Guararapes (GUAR3): prejuízo líquido mais que dobra no 1T21 para R$ 104,9 milhões

LinkedIn

A Guararapes Confecções, dona da rede de lojas Riachuelo, registrou prejuízo líquido de R$ 104,9 milhões no primeiro trimestre de 2020, 120,8% superior ao prejuízo de R$ 47,5 milhões do mesmo período de 2020.

A receita líquida consolidada da Guararapes nos primeiros três meses de 2021 encolheu 23,5% na comparação anual, para R$ 1,243 bilhão.

O ebitda – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – ajustado da Guararapes ficou em R$ 33,501 milhões entre janeiro e março de 2021, queda de 66,9% ante igual período em 2020.

Segundo comentários da empresa que acompanha os resultados, a performance é reflexo da queda nas vendas em mesmas lojas, da expansão de margem bruta de mercadorias, do desempenho das despesas operacionais e do forte crescimento do Resultado da Operação financeira.

As vendas em mesmas lojas (unidades abertas há mais de 12 meses) recuaram 16,6%, reflexo, segundo a companhia, do fechamento dos estabelecimentos e redução no horário de funcionamento em razão da pandemia.

Nos três primeiros meses do ano, as lojas físicas operaram com 70,2% de sua capacidade total de horas.

Por outro lado, a varejista informou que a quantidade de pedidos captados nos canais digitais aumentou 180,7% no primeiro trimestre, totalizando mais de 767 mil. O número de clientes ativos nos canais digitais (que realizaram pelo menos uma compra nos últimos 12 meses) avançou 204,3%.

As despesas operacionais, por sua vez, cresceram 7,3% na mesma base de comparação, para R$ 737,8 milhões. No período, a companhia apresentou um consumo de caixa de R$ 403,5 milhões.

Os resultados da Guararapes (BOV:GUAR3) referente suas operações do primeiro trimestre de 2021 foram divulgados no dia 12/05/2021. Confira o Press Release completo!

Teleconferência

O presidente da Guararapes, dona da Riachuelo, Oswaldo Nunes, apresentou boas perspectivas para a continuidade do crescimento da empresa em 2021 mesmo diante dos desafios da pandemia. Em teleconferência com analistas nesta quinta-feira, o grupo pretende abrir entre 15 e 20 lojas da marca Riachuelo em 2021.

Durante a teleconferência para apresentar os números do primeiro trimestre, o executivo disse também que a empresa conseguiu manter o giro dos estoques dentro de níveis aceitáveis. “A gente carrega volume físico inferior ao do ano passado, uma redução importante”, disse.

Nunes afirmou que as lojas estão abertas e a coleção de inverno tem apresentado bom desempenho de vendas. “Não teremos de postergar a validade da coleção de inverno como fizemos ano passado. A renovação vai ser em julho ou agosto com a entrada da primavera, preparando para o verão”.

O diretor-executivo financeiro e administrativo da Guararapes, Tulio Queiroz, afirmou que o grupo está tranquilo hoje com a sua posição de alavancagem, que estaria elevada por causa do Ebitda fraco do grupo durante a crise e não por causa de crescimento na dívida líquida.

“A alavancagem ano passado foi importante. A empresa fez um trabalho de preservação e geração de caixa. Fechamos o ano com dívida líquida inferior ao que a gente costumava ter”, disse.

Segundo o executivo, o endividamento tende a cair nos próximos meses com o Ebitda voltando a patamares normalizados, na esteira do processo de abertura de lojas.

Deixe um comentário