Confira os Indicadores Econômicos desta quarta-feira (23/06/2021) - IPC-S, PMIs, BoJ…

LinkedIn

Confira os principais indicadores econômicos de hoje, em destaque os estoques de petróleo dos Estados Unidos caíram em 7,6 milhões de barris, ou 1,6%, na semana encerrada em 18 de junho, para 459,1 milhões de barris.

Brasil

  • Inflação pelo IPC-S varia 0,57% e acumula alta de 8,22% nos últimos doze meses

O IPC-S da terceira quadrissemana de junho de 2021 variou 0,57% e acumula alta de 8,22% nos últimos 12 meses. Nesta apuração, seis das oito classes de despesa componentes do índice registraram decréscimo em suas taxas de variação. A maior contribuição partiu do grupo Habitação (1,34% para 1,04%). Nesta classe de despesa, cabe mencionar o comportamento do item tarifa de eletricidade residencial, cuja taxa passou de 4,10% para 3,03%.

Também registraram decréscimo em suas taxas de variação os grupos: Transportes (1,70% para 1,44%), Alimentação (0,39% para 0,31%), Vestuário (0,69% para 0,48%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,21% para 0,11%) e Comunicação (0,04% para -0,04%). Nestas classes de despesa, vale destacar o comportamento dos itens: gasolina (3,28% para 2,73%), hortaliças e legumes (-2,30% para -4,56%), roupas femininas (0,72% para 0,33%), medicamentos em geral (0,94% para 0,56%) e serviços de streaming (1,64% para 0,30%).

  • Fluxo cambial fica positivo em US$ 2,316 bilhões até dia 18 de junho

O saldo entre a entrada e a saída de dólares no País ficou positivo em US$ 2,316 bilhões em junho até o dia 18, resultado superávit comercial de US$ 1,218 bilhão e de fluxo financeiro positivo em US$ 1,097 bilhão, segundo dados divulgados pelo Banco Central (BC).

O saldo da balança comercial corresponde a exportações de US$ 12,159 bilhões e a importações de US$ 10,941 bilhões. O saldo do fluxo financeiro é resultado de US$ 27,752 bilhões em compras e de US$ 26,475 bilhões em vendas na moeda estrangeira.

Europa

  • PMI composto da zona do euro subiu para 59,2 em junho

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) composto da zona do euro, que engloba os setores industrial e de serviços, subiu de 57,1 em maio para 59,2 em junho, atingindo o maior nível desde junho de 2006, segundo dados preliminares divulgados nesta quarta-feira pela IHS Markit.

O avanço acima da marca de 50 indica que a atividade do bloco se expande em ritmo mais forte neste mês. A prévia de junho também superou a expectativa de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, que previam alta do PMI composto a 58,8.

  • PMI composto da Alemanha subiu para 60,4 em junho, atingindo o maior patamar desde março de 2011

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) composto da Alemanha, que engloba os setores industrial e de serviços, subiu de 56,2 em maio para 60,4 em junho, atingindo o maior patamar desde março de 2011, segundo dados preliminares divulgados nesta quarta-feira, 23, pela IHS Markit.

O avanço acima da barreira de 50 mostra que a atividade da maior economia da Europa está se expandindo em ritmo mais forte neste mês.Apenas o PMI de serviços alemão aumentou de 52,8 para 58,1 no mesmo período, também alcançando o maior nível desde março de 2011.

  • PMI composto do Reino Unido cai para 61,7 em junho ficando abaixo do esperado

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) composto do Reino Unido, que engloba os setores industrial e de serviços, caiu da máxima histórica de 62,9 em maio para 61,7 em junho, segundo dados preliminares divulgados nesta quarta-feira, 23, pela IHS Markit em parceria com a CIPS.

Apesar da queda, o resultado bem acima da marca de 50 mostra que a atividade econômica britânica continua se expandindo em forte ritmo neste mês. A prévia de junho, contudo, ficou abaixo da expectativa de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, que previam redução do indicador a 62.

Estados Unidos

  • Déficit em conta corrente dos EUA somou US$ 195,7 bilhões no primeiro trimestre

O déficit em conta corrente dos Estados Unidos somou US$ 195,7 bilhões no primeiro trimestre deste ano, segundo dados do Departamento do Comércio do país. No trimestre anterior, foi registrado um saldo negativo de US$ 175,1 bilhões. O mercado previa déficit de US$ 205,3 bilhões no primeiro trimestre.

O saldo do período representa 3,6% do Produto Interno Bruto (PIB) do país, acima dos 3,3% do quarto trimestre de 2020. A ampliação de US$ 20,7 bilhões do déficit do primeiro trimestre ante o anterior reflete um saldo negativo maior de bens e um superávit menor de rendas.

  • PMI industrial dos EUA subiu para 62,6 pontos em junho

O índice dos gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) sobre a atividade industrial dos Estados Unidos subiu para 62,6 pontos em junho, maior nível já registrado, de 62,1 pontos em maio, segundo dados preliminares publicados pelo instituto de pesquisas IHS Markit.

Analistas esperavam 61,5 pontos em junho. Números acima de 50 pontos sugerem expansão da atividade, enquanto valores menores sugerem contração. O PMI que mede apenas a produção do setor industrial caiu para 63,9 pontos em junho, de 68,7 pontos em maio.

“Os primeiros indicadores do PMI apontam para mais um impressionante crescimento da economia dos Estados Unidos em junho, fechando um surto de crescimento sem precedentes no segundo trimestre como um todo”, segundo o economista da IHS Markit, Chris Williamson.

  • Vendas de imóveis residenciais novos nos Estados Unidos caíram 5,9% em maio

As vendas de imóveis residenciais novos nos Estados Unidos caíram 5,9% em maio ante abril, saindo de 817 mil unidades (dado anualizado e revisado) para 769 mil, descontados os fatores sazonais, de acordo com o Departamento do Comércio.

O mercado previa baixa de 0,5% nas vendas de maio ante abril. O número de novas casas à venda em maio duraria 5,1 meses no ritmo atual, abaixo dos 5,3 meses do mesmo mês do ano anterior.

O preço médio de venda de uma casa nova em maio foi de US$ 430,6 mil, acima dos US$ 420,9 mil registrados em abril e dos US$ 368,7 mil registrados em maio de 2020. Os dados de vendas podem ser voláteis e sujeitos a revisões.

  • Estoques de petróleo dos EUA caíram 1,6%, na semana encerrada em 18 de junho

Os estoques de petróleo dos Estados Unidos caíram em 7,6 milhões de barris, ou 1,6%, na semana encerrada em 18 de junho, para 459,1 milhões de barris. Analistas previam queda de 4,1 milhões de barris.

Os estoques de gasolina baixaram em 2,9 milhões de barris, ou 1,2%, para 240,0 milhões de barris. Os estoques de outros derivados aumentaram em 1,8 milhão de barris, ou 1,3%, para 137,9 milhões de barris. A produção doméstica de petróleo dos Estados Unidos, por sua vez, recuou em 100 mil barris por dia (bpd) para 11,1 milhões de bpd.

A previsão para os estoques de gasolina era de queda de 800 mil barris, enquanto para os outros derivados, que incluem óleo diesel, a expectativa era de diminuição em 600 mil barris.

Japão

  • Membros de BoJ esperam recuperação econômica mais rápida, diz ata

Os membros do Conselho do Banco do Japão (BoJ) concordaram que o ritmo de recuperação da economia do país pode ser mais rápido do que o esperado anteriormente devido aos estímulos de outros países e com avanços na vacinação contra covid-19, de acordo com a ata da reunião dos dias 26 e 27 de abril.

“Os membros concordaram que, com as medidas econômicas conduzidas particularmente em economias avançadas, como aquelas em resposta ao impacto da covid-19, o ritmo de recuperação nas economias doméstica e estrangeiras pode ser mais rápido do que o esperado”, diz a ata.

Um membro observou que “a economia poderia ser impulsionada significativamente após a redução da covid-19, principalmente devido à materialização da demanda reprimida no consumo”.

Deixe um comentário