Biogen (BIIB34) enfrenta perguntas difíceis sobre o preço do medicamento para Alzheimer

LinkedIn

A Biogen (NASDAQ:BIIB) enfrentou na terça-feira (08) perguntas difíceis de analistas de Wall Street sobre o custo anual de US$ 56.000 de seu medicamento para Alzheimer recém-aprovado, Aduhelm – um preço que os executivos estão chamando de “justo” e “responsável”.

As ações da Biogen subiram 38% na segunda-feira depois que o FDA anunciou que aprovava o medicamento da empresa, cientificamente conhecido como ‘aducanumabe’. É o primeiro medicamento liberado pelos reguladores dos EUA para desacelerar o declínio cognitivo em pessoas que vivem com Alzheimer e o primeiro novo medicamento para a doença em quase duas décadas.

A empresa de biotecnologia disse que está cobrando US$ 56.000 por um curso anual do novo tratamento, mais alto do que o preço de US$ 10.000 a US$ 25.000 que alguns analistas de Wall Street esperavam. Esse é o preço de atacado, e o custo direto que os pacientes realmente pagarão dependerá de seus planos de saúde.

Alguns analistas e grupos de defesa imediatamente questionaram como a empresa poderia justificar o preço – cerca de cinco vezes mais alto do que o esperado – especialmente porque os especialistas médicos continuam a debater se há evidências suficientes de que o medicamento realmente funciona e a indústria enfrenta críticas sobre os preços dos medicamentos.

O FDA afastou-se do conselho de seu painel independente de especialistas externos, que inesperadamente se recusou a endossar a droga no outono passado, citando dados não convincentes.

“Nossa única preocupação aqui é o custo anual do Aducanumabe e se a US$ 56 mil/ano (estávamos em US$ 10 mil) o choque da etiqueta poderia revigorar ainda mais o escrutínio sobre os preços dos medicamentos”, disse o analista da Stifel Jeff Preis aos investidores em uma nota na segunda-feira.

Em uma ligação com investidores na terça-feira de manhã, o analista Umer Raffat da Evercore ISI parabenizou a empresa sediada em Massachusetts pela aprovação do medicamento nos Estados Unidos antes de pedir aos executivos que explicassem seu preço.

“Eu realmente acho que há uma desconexão entre algumas das palavras que você compartilhou em seus comunicados à imprensa, como responsabilidade, acesso, igualdade na saúde, versus a faixa de preço, especialmente dada a população de cuidados primários”, disse ele aos executivos.

O analista do JP Morgan, Cory Kasimov, perguntou mais tarde aos executivos quanto o programa federal de seguro saúde Medicare deverá pagar pelo medicamento e como os executivos estão preocupados com a “reação” que o setor enfrentará em relação aos preços.

Executivos da Biogen disseram que o valor total do novo tratamento é “comprovado” pelo valor que se espera agregar aos pacientes, cuidadores e à sociedade. Eles insistiram que o preço é “responsável”, observando que a doença custa bilhões de dólares a cada ano.

Mais de 6 milhões de americanos vivem com a doença, de acordo com estimativas da Associação de Alzheimer. A empresa disse que atualmente tem capacidade para fornecer o medicamento a 1 milhão de pacientes anualmente, com mais de 900 unidades nos Estados Unidos prontas para implementar o novo medicamento.

“Queremos ter certeza de que o Aduhelm é acessível para os pacientes e sustentável para os sistemas de saúde”, disse um executivo.

A empresa se comprometeu a não aumentar o preço do novo medicamento nos próximos quatro anos. Dito isso, os executivos disseram que têm a “mente aberta” e sugeriram que poderiam repensar o preço à medida que a empresa avalia a demanda nos próximos anos.

O CEO da Biogen (BOV:BIIB34), Michel Vounatsos, disse na segunda-feira que o preço do medicamento permitirá à empresa investir ainda mais em seu portfólio de medicamentos para outras doenças. Ele acrescentou que a empresa está trabalhando em estreita colaboração com o Medicare, bem como com seguradoras privadas.

(Com CNBC)

Deixe um comentário