GPA (PCAR3): lucro de R$ 113 milhões no 1T21, revertendo prejuízo

LinkedIn

O Grupo Pão de Açúcar (GPA) registrou lucro de R$ 113 milhões no primeiro trimestre, revertendo prejuízo de R$ 140 milhões obtido no mesmo período de 2020.

A receita líquida somou R$ 12,45 bilhões, aumento de 4,9% em 12 meses, após concluir a cisão do braço de atacarejo Assaí.

O incremento da receita foi beneficiado pelo avanço do faturamento do Grupo Éxito, que registrou alta de 14,4% na receita bruta, para R$ 6,57 bilhões, o que compensou o recuo de 2,8% no indicador do GPA Brasil, para R$ 7,13 bilhões.

A companhia destaca que o desempenho do Grupo Éxito foi beneficiado por efeito cambial positivo. Em moeda constante, a receita da divisão recuou 2,6%.
O GPA também apontou expansão da venda on-line em todos os países de atuação, com alta de 137% no GPA Brasil e de 145% no Grupo Éxito.

O Ebitda – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – ajustado somou R$ 935 milhões, alta de 36% ano a ano, beneficado por eficiências comerciais e controle das despesas no Brasil. A margem Ebitda subiu 1,7 ponto percentual, para 7,5%.

As vendas mesmas lojas caíram 0,7%, pressionadas por impactos da pandemia nas operações do grupo Êxito na Colômbia e Uruguai. No Brasil, as vendas mesmas lojas subiram 1,1% no primeiro trimestre.

Sem o impacto da Covid-19, o GPA afirma que as vendas mesmas lojas teriam subido 4,8% no nível consolidado e 5% no Brasil.

“O cenário de vendas permanece em crescimento no trimestre, mesmo impactado por desafios relacionados principalmente ao contexto macroeconômico e pandemia, com severas medidas restritivas envolvendo fechamento de lojas aos finais de semana, horário de abertura reduzidos e proibição da venda de algumas categorias”, afirmou o GPA no relatório.

Os resultados do GPA (BOV:PCAR3) referentes às suas operações do primeiro trimestre de 2021 foram divulgados no dia 05/05/2021. Confira o Press release na íntegra!

R$ 1,5 bilhão em debêntures

O conselho de administração do GPA, controlador da rede de supermercados Pão de Açúcar, aprovou também sua 18ª emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, no valor total de R$ 1,5 bilhão, dividida em duas séries, no sistema de vasos comunicantes.

A data estabelecida para a emissão é 10 de maio. As debêntures da primeira série terão prazo de vigência de cinco anos a partir da emissão, enquanto as da segunda série terão prazo de sete anos.

Cada título terá o valor unitário de R$ 1 mil, com remuneração de juros correspondentes à variação acumulada de 100% das taxas médias diárias do DI, com uma sobretaxa de 1,70% para as debêntures da primeira série e de 1,95% para as da segunda.

Segundo o GPA, os recursos captados serão destinados para reforço do capital de giro e/ou alongamento do perfil de endividamento.

 

Deixe um comentário