Santos Brasil (STBP3): lucro líquido de R$ 30,9 milhões no 1T21, revertendo prejuízo

LinkedIn

A Santos Brasil registrou lucro líquido de R$30,9 milhões no 1T21, revertendo o prejuízo líquido de R$13,3 milhões no 1T20.

A receita líquida consolidada da Santos Brasil somou R$314,6 milhões no 1T21, crescimento de 40,6% em relação ao 1T20, em especial, puxada pelo acentuado crescimento no volume de movimentação de contêineres nos terminais portuários;

O ebitda – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – de R$106,1 milhões no 1T21, 175,6% superior ao 1T20, com margem de 33,7%. A maior contribuição ao crescimento do ebitda é oriunda das operações do Tecon Santos. Em base recorrente, o ebtida foi de aproximadamente R$100 milhões, crescimento de 174,7%, com margem de 31,7%;

No terminal de contêineres em Santos, principal negócio do grupo, a movimentação teve alta de 22% no trimestre, com um total de 285 mil contêineres movimentados. O crescimento foi impulsionado tanto pelas exportações, que seguiram fortes, quanto pelas importações, que vêm em alta desde o fim de 2020, quando indústria e varejo passaram a repor seus estoques com maior intensidade. Em seu relatório, a companhia destacou as importações dos setores automobilístico, químico, farmacêutico e de bens consumo.

A fatia de mercado da empresa dentro do Porto de Santos também cresceu, de 36,1%, no primeiro trimestre de 2020, para 39,2%, neste ano.

No 1T21, a Santos Brasil consolidou a trajetória, iniciada ainda no 4T20, de retomada dos volumes operados e aumento de receita em todas as suas linhas de negócio, aliado a um mix de carga balanceado, principalmente no Tecon Santos, contribuindo para que a Companhia registrasse o seu melhor resultado histórico – medido pelo ebtida – em um dado 1º Trimestre, à exceção daquele apurado no 1º Trimestre de 2013

O movimento de reposição de estoques para a indústria e o varejo local, que demandou escalas extras de longo curso no Porto de Santos, além do próprio crescimento das exportações, continuaram alavancando os volumes operados nos três terminais portuários da Santos Brasil no 1T21. A movimentação de contêineres cresceu 21,0% em relação ao 1T20, somando 321.141 unidades.

A recuperação do volume de importação no Porto de Santos nos últimos meses de 2020 continuou no 1T21 e impulsionou o volume movimentado de contêineres no Tecon Santos, que cresceu 22% no 1T21, em relação ao 1T20, comparado à alta de 16,8% na movimentação de contêineres do Porto de Santos no trimestre. O market share do Tecon Santos foi de 39,2% no 1T21.

O Tecon Vila do Conde apresentou crescimento de 27,3% no 1T21, quando comparado ao 1T20, reflexo, principalmente, do reposicionamento de contêineres vazios pelos armadores. As exportações de commodities agropecuárias e minerais continuaram crescendo no 1º trimestre do ano.

A movimentação de contêineres do Tecon Imbituba no 1T21 foi 13,0% menor vs. 1T20, compensada por uma alta expressiva nos embarques de carga geral (i.e. celulose) do TCG. O volume de contêineres armazenados na Santos Brasil Logística (“SBLog”) subiu 17,4% no 1T21, impulsionado pelo aumento das importações no Porto de Santos.

Em abril de 2021, a Santos Brasil alcançou dois marcos importantes para a expansão de seus negócios: renovou o contrato de prestação de serviços com o principal cliente do Tecon Santos, o Grupo Maersk, com vigência entre 01.04.2021 e 31.03.2023, cujos novos preços pactuados são efetivos a partir de 01.04.2021 e venceu os leilões de três terminais de granéis líquidos no Porto de Itaqui, voltados à movimentação e armazenagem de derivados de petróleo.

Em conjunto, os terminais somam 190.000 m³ de capacidade estática. Os prazos dos arrendamentos são de 20 anos, prorrogáveis por um período máximo de 70 anos. A Companhia aguarda as assinaturas dos contratos de arrendamento, conforme a homologação e a adjudicação pelo Poder Concedente.

Os resultados da Santos Brasil (BOV:STBP3) referentes suas operações do primeiro trimestre de 2021 foram divulgados no dia 11/05/2021. Confira o Press Release completo!

VISÃO DO MERCADO

Bradesco BBI

O Bradesco BBI aponta que o Ebitda superou sua estimativa em 47%, e aquela do mercado em 15%. O banco destaca a alta de 43% nos contêineres importados, apesar do enfraquecimento do real; preços mais altos de commodities, que devem sustentar o crescimento de contêineres para exportação; o reajuste do contrato com a Maersk, finalizado em abril de 2021, impulsionando os resultados de 2021.

O BBI avalia que o bom resultado do trimestre indica que a Santos Brasil pode ser capaz de viabilizar a projeção mais alta de sua guidance para o Ebitda de 2021, de R$ 450 milhões, 8% acima do consenso do mercado.

Bradesco BBI mantém recomendação de compra e eleva preço-alvo de R$ 12,00 para R$ 13,00…

Goldman Sachs 

A Santos Brasil Participações reportou resultados acima das estimativas do mercado, segundo o Goldman Sachs. O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) superou as projeções do banco em 31%.

O relatório destaca os volumes acima do esperado nos terminais portuários, impulsionados pela alta das exportações e a reposição de estoques nas indústrias e no varejo. O número de contêineres armazenados cresceu 21% entre os trimestres, enquanto as receitas unitárias avançaram 37% no comparativo anual.

“Acreditamos que a empresa continuará sendo capaz de negociar preços mais elevados para ter melhor aproveitamento do Porto de Santos”, afirmam os analistas Bruno Amorim, João Frizo e Osmar Camilo.

Goldman Sachs tem recomendação de compra, com preço-alvo de R$ 7,40…

Deixe um comentário