Qualicorp (QUAL3): lucro líquido de R$ 114,4 milhões no 1T21, alta de 67,9%

LinkedIn

A Qualicorp, operadora de planos de saúde, registrou lucro líquido de R$ 114,5 milhões no primeiro trimestre de 2021, alta de 67,9% na comparação com igual período do ano anterior.

receita líquida nos três primeiros meses do ano totalizou R$ 523 milhões, 4,1% maior que o visto no mesmo período de 2020.

O ebitda – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – ajustado caiu 0,2% e somou R$ 241,6 milhões na mesma base de comparação.

A operadora fechou o primeiro trimestre deste ano com um portfólio de adesão de 1,60 milhão de vidas, em alta de 24,5% sobre um ano antes.

Ao final do trimestre, a dívida líquida da Qualicorp era de R$ 603,5 milhões, queda de 20,6% na comparação anual. A alavancagem, medida pela relação dívida líquida por ebitda ajustado, encerrou o período em 0,64 vez, 27,4% maior/menor que igual período do ano anterior.

Os resultados da Qualicorp (BOV:QUAL3) referente suas operações do primeiro trimestre de 2021 foram divulgados no dia 13/05/2021. Confira o Press Release completo!

A companhia também anunciou a compra de 35% do capital social da Quinhentos, empresa controlada pela Escale Helth e o investimento de R$ 84,2 milhões via subscrição de novas ações ordinárias a serem emitidas.

A Qualicorp também pode exercer bônus de subscrição no período de 12 meses, o que poderá ter 40% da Escale, além de uma participação indireta via Quinhentos, controladora da Escale.

Teleconferência

O diretor presidente da Qualicorp, Bruno Blatt, busca janela para crescer ainda mais a velocidade de captação de novas vidas para o portfólio da empresa.

“Nossa visão sobre o nível de vendas no primeiro trimestre, apesar de bom, não reflete o potencial que enxergamos. Buscamos acelerar vendas nos próximos trimestres. Queremos patamar orgânico entre 40 e 45 mil vidas por mês”, disse o executivo.

Os executivos explicaram que em 2020 as vendas mensais ficaram na casa dos 27 mil. As janelas de crescimento estão, entre outros, no avanço de novas operadoras (5 mil vidas mês) e novos produtos (4 mil).

O grupo ainda conta com uma queda de 5 mil vidas ao mês nos próximos meses diante dos ajustes nos preços. O fenômeno, entretanto, é visto como natural pelos executivos.

“Continuamos buscando novas parcerias para consolidar cada vez mais em todas as regiões a nossa liderança na venda e administração de plano de saúde no país”, acrescentou o executivo, sem dar muitos detalhes por enquanto.

O executivo destacou ainda os desafios do grupo com a postergação do reajuste em 2020, que acabaram colaborando para cancelamentos atípicos no primeiro trimestre.

O vice-presidente de novos negócios da Qualicorp, Elton Carluci, apontou perspectivas favoráveis para o crescimento do grupo após a aquisição estratégica de parte da startup Escale, anunciada na última quinta-feira. “Vamos colocar as vendas até em outro patamar quando estivermos com a Escale 100% integrada”, disse. A integração, segundo ele, deve se dar já em 2021 de forma integral.

A Qualicorp anunciou a aquisição de 5% da Escale holding, startup focada em vendas digitais por meio da coleta e uso de dados de consumidores.

O executivo explicou que os ganhos com a startup vão além da adição de vidas ao portfólio e podem ajudar também a reduzir os cancelamentos.

Blatt disse que a Escale seria muito mais do que uma agência de marketing digital. “É uma máquina de conversão de demanda. Vai ajudar a gente atingir o cliente certo, no momento certo”, disse.

VISÃO DO MERCADO

Credit Suisse

A Qualicorp reportou resultados dentro do esperado no primeiro trimestre deste ano, de acordo com o Credit Suisse. O banco aponta fatores como a queda de tíquete médio e as fusões e aquisições do período.

O relatório aponta que a receita líquida avançou impulsionada pelas carteiras adquiridas. De acordo com os analistas Mauricio Cepeda e William Barranjard, as adições brutas recordes de 100 mil vidas indicam que “a nova estratégia comercial valeu a pena”.

O valor médio das mensalidades dos beneficiários, porém, caiu no comparativo trimestral. Os analistas afirmam que o efeito ocorre devido à maior participação de planos de preços inferiores no mix de vendas da companhia. Segundo o Credit Suisse, o crescimento da base de beneficiários dependerá dos planos de tíquete inferior.

“Continuamos acreditando na capacidade da empresa em manter margens elevadas e conversão de caixa, que devem ser impulsionadas pela retomada do crescimento”, afirmam.

Além disso, os custos cresceram em razão das maiores despesas de marketing da companhia.

A recomendação do Credit Suisse para os papéis ordinários da Qualicorp é de compra, com preço-alvo de R$ 38, o que representa potencial de alta de 42% ante a cotação registrada há pouco.

Deixe um comentário