Confira os Indicadores Econômicos desta segunda-feira (12/07/2021) IPC-Fipe, Boletim Focus e Balança Comercial…

LinkedIn

Confira os principais indicadores econômicos de hoje, em destaque os economistas ouvidos pelo Banco Central (BC) revisaram a previsão da taxa básica de juros ao fim deste ano em alta, para 6,63% ao ano, de 6,50% na semana passada. Há um mês, a projeção para a taxa Selic ao fim de 2021 era de 6,25% ao ano.

Brasil

  • Superávit comercial soma US$ 2,013 bilhões na semana até 11 de julho

O Brasil teve superávit comercial de US$ 2,013 bilhões na semana encerrada em 11 de julho, resultado de US$ 5,6 bilhões em exportações e de US$ 3,6 bilhões em importações – o que representa médias diárias de, respectivamente, US$ 1,1 bilhão e US$ 712,5 milhões -, de acordo com dados divulgados pelo Ministério da Economia.

A corrente de comércio no período foi de US$ 9,1 bilhões. No acumulado de julho até dia 11, o superávit comercial somou US$ 3,018 bilhões, reflexo de US$ 8,269 bilhões em exportações e de US$ 5,25 bilhões em importações.

Do início de janeiro até 11 de julho, a balança comercial brasileira teve saldo positivo de US$ 39,8 bilhões, ante superávit de US$ 29,9 bilhões no mesmo intervalo do ano anterior. As exportações aumentaram 20% na mesma base de comparação, para US$ 144,2 bilhões, enquanto as importações subiram 15,7%, para US$ 104,4 bilhões.

  • IPC-Fipe subiu 0,86% na primeira quadrissemana de julho

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que mede a inflação na cidade de São Paulo, subiu 0,86% na primeira quadrissemana de julho, acelerando frente ao ganho de 0,81% observado no fechamento de junho, segundo dados publicados nesta segunda-feira pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

Na leitura inicial deste mês, quatro dos sete componentes do IPC-Fipe avançaram com mais força: Habitação (de 1,27% em junho para 1,37% na primeira quadrissemana de julho), Alimentação (de 0,09% para 0,40%), Vestuário (de 0,50% para 0,51%) e Educação (de 0,13% para 0,24%).

Por outro lado, os demais itens aumentaram em ritmo mais contido no começo de julho: Transportes (de 1,11% em junho para 0,93% na primeira quadrissemana de julho), Despesas Pessoais (de 0,99% para 0,90%) e Saúde (de 0,86% para 0,64%).

  • Boletim Focus: Selic sobe de 6,50% para 6,63% ao ano; IPCA para 2022 passa de 3,77% para 3,75%

Os economistas ouvidos pelo Banco Central (BC) revisaram a previsão da taxa básica de juros ao fim deste ano em alta, para 6,63% ao ano, de 6,50% na semana passada. Há um mês, a projeção para a taxa Selic ao fim de 2021 era de 6,25% ao ano.

Para 2022, a previsão para a Selic foi revisada em alta pela segunda semana seguida, para 7,00% ao ano, de 6,75% na semana passada. Há um mês, a projeção para a taxa Selic ao fim de 2022 era de 6,50% ao ano. No que se refere a 2023 e 2024, a previsão para o juro básico foi mantida em 6,50% cada, há 15 e 11 semanas, respectivamente.

Enquanto isso, a projeção para o Indice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ao final deste ano foi elevada pela décima-quarta vez seguida, passando de 6,07% para 6,11%. Há um mês, a projeção era de +5,82%. Para 2022, a projeção foi cortada pela segunda semana seguida, para 3,75%, de 3,77% na leitura anterior e 3,78% há um mês. Para 2023, a previsão é mantida em 3,25% há 52 semanas. Já em relação a 2024, a estimativa foi cortada para 3,16% depois de passar 24 em 3,25%.

Ainda no âmbito do IPCA, a estimativa para os próximos 12 meses subiu pela décima-quarta vez seguida, passando de 6,10% para 6,32%, de 5,85% há um mês. É válido lembrar que as metas de inflação para 2021, 2022 e 2023 são de 3,75%, 3,50% e 3,25%, nesta ordem, conforme estabelecido pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

Deixe um comentário