SulAmerica (SULA11): lucro líquido de R$ 53,9 milhões no 1T21, queda de 32,5%

LinkedIn

A SulAmerica registrou lucro líquido das operações continuadas de R$ 54 milhões no primeiro trimestre de 2021, uma queda de 22,8% em comparação ao mesmo período do ano anterior. Já o lucro líquido após participações de não controladores foi de R$ 53,9 milhões no período, queda de 32,5% frente ao primeiro trimestre de 2020.

Se for levada em conta a contribuição de áreas que foram alienadas no ano passado, como a de seguros auto, vendida à Allianz e concluída em julho do ano passado, a queda no lucro atingiria 32,5%.

Segundo a companhia, a diferença se explica pelo fato de que, no primeiro trimestre de 2020, houve o reconhecimento dos resultados associados ao segmento de capitalização, cuja venda para a Icatu foi concluída em fevereiro. Com isso, a conclusão da operação resultou em um impacto positivo de R$ 14 milhões no lucro líquido dos três primeiros meses do ano passado.

A SulAmérica também ressaltou que a alíquota efetiva de imposto de renda e contribuição social atingiu 52,7% no primeiro trimestre de 2021 ante apenas 4% no mesmo intervalo do ano passado. “A alíquota foi afetada principalmente pelo não reconhecimento de créditos tributários no período”, apontou a seguradora.

De acordo com o comunicado, o intervalo de janeiro a março de 2020 foi beneficiado por declaração de juros sobre capital próprio (JCP), que não se repetiu neste ano.

receita líquida total subiu 5,4% para R$ 5,192 bilhões entre janeiro e março, impulsionada pelo desempenho dos segmentos de saúde, odonto e previdência.

O ebitda – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – ajustado, que desconsidera itens extraordinário em despesas administrativas e o resultado de operações descontinuadas a partir do terceiro trimestre de 2020, foi de R$ 146 milhões no primeiro trimestre, um crescimento de 34,9% frente aos três primeiros meses do ano passado.

A sinistralidade alcançou 80,6% no trimestre, queda de 1 ponto percentual (pp) na comparação ao primeiro trimestre do ano anterior. Os custos de comercialização, por sua vez, recuaram 0,2 pp, para 7,5%, na mesma base de comparação.

A carteira geral de planos coletivos totalizava 4,199 milhões de beneficiários ao final do trimestre, alta de 10,4% ante igual intervalo do ano anterior. Do total, 2,324 milhões representavam o segmento de saúde, alta de 7,7%, enquanto 1,874 milhão eram do segmento odontológico, 13,9% de crescimento na comparação anual.

O retorno sobre patrimônio líquido médio em 12 meses no fim de março (ROAE, na sigla em inglês) atingiu 30,7%, uma elevação de 15,4 pontos percentuais na comparação anual. Já o ROAE recorrente, que não leva em conta as operações descontinuadas a partir do terceiro trimestre de 2020, recuou 3,6 pontos percentuais ante o primeiro trimestre de 2020 para 11,6%.

No segmento de saúde e odonto, o principal da SulAmérica, as receitas subiram 5,8% ante o primeiro trimestre do ano passado, para R$ 4,8 bilhões.

Os resultados da SulAmérica (BOV:SULA3) (BOV:SULA4) (BOV:SULA11) referentes suas operações do primeiro trimestre de 2021 foram divulgados no dia 11/05/2021. Confira o Press Release completo!

VISÃO DO MERCADO

Credit Suisse

O Credit Suisse aponta que os resultados trimestrais da Sul América indicam a capacidade da empresa de garantir controle sobre os pedidos de uso de plano de saúde. O banco aponta que os reflexos sobre postergações em procedimentos eletivos podem ser sentidos mais tarde neste ano. Apesar disso, o banco continua acreditando em uma taxa modesta de crescimento futuro, principalmente orgânica, uma exposição maior a utilização, em comparação com empresas mais verticalizadas, e a dependência de resultados financeiros, mesmo operando sob margens mais estreitas.

Credit Suisse mantém recomendação underperform com preço-alvo de R$ 33,95…

Deixe um comentário