EDP Brasil pagará R$ 585,6 milhões em dividendos

LinkedIn

A EDP pagará, a partir de 23 de junho, R$ 585,6 milhões em dividendos já aprovados.

O comunicado foi feito pela empresa (BOV:ENBR3) na sexta-feira (11). Confira o documento na íntegra.

O valor de R$ 162,4 milhões serão pagos como juros sobre capital próprio, o valor de R$ 0,271248547 para cada ação ordinária, imputáveis aos dividendos, a serem pagos sem ajuste aos acionistas titulares de ações ordinárias da companhia na data-base de 04 de janeiro de 2021.

E o valor de R$ 423.215.929,92, equivalente a R$ 0,728751453 para cada ação ordinária, como dividendos a serem pagos sem ajuste aos acionistas titulares de ações ordinárias da companhia na data-base de 09 de abril de 2021.

O crédito correspondente será realizado de forma individualizada a cada acionista, com base na posição acionária.

O montante de juros sobre capital próprio acima descrito está sujeito a Imposto de Renda na Fonte, à alíquota de 15%, devendo ser pago aos acionistas líquido de impostos, exceto para os acionistas que já tenham comprovado a condição de dispensados da retenção do referido imposto.

Os acionistas residentes ou domiciliados em país que não tribute a renda ou que a tribute à alíquota máxima inferior a 20%, estarão sujeitos à incidência do imposto de renda na fonte à alíquota de 25% (vinte e cinco por cento) sobre os juros sobre capital próprio.

EDP Brasil (ENBR3): lucro líquido cresceu 82,9% no 1T21, para R$ 495,7 milhões

lucro líquido da Energias do Brasil (EDP Brasil), do grupo europeu EDP Energias de Portugal, cresceu 82,9% no primeiro trimestre em relação ao mesmo período do ano anterior, para R$ 495,7 milhões, com maiores volumes de consumo de energia que ajudaram os negócios de distribuição e melhor desempenho também em transmissão e geração hídrica.

O lucro líquido ajustado, por sua vez, foi de R$ 337 milhões no período, alta de 58,6% na base anual.

receita operacional líquida da empresa subiu 7% no período e totalizou R$ 3,505 bilhões.

ebitda – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – alcançou R$ 1,048 bilhão no trimestre, alta de 50,1%, em base anual. O ebitda ajustado, que exclui os efeitos não recorrentes, subiu 34,3% no período, para R$ 807,4 milhões.

Deixe um comentário