SLC Agrícola assina com Agrícola Xingu contrato de arrendamento de 39 mil hectares

LinkedIn

A SLC Agrícola assinou contrato de arrendamento, como parte arrendatária, com a Agricola Xingu, através do qual passará a explorar uma área de 39.034 hectares, distribuídos entre os municípios de Correntina/BA e Unaí/MG.

O comunicado foi feito pela empresa (BOV:SLCE3), nesta quinta-feira (08).

“As áreas arrendadas seguem a estratégia de expansão da Companhia em terras maduras, com alto potencial produtivo e atendendo aos requisitos de adequação ambiental”, destacou a Companhia.

O prazo do contrato será de quinze anos para as áreas da Bahia e dez anos para as áreas de Minas Gerais.

A consumação da operação estará sujeita à aprovação do CADE e ao decurso de prazo de quinze dias após a publicação da aprovação irrestrita e sem ressalvas da operação no Diário Oficial.

A SLC Agrícola pretende divulgar os resultados do 1T21 no dia 12 de maio.

⇒ Confira a agenda completa da divulgação dos resultados do 1T21

VISÃO DO MERCADO

Guide Investimentos 

Para o analista Luis Sales, as áreas agregadas a produção da SLC são importantes, mas com parcela limitada sobre a área total já plantada pela companhia. Em todo caso, o movimento confirma uma tendência mais agressiva de ampliação de áreas da companhia após a aquisição das operações da Terra Santa por meio de arrendamentos. Avaliamos que o bom momento para o agronegócio deve favorecer a expansão de áreas da companhia e seguimos atentos a este processo. Apesar de gostarmos do case, seguimos com visão Neutra para SLC, pois avaliamos que grande parte das sinergias com a aquisição das operações da Terra Santa já estão no preço da ação. Nossa preferência para o setor segue com AGRO3.

Lucro líquido de R$ 510,9 milhões em 2020, alta de 62,2%

A SLC Agrícola, grande produtora de grãos, registrou lucro líquido de R$ 510,9 milhões em 2020, crescimento de 62,2%. O avanço no ano foi motivado principalmente pelo maior resultado bruto das culturas de soja e milho, disse a SLC.

Em 2020, a receita líquida aumentou 22,1%, para R$ 3,1 bilhões. Esta foi a primeira vez que a receita superou os R$ 3 bilhões. O desempenho foi motivado principalmente por maiores preços de faturamento nas culturas de soja e milho por um maior volume de algodão faturado na comparação com 2019.

Em 12 meses, o Ebitda ajustado soma R$ 960,2 milhões, 20,7% a mais do que um ano antes. A SLC observou que, levando em consideração apenas os resultados da operação agrícola, o lucro líquido no quarto trimestre e em todo o ano de 2020 aumentou 191,9% e 74,4%, respectivamente. Já o Ebitda ajustado cresceu 101,8% e 34,2%, respectivamente.

Esses aumentos maiores se devem ao fato de que no quarto trimestre de 2019 houve um evento de venda de terras, explicou a companhia. A SLC disse que a safra 2020/21 começou um pouco atrasada, com chuvas abaixo da média, principalmente no oeste de Mato Grosso.

“Contudo, nossa área plantada nesse ciclo atual é de 468,2 mil hectares, um novo recorde, e com crescimento de 4,4% sobre 2019/20”, afirmou a companhia em comunicado. O atraso no início das chuvas na região Centro-Oeste resultou em atrasos no plantio da soja e, consequentemente, na redução da janela de plantio do algodão e milho segunda safra. A SLC disse que, apesar do atraso nas chuvas, a expectativa para a soja é de entrega da produtividade orçada.

Para além do aumento de preços, os resultados da companhia em 2020 refletiram também aumentos de produtividade: o rendimento na soja em 2019/20 cresceu 4,3%, para 3.900 quilos por hectare, 3% no algodão, para 1.749 quilos por hectare, e 3% no milho, para 7.333 quilos por hectare.

Deixe um comentário