Marcopolo e controladas calculam receber R$ 383 milhões em ações judiciais sobre exclusão do ICMS da base de cálculo do PIS e da Cofins

LinkedIn

A Marcopolo informa que, a partir da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a exclusão do ICMS da base de cálculo do PIS e da Cofins, a companhia e suas controladas calculam em R$ 383 milhões os valores a receber englobados em suas ações judiciais que discutem a questão.

O fato relevante foi feito pela empresa (BOV:POMO3) e (BOV:POMO4), na quarta-feira (30). Confira o comunicado na íntegra

Em fato relevante divulgado há pouco pela empresa, conforme tratativas mantidas com seus auditores independentes, a companhia e suas controladas reconhecerão o valor, antes de efeitos fiscais, nas demonstrações financeiras consolidadas neste mês de junho.

VISÃO DO MERCADO

Guide Investimentos

A medida trata da recuperação dos valores pagos em decorrência das discussões judiciais sobre a ilegalidade da incidência do ICMS, o que irá beneficiar seu resultado financeiro, e por consequência o seu lucro líquido para o 2T21.

Marcopolo (POMO4): prejuízo líquido de R$ 14,7 milhões no 1T21impactado pela pandemia, revertendo lucro

Marcopolo registrou prejuízo líquido de R$ 14,7 milhões no primeiro trimestre, com margem de – 1,8%, contra um lucro de R$ 10,7 milhões e margem de 1,2% no 1T20. O resultado foi afetado pelos mesmos efeitos refletidos no Ebtida e segue impactado pelos reflexos da pandemia sobre o mercado de ônibus.

Ebitda – juros, impostos, depreciação e amortização – foi positivo em R$ 23,5 milhões no 1T21, com margem de 2,8%, versus um Ebtida de 101,9 milhões e margem de 11,1% no 1T20. Segundo a empresa, o resultado foi afetado negativamente por menores volumes e receita, pelos ajustes no quadro de pessoal, pela menor representatividade das exportações na distribuição da receita, pelo mix mais leve voltado a ônibus de menor valor agregado, pelo impacto das provisões trabalhistas e pela menor contribuição da equivalência patrimonial na comparação trimestral.

A receita líquida consolidada alcançou R$ 834,0 milhões no 1T21, sendo R$ 448,8 milhões, ou 53,8% do total, proveniente do mercado interno, e R$ 385,1 milhões, representando os demais 46,2%, do mercado externo.

Deixe um comentário