ADVFN Logo ADVFN

Não encontramos resultados para:
Verifique se escreveu corretamente ou tente ampliar sua busca.

Tendências Agora

Rankings

Parece que você não está logado.
Clique no botão abaixo para fazer login e ver seu histórico recente.

Hot Features

Registration Strip Icon for alerts Cadastre-se para alertas em tempo real, use o simulador personalizado e observe os movimentos do mercado.

A mágica da arrumação financeira proposta por Gustavo Cerbasi vai te surpreender

LinkedIn

Se você já conhece o nome de Gustavo Cerbasi, está acostumado com os livros de Educação Financeira dele, muitos que com certeza ainda devem ter seu lugar reservado na sua estante até hoje. Porém, se não o conhece, vale dizer que Cerbasi é um autor muito renomado, com 16 livros publicados e mais de 2,5 milhões de obras vendidas.

Mais do que isso, ele também é palestrante e professor. Há mais de 20 anos Cerbasi vem auxiliando desde pessoas comuns até investidores veteranos a fazer suas finanças renderem e, ao mesmo tempo, pensar sobre o dinheiro. A novidade, entretanto, está em um livro que já chama atenção pelo título: A Riqueza da Vida Simples.

Ora, para quem conhece as obras de Cerbasi, parece até mesmo uma afronta pensar que, em vez de poupar e investir melhor o que se tem agora para viver melhor no futuro, a intenção é ir ao contrário: apegar-se à simplicidade? E tudo aquilo que ele disse nos seus outros livros sobre fazer o dinheiro render mais, é tudo perdido?

Calma, antes de mandar um e-mail para a editora ou para o próprio Cerbasi, vamos desvendar isso para você e com a ajuda dele, é claro.

Nada de ir à sua prateleira pegar os livros de Cerbasi e tacar fogo, porque aquilo tudo não faz mais sentido. Muito ao contrário, em A Riqueza da Vida Simples, Cerbasi faz um retorno a cada um dos livros dele já publicados e que têm sua história. Entretanto, agora, ele demonstra com ainda mais foco o que todo mundo sabe, mas não pratica: ter dinheiro não significa ser rico.

A proposta de Cerbasi, no novo livro, é justamente quebrar com o modelo tradicional de planejamento financeiro, que foca em privações no presente e preocupações com o futuro. “É esse processo, mais comportamental e motivacional do que lógico-racional, que estimula aqueles que erraram ao fazer escolhas passadas a reconhecer seus desacertos e aceitar dar um passo atrás. Não se trata, porém, de aceitar uma condição inferior, mas sim de usar esse passo atrás para ganhar impulso e dar um grande salto à frente”, revela Cerbasi na obra.

Se você já leu um outro livro (ou já viu a série na Netflix que leva o mesmo nome), vai entender a referência do título desta matéria: A Mágica da Arrumação, de Marie Kondo. É inevitável não comparar as duas obras, e você vai entender por quê.

Ficar apenas com o que te traz felicidade

No livro de Kondo, ela indica que sua casa deve conter apenas itens que te trazem felicidade, e descartar todo o restante. Simples assim. Mas nem tanto. O apego faz parte da nossa vida, mas é preciso se organizar mentalmente e decidir o que fica e o que vai. É o mesmo caso abordado no livro de Cerbasi.

Até que ponto vale se manter em um emprego que não gosta só porque o retorno financeiro aparenta ser vantajoso? Se perder o emprego um dia, o que acontece? Além de ficar sem o dinheiro, fica também o peso na consciência do “tempo perdido” fazendo algo sem emoção. E o que dizer então da bajulação de parentes ricos, mimar os filhos para que eles sejam o alicerce financeiro da família? É uma energia muito grande investida em ilusões.

Uma categoria por vez

Outra dica de arrumação da casa, mas que também serve para a financeira é a de organizar uma categoria por vez. No livro de Cerbasi, ele até indica: “Planeje sua carreira para que ela se desenvolva de forma a se tornar cada vez mais prazerosa; Não poupe muito, mas invista bem (menor quantidade e maior qualidade); Adote um novo padrão de educação, com três níveis de evolução: para o trabalho, para empreender e para investir; Prepare-se para empreender após deixar de ser empregado”.

Organizando sua renda, seus investimentos e seus planos futuros, cada categoria acaba tendo mais consistência e um direcionamento melhor. É como acontece no livro de Kondo, em que ela indica jogar todas as suas roupas no chão (tudo mesmo) e depois ir dobrando e organizando por categorias: camisetas, calças… Mas, primeiro, é preciso colocar tudo junto, embaralhado, para ver, de fato, como anda essa acumulação de coisas sem sentido.

Ou seja, é necessário ver o quão desorganizados financeiramente estamos para poder se concentrar no que merece nossa atenção. Claro que imprevistos acontecem e é preciso estar preparado para mudar rumos, porém ter um plano muito bem traçado já é meio caminho andado.

Visualize seu estilo de vida ideal

Pode parecer que a grama do vizinho é sempre mais verde, porém lembre-se de que, se você mora ao lado dele, sua terra tem as mesmas propriedades. No livro de Kondo, ela indica que as pessoas visualizem o estilo de vida que desejam ter, e pode se inspirar em outros para isso, sim.

No mesmo sentido, Cerbasi revela: “Se você não está conquistando o que quer, precisa rever seu estilo de vida”. Afinal, muitas vezes as pessoas que ganham o mesmo que você podem parecer muito mais bem-sucedidas. Por quê? Talvez a única diferença seja que elas tenham um plano muito bem organizado, traçando objetivos e sonhos.

Segundo Cerbasi: “Todos temos sonhos. Quando temos uma noção de quanto custa o nosso sonho, em quanto tempo podemos realizá-lo e de que forma seremos capazes de alcançá-lo, passamos a ter uma ideia. Quando essa ideia se traduz em organização do orçamento, esforço de poupança, escolha do investimento e ações concretas, temos, enfim, um plano”.

Portanto, definir aonde se quer chegar ajuda a traçar metas e objetivos concretos a fim de facilitar o acesso ao que se deseja.

Depende de você tomar as decisões certas

Pode dizer que você anda endividado devido à pandemia, que não investe mais porque não tem dinheiro ou que só não estuda mais porque não tem tempo. Entretanto, tudo isso esconde uma única verdade: suas escolhas só dependem de você. Enquanto ficar buscando justificativas, você vai encontrar – afinal, quem procura acha. Mas, se em vez disso tomar a frente das situações que ocorrem na sua vida, você se tornará protagonista de sua própria história.

Nas palavras de Cerbasi: “Ao optar entre uma coisa e outra, você sempre terá a sensação de que perdeu algo. O seu padrão de vida portentoso e endividado certamente lhe traz algum tipo de conforto. Talvez seja apenas emocional, como aquele tapinha nas costas acompanhado de um comentário do tipo ‘Bela gravata!’. Mas o que muitos não percebem é que esse tipo de satisfação é paliativo e só serve para justificar a preguiça de encarar o trabalho de buscar um grau de conforto maior e mais durável”.

No trecho, fica evidente a mensagem: em vez de procurar muletas para se apoiar, busque soluções. E Cerbasi auxilia na tomada de decisão usando uma ferramenta bem técnica, porém explicada de maneira simples. Se você é Administrador, deve conhecer a famosa Análise SWOT, ou FOFA, como também é chamada. Ela traz visualmente as Forças, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças de cada decisão que você está prestes a tomar.

Nada mais é do que o famoso “colocando no papel, será que vale a pena?”. Ao analisar essas quatro perspectivas, tem-se, então, uma ideia clara sobre a situação analisada. É como se você visualizasse tudo olhando de fora, o que garante um resultado ainda mais racional e menos emotivo. Cerbasi revela no livro como usou a FOFA para tomar sua decisão de ficar no Brasil ou ir viver no Canadá, mas basicamente pode ser usada em toda situação de dúvida sobre qual decisão tomar.

Nas palavras de Marie Kondo: “O objetivo – tanto de se desfazer de coisas [ou situações] quanto de ficar com elas – é basicamente ser feliz”.

A vida começa de verdade depois de organizar a casa

Existe uma diferença latente entre quem você é antes de ler o livro de Cerbasi e de Marie Kondo e de quem você se torna depois dessas leituras. Afinal, são portas de consciência que se abrem sobre a forma que encaramos nossa vida dentro de casa e também fora dela, entre aquilo que trazemos no bolso e também na Bolsa.

Com as dicas, os ensinamentos e as experiências compartilhadas nas obras, é possível visualizar um novo caminho financeiro e pessoal sobre diversos aspectos e entender por que, agora, o discurso se volta tanto para fazer ou ter apenas aquilo que te traz felicidade.

Afinal, conforme Cerbasi: “Gasta-se menos com o que não terá utilidade para concentrar os gastos naquilo que terá mais utilidade – ou trará mais alegrias […]. Poder gastar mais com aquilo que queremos é uma forma racional de nos sentirmos mais ricos”.

Escolha os livros por sentimento

Diferentemente de muitas decisões que precisam ser tomadas, livros são, por exigência, escolhidos com base em sentimento. É o sentimento de que aprenderá algo vantajoso para seu plano financeiro ou de investimentos, o sentimento de que está adquirindo algo que abrirá sua mente e promoverá mudanças na sua vida. Portanto, se você sente que precisa mudar, mas não sabe como nem por onde começar, a sugestão é o novo livro de Gustavo Cerbasi.

Se a mudança precisa ser ainda mais interna, a dica é aproveitar os ensinamentos de Marie Kondo como complemento. Assim, a mágica da sua arrumação financeira será muito mais certeira e palpável.

E aí, gostou desse crossover, ou seja, dessa mistura do Brasil (Cerbasi) com o Japão (Kondo)? Comenta aqui embaixo e aproveite para compartilhar este conteúdo com seus amigos! E não se esqueça de ler as indicações e nos marcar nas redes sociais: a ADVFN está no Facebook, Instagram, YouTube e Twitter! Boa leitura!

Referências

CERBASI, Gustavo. A Riqueza da Vida Simples. 1. ed. Rio de Janeiro: Sextante, 2019.

KONDO, Marie. A Mágica da Arrumação. Marcia Oliveira (Tradução). Rio de Janeiro: Sextante, 2015.

KONDO, Marie. A Mágica da Arrumação em Quadrinhos. Regiane Winarski (Tradução). 1. ed. Rio de Janeiro: Agir, 2019.

Foto de fundo desta matéria: Divulgação.

Deixe um comentário