Usiminas informa que vai adiar reforma do Alto-Forno 3 da Usina de Ipatinga

LinkedIn

A Usinas Siderúrgicas de Minas Gerais informa que em vista da continuidade da pandemia do COVID-19 e seus efeitos, e também em função do desempenho operacional estável do Alto-Forno nº3 da Usina de Ipatinga (“AF3”), o Conselho de Administração da Companhia aprovou, nesta data, a postergação da reforma deste equipamento por 10 meses.

O comunicado foi feito pela empresa (BOV:USIM3)(BOV:USIM5) (BOV:USIM6),  nesta quinta-feira (20).

Assim, o AF3 continuará operando normalmente até meados de 2023, quando a reforma será iniciada. Adicionalmente, a Companhia informa que o valor previsto para a reforma do AF3 foi revisto em função de expressiva desvalorização cambial acumulada desde a última atualização do projeto, além do incremento significativo no custo de materiais e serviços necessários à sua execução.

Dessa forma, o valor atualizado da reforma passa a ser de R$ 2,09 bilhões, a ser desembolsado até 2023.

Finalmente, a Companhia esclarece que esta atualização na reforma do AF3 não altera a projeção de investimentos relativa ao ano de 2021, que permanece conforme divulgado no Fato Relevante datado de 12 de fevereiro de 21.

Usiminas (USIM5): lucro líquido de R$ 1,2 bilhão no primeiro trimestre, revertendo prejuízo

A Usiminas registrou lucro líquido de R$ 1,2 bilhão no primeiro trimestre de 2021, revertendo o prejuízo líquido de R$ 424 milhões apresentado no mesmo período do ano passado.

Na comparação com o quarto trimestre do ano passado, o lucro é 37% menor, principalmente pelo registro de R$ 737 milhões positivos relacionados ao impairment registrado no trimestre anterior, “sem efeito similar nesse período, e perdas cambiais líquidas de R$ 355 milhões no primeiro trimestre de 2021, ante ganhos cambiais de R$ 286 milhões no quarto trimestre do ano passado”.

Ebtida – lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização – ajustado cresceu 325% no trimestre, para R$ 2,4 bilhões, ante R$ 539 milhões apurados em mesmo intervalo do ano anterior. A margem Ebitda aumentou 19 pontos percentuais no período, para 34,2%. O resultado é recorde trimestral Consolidado e em todas as Unidades.

No período, a receita líquida somou R$ 7,066 bilhões, alta de 86% na comparação anual, representando a maior receita líquida trimestral da Usiminas desde a incorporação da COSIPA, em 2009, com elevação da receita líquida em todas as unidades de negócio, com destaque para a Unidade de Siderurgia (+R$1,6 bilhão vs. 4T20) e Unidade de Transformação do Aço (+R$364 milhões vs. 4T20).

VISÃO DO MERCADO

XP Investimentos 

A Usiminas anunciou a aprovação do pagamento complementar de dividendos de R$ 0,004 por ação ordinária e R$ 0,005 por ação preferencial, totalizando R$ 5,8 milhões (yield de 0,02%). Os detentores das ações deverão receber o pagamento dos dividendos no dia 7 de junho de 2021 (data ex em 26 de maio). O montante a ser distribuído apenas complementa o anúncio de dividendos aprovados em 29 de abril, no valor de R$ 160 milhões.

Ademais, a Usiminas também anunciou a postergação da reforma do Alto Forno nº3 da sua usina de Ipatinga (MG) em razão da forte desvalorização cambial e aumentos dos custos para execução. Segundo a companhia, a reforma foi adiada em 10 meses e não altera a projeção de investimentos para 2021.

Vemos a notícia de adiamento da reforma como neutra, mas acompanhamos com cautela as necessidades de investimento da companhia. Temos recomendação Neutra para a Usiminas.

Deixe um comentário