Sextou! 7 fatos que marcaram a semana: inflação nos EUA, balanços brasileiros, B3 crescendo e muito mais

LinkedIn

Esta semana esteve centrada em dados sobre a inflação dos EUA, que deixaram os mercados globais em clima de cautela, mesmo com as sinalizações do Fed, o Banco Central norte-americano, de que manterá inalterada sua política monetária até que haja uma maior recuperação no nível de empregos. Por lá, nesta semana, também foi iniciada a vacinação dos jovens a partir de 12 anos, com a intenção de marcar uma virada na batalha do país contra a pandemia.

Já no cenário doméstico, continuam as fases de investigações da CPI da Pandemia, porém os investidores ficam mais atentos aos resultados apresentados pelas companhias na temporada de divulgação de balanços. Na semana, o Ibovespa fecha estável, com queda acumulada de 0,13%. O sobe e desce completo e os principais destaques você confere a seguir, em nosso resumo da semana. Acompanhe.

1. Inflação nos Estados Unidos acelerou em seu ritmo mais rápido em mais de 12 anos em abril!

A inflação nos Estados Unidos subiu em seu ritmo mais rápido em mais de 12 anos em abril, com a recuperação econômica acelerando e os preços da energia subindo. O ganho mensal do Índice de Preços ao Consumidor (CPI, na sigla em inglês), que mede uma cesta de bens e também custos de energia e habitação, foi de 0,8%, contra 0,2% esperado. O índice subiu 4,2% no acumulado dos 12 meses, em comparação com a estimativa do Dow Jones de um aumento de 3,6%.

Excluindo os preços voláteis de alimentos e energia, o núcleo do CPI aumentou 3% em relação ao mesmo período em 2020 e 0,9% em uma base mensal. As respectivas estimativas foram de 2,3% e 0,3%. O aumento na taxa de CPI principal foi o mais rápido desde setembro de 2008.

Os preços da energia em geral aumentaram 25% em relação ao ano anterior, incluindo um aumento de 49,6% para a gasolina e 37,3% para o óleo combustível. Isso ocorreu mesmo que a maioria das categorias de energia tenha apresentado um declínio em abril. Os preços na bomba, que caíram 1,4% em abril, voltaram a subir em maio, com a média nacional superando US$ 3 o galão pela primeira vez desde novembro de 2014.

Os preços de carros e caminhões usados, que são vistos como um indicador-chave da inflação, subiram 21%, incluindo um aumento de 10% apenas em abril. Abrigo, outro componente-chave do IPC, aumentou 2,1% ano após ano e 0,4% no mês.

Além do aumento dos preços, uma das principais razões para o grande ganho anual foi por causa dos efeitos de base, o que significa que a inflação estava muito baixa nesta época em 2020, pois a pandemia de Covid-19 causou um fechamento generalizado da economia dos EUA. As comparações ano a ano serão distorcidas por alguns meses devido ao impacto da pandemia. Por esse motivo, os legisladores do Federal Reserve e muitos economistas estão descartando a atual rodada de números como transitória, com a expectativa de que a inflação se estabilize ainda este ano em torno da faixa de 2% pretendida pelo Banco Central.

Os futuros do mercado de ações atingiram brevemente as mínimas da sessão após a divulgação dos números do IPC e apontaram para uma abertura negativa em Wall Street. Os rendimentos dos títulos do governo foram em sua maioria mais altos.

Os aumentos de preços também ocorreram em meio a gargalos de oferta causados ​​por uma série de fatores, desde problemas de produção com os onipresentes semicondutores encontrados em produtos eletrônicos até o bloqueio do Canal de Suez em março ao aumento da demanda por uma variedade de commodities. Os preços da madeira por si só aumentaram 124% em 2021 em meio à demanda persistente por materiais de construção. O cobre, muitas vezes visto como um proxy para a atividade econômica, saltou quase 36%. Ainda assim, as autoridades do Fed disseram repetidamente que não aumentarão as taxas de juros ou reduzirão as compras mensais de títulos até que a inflação fique em torno de 2% por um longo período. (Com CNBC)

2. EUA também seguem vacinando os jovens a partir de 12 anos

Segundo autoridades de saúde e especialistas, a vacinação de crianças é considerada crucial para acabar com a pandemia. Para eles, é improvável que o país alcance imunidade coletiva – quando um número suficiente de pessoas em uma determinada comunidade tem anticorpos contra uma doença específica – até que as crianças possam ser vacinadas. E os EUA estão de olho nisso.

Um painel consultivo do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) votou na quarta-feira (12) para endossar o uso expandido da vacina de Covid-19 da Pfizer e da BioNTech para crianças de 12 a 15 anos, abrindo caminho para que os pediatras comecem a dar as vacinas nos EUA.

A recomendação do Comitê Consultivo em Práticas de Imunização, que foi adotada 14-0 com uma recusa, vem dois dias depois que a Food and Drug Administration aprovou o pedido da Pfizer e da BioNTech para permitir que sua injeção seja dada a adolescentes em uma base de uso de emergência.

Durante a reunião de quarta-feira, os funcionários do CDC disseram que não houve eventos adversos graves associados com a Pfizer-BioNTech em crianças de 12 a 15 anos em mais de 2.000 crianças no ensaio clínico das empresas. A maioria dos receptores da vacina, 91%, experimentou algum tipo de efeito colateral, como dor no local da injeção e nas articulações e músculos, cansaço, dor de cabeça, calafrios e febre. Com exceção da dor no local da injeção, mais adolescentes relataram efeitos colaterais após a segunda dose do que após a primeira. Os efeitos colaterais geralmente desaparecem dentro de um a dois dias.

O endosso do painel do CDC vem antes da temporada de acampamento de verão e do 4 de julho – uma data que o governo Biden espera marcar uma virada na batalha do país contra o vírus. Mais de 3,3 milhões de pessoas em todo o mundo morreram de Covid-19 até agora, quase 600.000 delas nos Estados Unidos, de acordo com dados compilados pela Universidade Johns Hopkins.

As crianças representam cerca de 20% da população total dos EUA de 331 milhões, de acordo com dados do governo. Entre 70% e 85% da população dos EUA precisa ser vacinada contra a Covid para obter imunidade coletiva, dizem os especialistas, e alguns adultos podem se recusar a receber as vacinas, embora mais especialistas agora digam que a imunidade coletiva parece cada vez mais improvável à medida que as variantes se espalham.

Até terça-feira, mais de 150 milhões de americanos com 18 anos ou mais receberam pelo menos uma dose, de acordo com dados compilados pelo CDC. Cerca de 115 milhões de adultos americanos estão totalmente vacinados e 13% dos adultos dizem que definitivamente não vão tomar a vacina, enquanto 21% dizem que vão “esperar para ver” ou receberão apenas se necessário, de acordo com a Fundação da Família Kaiser.

Funcionários do CDC disseram ao painel que a pesquisa mostra hesitação da vacina entre os pais, com apenas cerca de 46% a 60% que disseram que queriam vacinar seus filhos. As razões para não receber as vacinas incluíram preocupações com a segurança, o tempo que levou para desenvolver a vacina e não ter informações suficientes. (Com CNBC)

3. Por aqui, a CPI da Pandemia continua, mas os investidores seguem mais atentos à temporada de balanços

Petrobras (PETR3 e PETR4) e Eletrobras (ELET3 e ELET6) marcam as maiores altas na semana, após a divulgação de resultados sólidos. As ações ON da petroleira subiram mais de 6% no acumulado semanal, enquanto as da Eletrobras também ficaram nessa faixa de valorização.

O lucro líquido aos acionistas da Petrobras somou R$ 1,17 bilhão no primeiro trimestre de 2021, após prejuízo um ano antes. O preço médio do petróleo tipo Brent – a referência no mercado internacional – praticado no período subiu 21,2% na comparação anual, para US$ 60,90 o barril. No Brasil, o preço médio de venda subiu 14,7%, para US$ 57,32 o barril. A receita líquida cresceu 14,2%, para R$ 86,17 bilhões, em base de comparação anual e foi 4,9% superior ao quarto trimestre, devido, principalmente, à valorização nos preços do Brent.

O Ebitda – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – somou R$ 49,53 bilhões, após resultado negativo de R$ 29,682 bilhões no primeiro trimestre de 2020. Em termos ajustados – que excluem da conta participações em investimentos, reavaliações nos preços de ativos, resultados com desinvestimentos e realização dos resultados por venda de participação societária –, o Ebitda aumentou 30,5%, para R$ 48,949 bilhões.

=> Veja o resultado do balanço da Petrobras na íntegra clicando aqui. 

Já no caso da Eletrobras, ela fechou o primeiro trimestre de 2021 com lucro líquido de R$ 1,609 bilhão, uma alta de 31% frente aos R$ 1,228 bilhão de igual período do ano passado. A receita operacional líquida atingiu R$ 8,208 bilhões no período, 8% superior ao mesmo trimestre do ano anterior. Já a receita operacional líquida recorrente, que engloba receita do Procel, registrou alta de 8% e somou R$ 8,200 bilhões na mesma base de comparação.

O Ebitda no primeiro trimestre somou R$ 3,858 bilhões, alta de 11% ante igual período do ano anterior. O Ebtida recorrente, por sua vez, que exclui custos e provisões de ativos e planos, subiu 11%, para R$ 4,938 bilhões.

=> Veja o resultado do balanço da Eletrobras na íntegra clicando aqui. 

⇒ Confira a agenda completa da divulgação dos resultados do 1T21.

Veja todos os resultados que saíram até agora. 

4. Ainda sobre Eletrobras, a privatização da elétrica segue em pauta

O relatório preliminar para a privatização da Eletrobras apresentado na segunda-feira (11) pelo deputado Elmar Nascimento (DEM-BA) na Câmara dos Deputados, além de propor mudanças de regras no setor elétrico que podem inviabilizar a venda da estatal, também incluiu uma medida que fortalece a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), hoje controlada pelo Centrão.

O deputado apresentou o relatório da proposta para líderes dos partidos na Câmara, mas ainda não protocolou o texto nos sistemas do Congresso. Pela proposta, serão destinados R$ 350 milhões anuais, ao longo de uma década, para a revitalização dos recursos hídricos da bacia do Rio São Francisco. O relator colocou também a bacia do Rio Parnaíba para ter acesso a esses recursos.

Serão ainda R$ 230 milhões anualmente por dez anos para os reservatórios de Furnas (a maior parte em Minas Gerais). Ou seja, R$ 5,8 bilhões no período. O dinheiro será gerido pela diretoria-executiva da Codevasf. No texto original, esses recursos seriam geridos por um órgão independente, fiscalizados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

De acordo com análise do Credit Suisse, entre os pontos modificados, também se destaca a mudança nas cláusulas de reajuste de preços do programa Proinfa, a inclusão de leilões obrigatórios para aquisição de energia de termelétricas e pequenas hidrelétricas, o uso futuro de recursos de Itaipu para redução de tarifas (o contrato atual termina até 2023), além da inclusão da Bacia do Parnaíba como beneficiária do fundo da bacia do São Francisco.

Embora o texto inclua mudanças no projeto original proposto pelo governo em fevereiro passado, ele mantém amplamente o formato de privatização. Uma oferta secundária deve diluir a parte do governo e transformar a Eletrobras em uma sociedade anônima, sem acionista controlador. A Câmara e o Senado precisam aprovar o projeto antes de 22 de junho.

Além disso, a Aneel teria poder para interferir na comercialização no mercado livre, o que pode ser visto como negativo para o setor, segundo o banco. Não foram feitas alterações na limitação do direito de voto (proposta em 10%), na utilização de recursos do fundo de Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) para redução de tarifas ou no formato de privatização.

O Credit Suisse incluiu no modelo as novas estimativas macro, menor custo de capital próprio (redução de 0,5%), novos valores a receber estimados na Rede Básica Sistema Existente (RBSE) com maior compensação total por atraso no pagamento, embora com maior prazo de diferimento, valor atualizado para investimento em participações minoritárias, novos capex, e estimativas de custos e premissas de risco hidrológico.

“Também melhoramos nosso cenário otimista para R$ 65,00 para dar conta da proposta de privatização e mantivemos o cenário pessimista de R$ 26,00. Dentre os principais riscos, destacamos o mais importante: prazos de aumento de capital (recursos, preços) e o desafiador cronograma de aprovação do projeto (22 de junho)”, completou.

Credit Suisse mantém recomendação neutra para Eletrobras PN e Eletrobras ON e eleva preço-alvo de Eletrobras PN de R$ 32,00 para R$ 45,00 e Eletrobras ON de R$ 28,30 para R$ 43,00.

Já o banco americano Goldman Sachs afirmou que vê como positivo o fato de o relator da medida provisória da capitalização da Eletrobras ter apresentando a minuta revisada com poucas alterações no texto original apresentado pelo governo em fevereiro.

“Vemos isso como um passo positivo em direção à capitalização proposta, que poderia desbloquear um valor significativo, se aprovada. Observamos que não incluímos a capitalização proposta em nosso cenário-base para a empresa, pois o cenário político permanece incerto”, diz o banco.

A MP pode ser votada pela Câmara dos Deputados na próxima semana e, se aprovada, segue para votação no Senado antes de expirar em 22 de junho. Goldman Sachs tem recomendação de compra com preço-alvo de R$ 48,00 para a ação ON e R$ 53,00 para a PN.

O Itaú BBA também espera que a MP seja votada e aprovada pela Câmara na semana que vem, e no Senado antes de 22 de junho, quando expira. Ele mantém recomendação de compra para a ELET3 com preço-alvo de R$ 52,90.

5. Já a Petrobras assinou acordo com a Açu Petróleo para aumento de 140% das exportações da commodity

A Petrobras assinou com a Açu Petróleo – parceria da Prumo Logística com a alemã Oiltanking – um aditivo ao contrato firmado em 2019 para aumento de 140% da exportação de petróleo. Isso permitirá à estatal escoar 240 milhões de barris da commodity – aproximadamente 300 mil barris por dia – pelo Porto do Açu em até dois anos.

Para atender o aumento das exportações, a empresa prevê a construção de um Parque de Tancagem e a conexão dutoviária à malha existente. Esta é a segunda vez que a Petrobras pede para ampliar o volume exportado, motivada pela crescente produção de petróleo e pelo aumento da demanda no mercado externo. Até então, o contrato previa a exportação de 100 milhões de barris.

Durante a pandemia, em abril do ano passado, a Petrobras bateu recorde de movimentação, segundo a Açu Petróleo, que foi responsável pelo escoamento de cerca de 19% do volume total. Recentemente a Açu Petróleo foi reconhecida pela Agência Nacional de Transporte Aquaviário (Antaq) como o Terminal de granéis líquidos que mais cresceu em movimentação. Em 2020, foram movimentadas 29,6 milhões de toneladas, o que representa um crescimento de 53,2% em relação a 2019.

De acordo com a empresa, a Açu Petróleo é responsável por 25% da exportação de petróleo nacional e atende a todas as operadoras que atuam no Brasil. Desde 2016, a companhia realizou mais de 270 operações de transbordo de petróleo, o que representa cerca de 260 milhões de barris movimentados.

6. No lado negativo do Ibovespa, ganham destaque as empresas de tecnologia

Os menores desempenhos das ações do Ibov ficam para o Banco Inter (BIDI11), caindo 13%, Locaweb (LWSA3), com queda de 9%, e TOTVS (TOTS3), caindo 8%. A performance acompanha o desempenho global das ações de tecnologia, repercutindo os temores a respeito da aceleração de inflação em todo o mundo. Usiminas (USIM3) e CSN (CSNA3) também amargam prejuízo no preço dos papéis, motivadas sobretudo pela queda recente do minério de ferro na China, uma vez que as autoridades chinesas vêm realizando medidas para conter a especulação com a commodity.

7. Agora, uma visão mais geral: mercado de ações movimentou R$ 31,5 bilhões por dia em abril, alta de 13,2% sobre 2020

A B3 divulgou os destaques operacionais de abril de 2021, com alta de 54,2% no número de investidores ativos em comparação com o mesmo mês de 2020. São 3.721.651 investidores, contra 2.413.924 de um ano atrás. A comparação com março também mostra evolução nesse quesito, de 3,5%.

O número de empresas listadas também cresceu. Passou de 391 para 429, na mesma comparação de períodos, um aumento de 9,7%. No mercado à vista, foram movimentados na média diária R$ 31,501 bilhões, contra R$ 27,817 bilhões diários de abril de 2020, uma alta de 13,2%. Na comparação com março de 2021, porém, houve queda de 14,4%. A capitalização média de mercado cresceu 59%, passando de R$ 3,302 bilhões para R$ 5,251 bilhões.

Gostou deste resumo? Comenta aqui embaixo e aproveite para compartilhar o conteúdo com seus amigos!

Deixe um comentário