registrou um lucro líquido de R$17,2 milhões, crescimento de 96,7% em relação ao mesmo período de 2020, graças ao bom desempenho do agronegócio no trimestre. Esse é melhor resultado financeiro de sua história.

“O primeiro trimestre foi uma continuidade do segundo semestre do ano passado, quando, apesar da covid-19, os preços das commodities se mantiveram firmes, a demanda internacional continuou alta e o câmbio foi favorável”, afirmou Piero Abbondi, CEO da Kepler Weber, em entrevista ao Valor.

O Ebitda – juros, impostos, depreciação e amortização – foi de R$ 32,9 milhões, alta de 88,1%. A margem EBTIDA foi de 13,9%, em alta de 0,2 ponto percentual na comparação.

Foi também um período muito raro em que produtores capitalizados, assim como cooperativas e indústrias do setor, fizeram investimentos com capital próprio e não esperaram apenas os recursos do Programa para Construção e Ampliação de Armazéns, do BNDES.

“Com os recursos desse programa esgotados no trimestre, alguns clientes anteciparam decisões de compra e agora devem aguardar o próximo Plano Safra para recompor capital”, disse o diretor financeiro da companhia, Paulo Polezi.

O bom resultado operacional foi possível apesar da pressão inflacionária causada pelo encarecimento das matérias-primas usadas pela empresa, como o aço. “Para o mercado, o aço dobrou em um ano, mas fizemos contratos estratégicos e conseguimos um aumento entre 30% e 40%. Melhor que isso: não tivemos interrupção de fornecimento ou atraso nos contratos.”

receita operacional líquida foi de R$ 236,2 milhões, crescimento de 85,2% na comparação anual.

Divisão

A receita líquida de armazenagem referente ao mercado interno cresceu 119,9% no trimestre em relação ao primeiro trimestre de 2020, para R$ 170,7 milhões. Esse é o principal negócio da empresa, que de janeiro a março foi responsável por 72% do total.

A receita líquida das exportações aumentou 53,6%, para R$ 23,1 milhões. Nessa frente, a desvalorização do real assegurou competitividade aos produtos da empresa, mas Polezi ressalta que, mesmo sem a variação cambial, o resultado teria sido 24,6% superior ao do primeiro trimestre de 2020.

Ainda no front externo, o destaque da Kepler Weber foi ter finalizado um projeto em Zâmbia — o que não é comum, embora a empresa tenha feito algumas incursões na África — e outro no Paraguai.

Por fim, a área de movimentação de granéis sólidos, que retrata o desempenho da empresa em portos e terminais de transbordo, teve uma receita líquida de R$ 10,4 milhões, com uma redução de 28,1% justificada pela sazonalidade dos projetos.

Os resultados da Kepler Weber (BOV:KEPL3) referentes suas operações do primeio trimestre de 2021 foram divulgados no dia 28/04/2021. Confira o Press Release completo!

Teleconferência

O bom desempenho do agronegócio no primeiro trimestre deste ano garantiu à gaúcha Kepler Weber, do segmento de armazenagem e movimentação de granéis do país, o melhor resultado financeiro de sua história para período.

“O primeiro trimestre foi uma continuidade do segundo semestre do ano passado, quando, apesar da covid-19, os preços das commodities se mantiveram firmes, a demanda internacional continuou alta e o câmbio foi favorável”, afirmou Piero Abbondi, CEO da Kepler Weber, ao Valor.

Foi também um período muito raro em que produtores capitalizados, assim como cooperativas e indústrias do setor, fizeram investimentos com capital próprio e não esperaram apenas os recursos do Programa para Construção e Ampliação de Armazéns, do BNDES.

“Com os recursos desse programa esgotados no trimestre, alguns clientes anteciparam decisões de compra e agora devem aguardar o próximo Plano Safra para recompor capital”, disse o diretor financeiro da companhia, Paulo Polezi.

“Para o mercado, o aço dobrou em um ano, mas fizemos contratos estratégicos e conseguimos um aumento entre 30% e 40%. Melhor que isso: não tivemos interrupção de fornecimento ou atraso nos contratos”.

Segundo o executivo: “Com a pandemia, há muita insegurança na operação e, por isso, estamos trabalhando com um plano emergencial”.

Conforme o CEO, no primeiro trimestre foram investidos R$ 12 milhões na unidade de Campo Grande, ante R$ 10 milhões em todo o ano passado. “Pelo montante do primeiro trimestre, é possível perceber a dimensão de investimentos que estão por vir em 2021. Em maio, teremos a aprovação do orçamento pelo conselho”, disse. Entre os projetos, adiantou, alguns itens que hoje são terceirizados pela empresa serão internalizados.

Pensando em investir na Kepler Weber?

Indústria e comércio de produtos e matérias primas relacionadas a metalurgia, importação e exportação, prestação de serviços, comércio de produtos destinados a agroindústria.

→ A Kepler Weber, líder no mercado de equipamentos para armazenagem possui valor de mercado de R$ 1,18 bilhão. Confira a Análise completa da empresa com informações exclusivas.

Governança Corporativa

A Kepler Weber, sociedade anônima de capital aberto, possui sua sede localizada na cidade de São Paulo, SP, Brasil, tendo suas ações negociadas na B3. – Bolsa de Valores, mercadorias e futuros sob o código KEPL3, desde 15 de dezembro de 1980.

Composição Acionária

kepl3

Desempenho da empresa na B3

No último ano, as ações da Kepler Weber oscilaram entre a mínima de R$ 24,28 e a máxima de R$ 50,00. No último pregão antes da divulgação do resultado do 1T21, a empresa fechou em alta de 0,9%, negociada a R$ 49,70.

Confira o histórico da Kepler Weber (KEPL3)

Período Abe Máx. Mín. Preço Méd. Vol Méd. Var %
1 Semana 48,00 50,00 46,82 48,43 188.475 1,70 3,54%
1 Mês 44,05 50,00 42,11 45,29 261.828 5,65 12,83%
3 Meses 39,10 50,00 37,31 43,04 306.237 10,60 27,11%
6 Meses 38,93 50,00 35,47 41,32 234.282 10,77 27,67%
1 Ano 24,29 50,00 24,28 40,18 179.922 25,41 104,61%
3 Anos 12,19 50,00 8,60 31,61 108.653 37,51 307,71%
5 Anos 14,70 50,00 8,60 27,99 87.596 35,00 238,1%
* Com informações da ADVFN, RI das empresas, Valor, Infomoney, Estadão, Reuters

Deixe um comentário