Caixa Seguridade: Eduardo Dacache pede renúncia ao cargo de diretor-presidente e Camila de Freitas Aichinger assumirá o posto

LinkedIn

A Caixa Seguridade Participações comunica que o Sr. Eduardo Dacache solicitou por motivos pessoais e familiares, a sua renúncia do cargo de DiretorPresidente.

O fato relevante foi feito pela empresa (BOV:CXSE3), nesta segunda-feira (07).

Neste sentido, o Conselho de Administração da Companhia elegeu a atual Diretora Comercial e de Produtos, Sra. Camila de Freitas Aichinger, para ocupar o cargo de Diretora-Presidente e a Sra. Cátia Leandra de Paula Strapasson para ocupar o cargo de Diretora Comercial e de Produtos.

Camila Aichinger teve importante papel no IPO da Companhia e na reestruturação da estratégia comercial e de produtos que levou à resultados recordes em 2020 e 2021, bem como atuou na implementação das novas parcerias da Caixa Seguridade.

Empregada de carreira da CAIXA, ingressou em 2000 e atuou por 18 anos em posições de liderança na rede de distribuição do banco. Também é membro do Conselho de Administração da CSH, dentre outras.

Catia Strapasson ingressou na CAIXA em 2005, desde então atuando na gestão de unidades de varejo e condução de equipes comerciais. Nos últimos 6 meses, trabalhou na viabilização do acordo e na construção da nova operação de Consórcios.

O Conselho de Administração da Companhia também ratificou a estratégia de focar a atuação da Companhia no Bancassurance CAIXA.

Nesse sentido, aprovou a necessidade de desinvestimento das participações identificadas como não estratégicas, tais como: Too Seguros, Panamericano Administração e Corretagem de Seguros e de Previdência Privada , Wiz Soluções e Corretagem de Seguros, Companhia de Seguros Previdência do Sul (Previsul), CNP Capitalização e CNP Consórcios .

Caixa Seguridade (CXSE3): lucro líquido de R$ 431,6 milhões no 1T21, alta de 4,2%

Caixa Seguridade Participações teve lucro líquido atribuíveis aos controladores de R$ 431,6 milhões no primeiro trimestre deste ano, alta de 4,28% sobre os R$ 413,930 milhões de igual período de 2020.

Segundo os demonstrativos, o desempenho do trimestre é reflexo do resultado dos negócios de distribuição, formado pelas receitas de acesso à rede e uso da marca (BDF) e pelas receitas de corretagem, que somaram R$ 194,9 milhões nesse trimestre, contra R$ 173,1 milhões no primeiro trimestre do ano anterior, um crescimento de 12,6%.

receita operacional líquida totalizou R$ 523,105 milhões de janeiro a março deste ano, 6,16% acima dos R$ 492,760 milhões no mesmo intervalo do ano anterior.

O retorno sobre patrimônio líquido recorrente (ROE) atual de 42,9% ao ano ficou acima do registrado no primeiro trimestre de 2020 (34,3%) e do quarto trimestre de 2020 (34,8%). Na composição do índice, a variação é devida à performance positiva do lucro líquido do primeiro trimestre, que reforça o numerador do indicador, e à redução do Patrimônio Líquido, proveniente do pagamento de dividendos, sensibilizando o denominador do ROE.

A margem líquida de 82,5% registrou oscilação negativa de 1,5 ponto percentual em relação ao primeiro trimestre de 2020, refletindo o aumento de 7,4% nas despesas tributárias, decorrente do aumento da participação das receitas dos negócios de distribuição, na composição da receita operacional.

O segmento de seguros apresentou um crescimento de 22,6% no comparativo entre o primeiro trimestre de 2021 e o mesmo período de 2020. Para o segmento de previdência, as contribuições somaram 7,4 bilhões no primeiro trimestre de 2021, um incremento de 41,5%, frente ao mesmo período de 2020. O segmento consórcios oscilou 0,8% no período, enquanto o segmento de capitalização registrou queda de 20,1%.

Deixe um comentário