Mercados mundiais operam sem brilho na véspera do feriado de Corpus Christi

LinkedIn

ÁSIA: As bolsas asiáticas fecharam sem direção nesta quarta-feira, depois de um início de mês sem brilho em Wall Street.

Na China Continental, o composto de Xangai caiu 0,76%, para 3.597,14 pontos e o Shenzhen Component caiu 1,18%, para 14.857,91 pontos. O índice Hang Seng de Hong Kong caiu cerca de 0,72%.

Na Coreia do Sul, o Kospi avançou 0,07%.

O Nikkei do Japão subiu 0,46% para fechar em 28.946,14 pontos, enquanto o índice Topix subiu 0,84% e encerrar o dia em 1.942,33 pontos. As ações da montadora Toyota subiram 2,18%, enquanto as da Honda subiram 4,55%. Os ganhos vieram apesar de relatos de que as montadoras suspenderam temporariamente a produção na Malásia devido “lockdown” no país, que começou terça-feira. Outras montadoras japonesas também viram ganhos, com a Mazda subindo 4,46%, enquanto a Mitsubishi Motors subiu 3,23%.

Na Austrália, o S & P / ASX 200 fechou em alta de 1,05%, em 7.217,80 pontos, com ganhos das gigantes de mineração e empresas de energia. BHP ganhou 2,9%, Fortescue Metals subiu 1,8% e Rio Tinto adicionou 1,7%, enquanto Woodside Petroleum subiu 4,6% e Santos ganhou 6,5% em uma corrida do setor de commodities. Em sentido contrário, as produtoras de ouro também recuaram, com Northern Star caindo 1,1% e Regis Resources recuando 3,5%.

O PIB da Austrália do primeiro trimestre subiu 1,8% em relação ao último trimestre, de acordo com dados oficiais divulgados na quarta-feira, ante expectativas de um aumento de 1,5% em uma pesquisa da Reuters, com a atividade econômica australiana se recuperando e ficando acima dos níveis pré-pandêmicos.

O índice MSCI para a Ásia-Pacífico exceto Japão caiu 0,35%.

EUROPA: As principais bolsas europeias operam em alta nesta quarta-feira, apesar do fraco sentimento visto em outros mercados ao redor do mundo.

O pan-europeu Stoxx 600 sobe 0,14%, depois de subir inicialmente 0,4% no início da sessão, com ações de petróleo e gás liderando os ganhos, enquanto os de recursos básicos caem.

O alemão DAX 30 sobe 0,19%, o francês CAC 40 avança 0,17%, enquanto o IBEX 35 da Espanha e o FTSE MIB da Itália adicionam 0,12% e 0,28%, respectivamente.

Em Londres, o FTSE 100 opera em queda de 0,01%. Entre as mineradoras listadas na LSE, Anglo American sobe 0,2%, enquanto Antofagasta cai 2,1%, BHP perde 0,2%, enquanto Rio Tinto recua 0,5%. Entre as gigantes do petróleo, BP sobe 0,9% e Royal Dutch Shell avança 1,1%.

EUA: Os futuros dos índices de ações dos EUA operam entre leves altas e baixas nas negociações matinais de quarta-feira, após uma sessão sem brilho no primeiro dia de junho.

Durante as negociações regulares de terça-feira, o Dow Jones ganhou 47 pontos, ou 0,13% de alta, depois de subir mais de 300 pontos em um determinado momento. O S&P quebrou uma sequência de 3 dias de alta e fechou em baixa de 0,02%. O Nasdaq Composite caiu 0,09%, a sua segunda sessão negativa em três.

Destaque positivo para as companhias aéreas e operadoras de cruzeiros que viram suas ações subirem à medida que os casos da Covid nos Estados Unidos continuaram caindo.

O S&P 500 e o Dow estão 0,8% e 1,5%, respectivamente, abaixo dos recordes de maio. O Nasdaq tem um pouco mais de terreno para recuperar. O índice de alta tecnologia está atualmente 3,3% abaixo do recorde histórico de abril.

As expectativas de que o próximo relatório do Departamento do Trabalho em maio mostrará um forte aumento nas contratações, aumentaram as preocupações com a inflação e como o Federal Reserve deverá agir. Isso ajudou a aumentar os rendimentos dos títulos na terça-feira. Os bancos estavam entre os maiores ganhadores à medida que os rendimentos dos títulos aumentavam, visto que lhes permitem cobrar taxas de juros mais altas nos empréstimos. O rendimento do Tesouro de 10 anos subiu para 1,61% ante 1,58% na sexta-feira.

As ações de energia também foram destaques de altas e foram uma das maiores ganhadoras no S&P 500 na terça-feira. Os preços do petróleo bruto saltaram mais de 2%.

O Institute for Supply Management informou que a produção industrial voltou a crescer em maio. O índice de manufatura do ISM chegou a 61,2 no mês passado, muito melhor do que os 60,6 esperados pelos economistas pesquisados pela FactSet. A melhora ocorreu apesar da escassez de oferta de matéria prima que assola muitas indústrias há semanas, particularmente aqueles que necessitam de semicondutores.

Na agenda econômica, o destaque do dia é a divulgação do Livro Bege às 15h00.

ÍNDICES FUTUROS – 7h30:
Dow: +0,10%
SP500: -0,2%
NASDAQ: -0,11%

COMMODITIES:
MinFe Dailan: +2,77%
Brent: +1,27%
WTI: +1,11%
Soja: +0,88%
Ouro: -0,32%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado, enquanto a europeia e a americana estão no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados. O texto não é indicação de compra ou venda de ativos.

Deixe um comentário