A mineração de bitcoin movida a energia nuclear chegará a Ohio em dezembro

LinkedIn

Energy Harbor Corp, geradora de energia nuclear e de combustível fóssil, anunciou ter firmado uma parceria com a fornecedora de hospedagem de mineração de bitcoin (BTC) Standard Power, segundo um comunicado de imprensa publicado nessa segunda-feira (12).

A empreitada de mineração de bitcoin terá início em dezembro de 2021. Standard Power irá converter uma fábrica de papel abandonada na cidade de Coshocton, no estado americano de Ohio, em uma instalação de mineração que utiliza energia das usinas nucleares da Energy Harbor.

“Ao firmarmos parceria com a Energy Harbor, estamos estruturando, de forma pró-ativa, nossas capacidades de hospedagem para garantir que 100% de energia associada a essa instalação seja livre de carbono”, Maxim Serezhin, diretor-executivo da Standard Power.

O bitcoin gerou controvérsias em relação à sua sustentabilidade este ano após altas históricas em seu preço.

Em março, Tesla (TSLA, TSLA34), a empresa de Elon Musk, passou a aceitar bitcoin como uma opção de pagamento para, dois meses depois, suspender a decisão por conta de preocupações ambientais, citando a dependência do processo de mineração em combustíveis fósseis.

Ainda assim, o ato de definir a verdadeira matriz energética da mineração de bitcoin via combustíveis fósseis ou fontes de energia renováveis é bem mais difícil do que parece.

A energia nuclear é livre de carbono. Em vez de queimar a alta capacidade de carbono encontrada em plantas e animais fossilizados, usinas nucleares dividem átomos de urânio para alimentar geradores de turbina a vapor para produzir energia.

O Departamento de Energia dos EUA afirma que uma usina nuclear produz, em média, um gigawatt (GW) de energia; a maior usina nuclear do país fica em Palo Verde, no Arizona, e produz 3,99 GW.

Exceto pela parceria entre a Energy Harbor e a Standard Power, energia nuclear não parece ser uma opção popular em iniciativas de mineração de bitcoin com energia “limpa”.

No último ano, a Ucrânia estava considerando o uso de energia nuclear excedente para a mineração de bitcoin, mas parece não ter ido adiante com a ideia.

Um possível motivo para a escassez de fazendas de mineração de bitcoin alimentadas por energia nuclear podem ser os custos iniciais.

A construção das unidades de energia nuclear de Vogtle, em Waynesboro, na Geórgia — o primeiro projeto nuclear desenvolvido nos Estados Unidos no século 21 — custou mais de US$ 25 bilhões, de acordo com o Wall Street.

Deixe um comentário